A tumultuada, complicada e trabalhada situação eleitoral do Amazonas. Dirceu apareceu por lá, quer derrotar Virgilio, eleger Vanessa e garantir João Pedro no Senado

A disputa pelo governo, duas vagas no Senado, o cargo de vice-governador e de suplente do governador reeeleito Eduardo Braga, candidato a senador. Aparentemente, o mesmo que estará em jogo nos 26 estados.

Só que o governo federal (incluindo o próprio Lula, pessoalmente, nada a ver com o palanque de Dona Dilma) tem fortíssimos interesses no Amazonas.

1 – Eleger o ministro e senador Alfredo Nascimento, governador do estado. Motivo óbvio: fazer de João Pedro, suplente de Nascimento há 3 anos, suplente EFETIVO por mais 4. (João Pedro é amicíssimo do presidente Lula).

Apesar de toda a força federal e estadual, não será fácil eleger o ainda ministro, embora ele esteja bem nas pesquisas. Existe um trabalho grande para que o prefeito de Manaus (ex-senador e ex-governador), Amazonino Mendes, dispute o governo. Isso assusta e ameaça o esquema do Planalto-Alvorada.

Amazonino, que já estava resignado a ficar como prefeito até o final de 2012, começou a conversar, e já aceita deixar a prefeitura no dia 3 de abril. (Dentro de exatamente um mês). Recebeu o apoio do ex-prefeito Serafim Corrêa, de grande prestígio e respeitabilidade.

Serafim Corrêa também apoia Arthur Virgilio para a reeleição ao Senado, cuja derrota, como já disse na Tribuna impressa, há mais de 3 anos, é uma das obsessões do Planalto-Alvorada,

Essas “combinações” deram ao estado do Amazonas a grande honra da presença de José Dirceu. Ex-ministro poderoso, como se sabe, e agora poderoso malabarista de Nossa Senhora, para quem estiver precisando. E muitos estão.

Do aeroporto, Dirceu foi direto para o escritório do ex-prefeito Serafim Corrêa. Tiveram conversa exacerbada, não é fácil conversar o que conversaram, mas não se fala outra coisa, em Manaus e adjacências. Principalmente porque o final da conversa foi em voz alta, até gritada, pois recusa é recusa, e Serafim Corrêa manteve os apoios a Amazonino e Arthur Virgilio.

2- Eduardo Braga está garantidíssimo para o Senado, isso nem se discute. Por causa disso, tomou providências, em relação ao próprio futuro político. Dizem que pode até ser ministro da Integração Nacional, ou, surpreendentemente, candidato a prefeito em 2012.

Dessa forma, colocou como primeiro suplente na sua já conquistada cadeira do Senado, a própria mulher. Que assumiria, logicamente, qualquer que seja a opção que fizer a partir de 2011.

E mais: estimula Amazonino a disputar o governo, teria que se desincompatibilizar. O vice-prefeito de Amazonino está preso, teria que haver eleição para prefeito de Manaus. Mais risco para Nascimento e João Pedro. E aumento da possibilidade para Eduardo Braga, se resolver pela segunda opção.

3 – Dirceu também tratou com muito carinho, perseverança e esperança, do preenchimento da outra vaga de senador. Como Arthur Virgilio cresceu muito e recuperou uma parte enorme do prestígio dentro do PSDB, precisam de um candidato forte para derrotá-lo. Não têm esse nome.

Estão trabalhando então o nome da deputada federal Vanessa Grazziotin (PCdoB), eleita com excelente votação. Mas uma coisa é a eleição proporcional, e outra a majoritária. Seria reeleita talvez a mais votada, mas não se elege para o Senado. (Sacrifício inútil de uma carreira que vai indo muito bem).

Muito bem informado, tendo avaliado tudo isso, Dirceu também tratou com Serafim Corrêa o apoio dele a Vanessa e não a Virgilio. Nova recusa, ou variação sobre um tema antigo. Se Serafim mantem o apoio a Amazonino, mais certo e garantido, que jogue sua força e prestígio para reeleger Virgilio, que já é candidato. Amazonino tem 30 dias para decidir.

PS – Suspense total no Amazonas. Os próximos 30 dias, serão mais disputados do que a própria campanha para o governo e para a segunda vaga de senador. Por quê? Lógico, se Amazonino for candidato a governador, uma coisa. Se não for, outra muito diferente.

PS2 – Ultrapassado o 3 de abril, Serra e Dona Dilma se manifestarão publicamente. O governador de São Paulo, de acordo com a tática traçada, fica em silêncio. Acompanha tudo, embora não saiba nem a metade do que está aqui.

PS3 – Dona Dilma está mais bem informada, afinal foi ela que mobilizou José Dirceu. Mas o fracasso do ex-chefe da Casa Civil, como articulador, prejudicou a atual chefe da Casa Civil, como candidata. Os “80 por cento de Lula”, TRANSFERÍVEIS facilmente, resolverão tudo.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *