A tal “Pátria Educadora” durou menos de duas semanas

Percival Puggina

A medida já foi explicada pelo ministro da Educação, Cid Gomes. Segundo ele a atividade fim permanece assegurada. No entanto, convenhamos, é difícil jutificar que sob a égide do lema “Brasil, Pátria Educadora”, o governo promova um corte de R$ 7 bilhões no orçamento da pasta da Educação para o ano de 2015.

A aplicação de cortes no orçamento da União é medida de racionalidade administrativa. Nada a obstar quanto a isso. Contudo, não parece oportuno que esses cortes afetem logo o ministério sobre o qual recaem as maiores responsabilidades financeiras para o custeio da educação nacional.

Por outro lado, é uma pena que a centralização de recursos fiscais em Brasília prossiga sem sequer uma pausa para reflexão: isso serve ao país? não seria preferível ampliar a autonomia dos Estados e municípios?
 

14 thoughts on “A tal “Pátria Educadora” durou menos de duas semanas

  1. Por onde andarão os sindicatos de professores (filiados a CUT)? Alguma manifestação, alguma ameaça, mobilizações? Por que será que calaram? Não faltam mais recursos para a educação?

    Enquanto isto, no RS o sindicato continua insistindo que tem de ser aplicado o piso, sobre todos os valores já pagos atualmente.

    O rótulo de “todos pela educação”, na realidade é apenas um brinquedo nas mãos de quem quer garantir direitos e não qualidades, de quem quer aparecer às custas de migalhas ofertadas. Mostram exemplos positivos, mas não dizem tratar-se de meras exceções!

    Os governos petistas/neo-comunistas, de Lulla e Dillma, falam em escola pública, mas nunca tiveram qualquer concreta: só cobrança e demagogia.

    Agora, diante do desperdício e da “evasão” nos cofres públicos, Dillma reduz os já “parcos” recursos destinados a esta pasta.

    Ah se isto ocorresse em outros governos! Antes defendiam os 10% para a educação. Agora, reduzem e não acontece nada. Sinal dos tempos? Não: sinal da falta de caráter de muitos.

    O ensino público será valorizado quando a sociedade, que o paga e que dele necessita, criar juízo e cobrar escolas e professores de qualidade.

    E, é claro, um projeto sério e duradouro, que independa das propostas que surgem a cada quatro anos.

    • Fallavena, tudo bem. estouraram com o Tesouro por causa das eleições e dos aportes ao BNDES, que ultrapassaram os R$ 150 bilhões. Socorrer amigos e fica caro. O Fies vem dos 7,76% recolhidos em cada jogo do maior casino do mundo que é a Caixa. Fora isso tem o retorno dos empréstimos…. A grana sumiu….

  2. Dilma Rousseff é o estelionato eleitoral em pessoa!

    Soltará todos os pacotes de maldades possíveis e imaginários, já neste início de 2015.

    Só deixará na paz a sempre privilegiada classe política e os grandes empresários bilionários parceiros, com os seus respectivos negócios. Os chamados “amigos da rainha”, do “rei Lula”, e do PT.

    • Já começaram os apagões da Tia Yossef :
      ” Distribuidoras de energia em vários estados das regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, entre elas a Eletropaulo e a Light, que distribuem energia nos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro, informaram nesta segunda-feira (19) reduções no fornecimento de luz. Segundo as empresas, o corte foi orientado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), órgão federal responsável pela gestão de energia no país.
      O G1 confirmou, até o momento, que houve corte de energia em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Paraná, Goiás e Distrito Federal.
      A TV Globo apurou que o motivo foi o pico de consumo que superou a capacidade de geração.
      Até a última atualização desta reportagem, nem o ONS, nem o Ministério de Minas e Energia, haviam se pronunciado sobre o assunto.

  3. As universidades particulares já estão atrasando o pagamento do mês de dezembro, que teria que ser pago no início de janeiro, já estamos quase ao fim de janeiro e tem universidade que não pagou seus professores, dizem que não entrou verba do Fies, Pronatec, Prouni e outras coisitas más. A coisa está ficando feia.

  4. O apagão da Tia…
    O Palácio do Planalto tenta blindar a presidente Dilma Rousseff do noticiário negativo sobre a falta de energia em 10 estados e no Distrito Federal. A determinação é deixar todo esclarecimento para o Operador Nacional do Sistema, o ONS. Até mesmo o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, foi orientado a não falar sobre o tema para não colocar o governo no foco.

    A preocupação em blindar Dilma não é por acaso. Durante a campanha eleitoral do ano passado, ela garantiu que não havia risco de racionamento no país. No governo Lula, Dilma foi a principal responsável por comandar a área energética.

    Apesar das negativas oficiais do governo, há a constatação em setores da área energética de que o sistema está fragilizado. Ou seja, não é só uma questão de temperatura elevada e falta de chuvas. Há uma carga excessiva de consumo, mas também existe o reconhecimento que o sistema energético brasileiro está desestruturado, sem capacidade de fazer novos investimentos.

    Segundo o Blog apurou, por volta das 14h50 de hoje, distribuidoras de estados do Sudeste receberam uma determinação de cortar a carga. A redução de energia foi de 3.000 MW em todo o pais: são 8% de tudo que é gerado. Só no Rio de Janeiro, o corte foi de 570 MW. Em São Paulo, o corte chegou a 700 MW.

    O motivo foi o pico de consumo em plena tarde que estava levando o sistema ao colapso. O consumo superou a capacidade de geração. Segundo um diretor de distribuidora ouvido pelo Blog, nesse verão, o pico de consumo de energia tem começado muito cedo, por volta das 14hs, e permanece até às 6hs da manhã do dia seguinte, quando as pessoas desligam o ar condicionado.

    A situação só não está pior porque o consumo da indústria caiu 7%, com o desaquecimento do setor. Mesmo assim, a situação é crítica: os reservatórios do Sudeste estão com 19% de sua capacidade, quando o esperado era no mínimo 40% para este momento.

  5. ALGUÉM ESPERA ALGUMA COISA NOVA NA ÁREA DA EDUCAÇÃO? POR QUE SE PODERÁ ACREDITAR QUE CIDE GOMES DARÁ UM NOVO RUMO À EDUCAÇÃO NO BRASIL? POR QUE? NÃO TEMOS NEHUM MOTIVO PARA ACREDITAR. LAMENTAVELMENTE, NADA DE NOVO ACONTECERÁ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *