A tumultuada, embaraçada e contraditória relação traficantes-governos-militares-policiais. Lula está satisfeito, as Forças Armadas inquietas, os traficantes esperam.

Helio Fernandes

Como tenho dito desde o início, não aconteceu nada. Ninguém foi preso, os traficantes, informadíssimos, tinham fugido na quinta ou sexta-feira, quando “receberam” o aviso para se “entregarem ou seriam PRESOS”, já estavam bem longe.

Lula já não quer mais nada, pretendia demonstrar que era ele que mandava, determinou diretamente aos Comandantes, “façam a operação”. Os generais vieram a público por 5 minutos, explicaram que CUMPRIAM DETERMINAÇÃO DO COMANDANTE DAS FORÇAS ARMADAS”.

Mas hoje, além do descontentamento da opinião pública, da revolta de uma parte dos moradores, que sentem que foram usados, existe a discórdia dentro das Forças Armadas. Uma divisão visível, interna, a outra, externa, com as polícias militares.

Do Alto Comando do Exército, Marinha e Aeronáutica, surgem dois protestos, por enquanto ainda não formalizados, mas não demora. 1 – Esse comportamento vem de longe, oficiais das três Armas sempre foram contra a participação em atividades civis.

Realmente, metade do Exército acredita nisso, consideram que os militares devem ter TREINAMENTO PARA A GUERRA E NÃO PARA A PAZ. Só que, como não existe nem jamais existirá guerra, devem ser utilizados para “guerras internas”. Ou não terão utilidade. E “guerra interna” é o que está acontecendo diariamente.

2 – Outro ponto que assusta os generais (é um conceito generalizado de que só eles mandam), é de que, convivendo com policiais de formação inteiramente diferente, pode haver CONTAMINAÇÃO. (Todo mundo hoje usa a palavra sem pagar royalties a Roberto Gurgel. Foi esse Procurador Geral da República, que mais ou menos há 2 anos, incluiu a palavra no dicionário popular).

Por enquanto ainda não abriram o jogo, utilizando a palavra odiosa mas verdadeira: C-O-R-R-U-P-Ç-Ã-O. A contaminação vem daí, não demora a explodir. O Serviço de Inteligência do Exército, aprimorado, utilizado e transformado em arma poderosa, durante os 21 anos de Poder, acompanha tudo.

E sabem muito, lógico, têm que passar e repassar aos chefes. Daí os informes que circulam. Existem muitas conversas, TODAS ESTADUAIS, envolvendo civis e militares, espantosas. E nessas conversas, muitas delas gravadas, as MILÍCIAS aparecem com grande destaque. Curiosamente, existem duas formas ou fórmulas, não confirmadas, mas MUITO FALADAS.

1 – Publiquei aqui, 48 horas depois da invasão, cada vez se torna mais realidade: os chefes das MILÍCIAS estão silenciosos, porque receberam o COMPROMISSO de “herdarem” todo o acervo do Alemão e adjacências.

2 – Se começarem a queimar carros e ônibus, podem tomar nota: as MILÍCIAS foram desautorizadas, não receberão a herança combinada, não subirão no Alemão, como proprietários.

***

PS – Mas como tudo é complicado nesse enriquecimento e nessa guerra, TRAFICANTES-MILICIANOS, uma outra versão ou hipótese, que parece mas não é nem um pouco disparatada.

PS2 – Nem os traficantes nem os milicianos estavam (ou estarão) incendiando carros ou ônibus. Se a baderna urbana voltar, se reaparecer o caos e o tumulto, olhem para a administração ou governo do Rio. Muitos deles estarão “cheirando a queimado”.

PS3 – Os traficantes e os milicianos não podem continuar em liberdade. Mas para prendê-los, só forças federais.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *