A vov de Davos

Sebastio Nery

Logo aps o golpe militar de 1964, que est fazendo 50 anos, o ditador Castelo Branco despachou Lacerda, governador da Guanabara, para uma viagem Europa e Estados Unidos, a fim de tentar explicar a lambana. Lacerda andou por Paris, Bonn, Londres, Lisboa, Nova York.

Em Nova York, Lacerda foi jantar com Juracy Magalhes, embaixador em Washington, o editor Alfredo Machado (Editora Record) e o editor norte americano Alfred Knopf. Chegou o garom com a sopa:

– Oh, governador, o senhor por aqui?

– Oh, rapaz, voc brasileiro?

– Sou. Sou de Belo Horizonte.

JURACY

Quando o garom serviu Juracy, no o reconheceu, Juracy ficou chateado mas no disse nada. Alfredo Machado estava sendo servido:

– Quanto que voc faz aqui?

– Bem, doutor, ganho um total de 700 a 800 dlares por ms.

– Poxa, esse mineirinho ganha quase como um embaixador.

– , mas ns trabalhamos.

Juracy, e com razo, explodiu:

– por isso que a vida pblica uma coisa insuportvel. A gente se sacrifica o tempo inteiro e quando chega idade a que cheguei, depois de todos os servios que prestei ao Brasil, um menino diz que trabalha mais do que um embaixador. Ento ele acha que eu vim aqui como vagabundo?

O garom desapareceu no fundo do restaurante.

DILMA

Ainda bem que, apesar de cada dia mais gorda e bojuda, ningum vai deixar de reconhecer Dilma no Frum Econmico de Davos, que comea esta semana na Sua. O perigo ela jogar o pais no ridculo, tentando dar uma de Vov de Davos, a av sabichona, querendo ensinar tudo ao mundo, falando l fora como fala aqui dentro, mentindo deslavadamente sobre os tristes nmeros da economia brasileira. O mundo ficou um s. Depois do Obama, todo mundo sabe tudo de todo mundo.

Infelizmente a Dilma vai chegar l de saco vazio. Vai levando o humilhante Pibinho de 1% de 2012 e o vergonhoso Pibezinho de 2% de 2013. E, para este ano, depois de ser obrigada a dar aos banqueiros a escravista taxa de juros de 10,5,o mximo que pode acenar para a economia nacional em 2014 repetir os 2% de 2013. No d nem para a merenda.

ROMBO

1 Vejam a lcida Miriam Leito em O Globo: -Foram 23 bilhes de dlares gastos l fora com viagens contra 6,1 bilhes de dlares que entraram no pas com turistas estrangeiros. Um rombo de 16,9 bilhes de dlares na conta turismo. A balana comercial registrou at novembro 39,3 bilhes de dlares de importao de petrleo e derivados. Parte disso combustvel de 2012, que foi jogado na estatstica de 2013. Como houve apenas 19,8 bilhes de dlares de exportao, o rombo do setor petrleo e derivados chegou a 19,5 bilhes de dlares no ano.

2 Ex-secretrio da Receita Federal, o consagrado Everardo Maciel atesta – A conjuntura no permite otimismos: inflao alta, manipulao de preos, crescimento baixo, desequilbrio fiscal, endividamento das famlias, so males cuja superao vai requerer cincia, tempo e determinao, temperados pela boa poltica.

JUROS

3 O sistema financeiro fica com 5% do PIB brasileiro na cobrana de juros, quando internacionalmente a mdia entre 1% e 2%. O respeitado economista Amir Khair, um dos fundadores do PT, exemplifica:

– Predomina nas anlises a viso do mercado financeiro, para o qual no interessa pr foco nos juros como despesa. E, para desviar a ateno, colocam o foco em, outro lugar. E por que no interessa? Porque a mais importante fonte de lucro do sistema financeiro, inclusive de parte importante do setor no financeiro nos ganhos originados em aplicaes nos ttulos do governo federal. E completa:

– semelhante ao caso do ladro que, aps se satisfazer no roubo, sai da casa roubada correndo e gritando: Pega Ladro!.

Vov Dilma vai ter coragem de gritar Pega Ladro! em Davos?

5 thoughts on “A vov de Davos

  1. Nery,
    Bom que voc exemplificou com o balano do turismo.
    O pessoal do turismo, agora se autodeterminando de ‘trade turstico”, j devia ter aprendido que turismo no simploriamente vender “pacotes”!
    Os preos aqui so altos, as cidades oferecem pouca ou nenhuma atrao, casino nem falar, shows alguns no Rio e So Paulo.
    No vero esta faltando agua e eletricidade na maioria das praias….
    E, alugar uma casa em Miami muito mais barato que em Jurere-SC!
    E, plano de longo prazo,….nem se discute durante o ano pois no de bom tom!
    Propaganda e belezas naturais ajudam……mas no seguram ou fazem o turista voltar!
    Antnio.

  2. Desculpem mais no aguento as histrias do sr.Nery, um sujeito pessimista ao extremo, deveria viver em outro pas onde poderia ter melhores condies de vida.A sua amargura as vezes me faz mal.Sr.Nery a Europa esta um caco,na Inglaterra onde existe milhares de pessoas na mais absoluta pobreza ,os mesmos tem que escolher entre duas refeies ou calafetao noite.Infelizmente sr.Nery,existem mais brasileiros se divertindo na America do que os americanos.A Frana um caos ,A Espanha 24% da populao desempregada,Portugal coitados,esto com saudades do Salazar.Felizmente eu vi essas situaes ao vivo,e pude comprovar que o Brasil a maior terra desse planeta ,falta apenas gente digna,bem como polticos srios.Aqui no a respeito pelos nossos governantes chamados pejorativamente de “gorda”,vo para a Russia chamar o Putin de bonito,que ele fica putinho e os coloca em cana na sibria.

  3. Prezado Nery : Dizer que miriam leito ( com minsculas mesmo ) lcida ? ? ? Onde que vamos chegar com tanta contradio ? Voc mesmo cansou de cham-la de Miriam Leilo, lembra ? Agora morre de amores por ela ?
    Francamente …

    • Sebastio Nery por alguma mudou de lado. Porque ser?
      Sobrevivncia? Pode ser. E .
      Gnio o que v o bvio. E v. Mrio de Andrade viu Fernando Henrique bem
      antes. Em 1928, dois anos antes de Fernando Henrique nascer, escreveu a biografia dele:
      “Macunama, o heri sem nenhum carter”.
      Os jornais trazem o retrato pattico de um presidente que no respeita sequer a prpria boca.
      O que diz hoje, amanh j no vale nada. Pediu que esquecessem o que escreveu. Agora
      manda esquecerem o que mandou fazer. E deixa os ministros e porta-vozes desmoralizados,
      como idiotas baratas tontas.

      Fernando Henrique disse: “Mandei examinarem pisos profissionais, uma coisa que no tem
      nada a ver com o salrio mnimo ou a Previdncia.” verdade? No. mentira.
      O porta-voz Georges Lamazire informou, oficialmente, de p, meio gaguejante, no Palcio do
      Planalto, diante da bandeira nacional: “O presidente pediu ao ministro-chefe da Casa Civil,
      Pedro Parente, estudo para dissociar do salrio mnimo o salrio-base da Previdncia.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.