Abandonada pela família, a avó de Michelle Bolsonaro é socorrida pelos vizinhos

e perto de ...

Avó de Michelle Bolsonaro mora numa favela de Brasília

Vicente Limongi Netto

Revoltante, triste, vergonhoso, degradante, perturbador e inexplicável é saber que a avó da primeira-dama do país, Michelle Bolsonaro, dona Maria Aparecida Ferreira, de 80 anos, caiu na rua onde mora, com suspeita de coronavírus. Dona Maria não foi socorrida nem levada ao hospital por familiares, como seria o esperado, mas por vizinhos, publicou hoje, dia 2, o Correio Braziliense. A companheira inseparável de dona Maria são duas muletas. “Ela parece que não tem família, fica jogada aqui”, revelou um indignado vizinho. Na última entrevista que deu, dona Maria Aparecida disse que seu maior sonho era visitar a neta, que morou na casa dela durante muitos anos.

Nenhum ser humano, sobretudo idoso, merece passar por tamanho descaso. E me desculpem os mais severos e exigentes. Parece chatice, mas permaneço certo de que não preciso alterar nem vírgulas dos meus textos antigos sobre o clã Bolsonaro. Nessa linha, o que escrevi abaixo é de 23 janeiro de 2019. Não faz sentido trocar alguma coisa.  Os fatos contam tudo. O título é o mesmo.

###
ÁGUAS TURVAS PARA O CLÃ BOLSONARO

Bolsonaro está em desvantagem no arranca rabo com a Folha de São Paulo e Grupo Globo. Com juras de amor à democracia e a liberdade de expressão, logo que assumiu o cargo, o presidente mostra que não foi feliz ao afirmar que certos veículos de imprensa não teriam mais vida mansa com verbas polpudas de anúncios do governo.

Piorando as coisas, Bolsonaro, a primeira-dama e os filhos dão entrevistas para todo mundo. Até para o jornalzinho do colégio onde estudaram. Menos, porém, para a Folha de São Paulo e Globo.

NA PÁGINA DE POLÍCIA – Nessa linha, agravando e entornando mais ainda o caldo, surge em cena, em palpos de aranha, o filho e senador eleito Flávio Bolsonaro, para esclarecer contas bancárias reveladas pelo Coaf e vazadas para o Jornal Nacional. Para a Folha e Grupo Globo, já em pé-de-guerra com Bolsonaro, juntou a fome com a vontade de comer. Ambos vão tirando o couro de Flávio Bolsonaro aos pouquinhos, sem dó e piedade.

O senador Flávio se irrita com o noticiário desfavorável. Mas não pode impedir a publicação dos fatos. Folha e Globo, principalmente o Jornal Nacional, se esmeram em exibir novas denúncias, e o mais grave: refutam com vasta munição as explicações do jovem senador carioca. Quanto mais Flávio estrebucha, mais cai na esparrela perigosa do nada esclarecido e do ninguém se convenceu do que o acusado argumenta.

TEMPERATURA MÁXIMA – Os ânimos estão cada vez mais exaltados entre Flávio, Globo e Folha. A esta altura, outros meios de comunicação já engrossaram a pauta. A ordem é demonizar o filho do presidente. Se Bolsonaro, pai, filhos e auxiliares em geral, não querem virar notícias tristes e desagradáveis, que trabalhem para evitar que elas aconteçam.

O fato é que Bolsonaro depois de eleito, errou feio ao olhar torto e ressentido para a imprensa, tida por ele como “inimiga”. Bolsonaro destravou a língua com acidez e gosto de vingança anunciada. Atirou, a meu ver, no próprio pé.

Pode-se não gostar do Grupo Globo e do jornalismo pretensioso com mania de dono da verdade que pratica.  Contudo, é inegável que toda cobertura ou campanha da emissora tem mais repercussão, boa ou ruim, do que todos os outros canais juntos.

FILME REPRISADO – Os mais velhos já viram esse filme. O papai Bolsonaro vai começar a estrilar em defesa da cria. Natural e compreensivo. Será um pena. Perderá o foco do que exortou em Davos, com patriotismo, firmeza e otimismo, a favor de dias melhores para o Brasil e brasileiros. A esta altura do jogo pesado, sem previsão para acabar, quem se delicia, de camarote, são os desafetos e opositores do presidente eleito e consagrado nas urnas como a última chama de esperança para os cansados e sofridos brasileiros.

12 thoughts on “Abandonada pela família, a avó de Michelle Bolsonaro é socorrida pelos vizinhos

  1. Age exatamente como é o padrão tanto de traficantes quanto de milicianos. Embora eles próprios se cercam de todos os confortos, não dão a mínima cobertura para seus ancestrais. Mas para aparecer bem aos eleitores, JB é “família”, gosta tanto q já está no terceiro casamento. Gosta tanto q encaminhou a ex esposa e três filhos, para a política! Mandou algum p o exército? Jamais! E ainda faltam dois anos.

  2. Não vejo o artigo de Limongi como especulativo ou que não se deva dar a importância devida ao seu conteúdo, o abandono de uma anciã, simplesmente avó da primeira-dama!

    Independente de parentesco com a família Bolsonaro, a falta de consideração e até mesmo de compaixão pelos idosos é repudiável, altamente criticável, infringindo, inclusive, o Estatuto dos Idosos, uma série de regras que não são cumpridas.

    Michelle deveria e teria a obrigação de cuidar da sua avó.
    Se não gosta da senhora, se não a quer por perto, nada contra, pois deve ter as suas razões, e que a ninguém importa ou tem a ver com essa questão.

    Mas, a bela primeira-dama tem uma imagem a zelar, precisa considerar que representa as mulheres no governo e, nesta condição, jamais poderia deixar que viesse à tona o seu descaso por um familiar tão próximo, consanguíneo.

    Nesse aspecto, a crônica de Limongi merece o meu aplauso e concordância, mesmo que à primeira vista não seja assunto de Estado, porém originária e exclusivamente pessoal.

    Acontece, que o presidente e sua digníssima esposa têm obrigações e responsabilidades com o país e à sociedade.
    Se não estão preocupados com seus familiares, precisariam demonstrar respeito aos idosos, pelo menos, onde nesta nação atingiram o patamar de descartáveis, um crime, indiscutivelmente.

    Mais a mais, com tanto dinheiro que Bolsonaro angariou como deputado federal, somado ao soldo de ex-capitão do Exército e, agora, os proventos de presidente da República, comportaria comprar uma casa humilde para colocar essa senhora, além de contribuir com um auxílio, lá pelas tantas um salário mínimo, SE É QUE JÁ NÃO ESTEJA FAZENDO O QUE SUGIRO!

    Até porque, os idosos são teimosos.
    Gostam de estar nos locais onde vivem por muito tempo. Têm amigos, conhecidos, eles são respeitados …

    Mesmo assim, esta senhora deveria ser monitorada de tempos em tempos, caso Michelle queira se manter afastada.

    Enfim, trata-se de um episódio que corrobora o que penso a respeito do presidente:
    a sua ojeriza pelo pobre e miserável, pois a existência de mais de 60 milhões de pessoas nessa condição, atesta o desprezo do Planalto por essas pessoas, por esses cidadãos, por esses brasileiros, por esses seres humanos!

    Oportuno e pontual artigo, Limongi.

    Abraço.
    Saúde e paz.
    Te cuida!

  3. Sétimo parágrafo, terceira linha, do meu comentário acima, o correto é COMPORTARIAM, e não como está, no singular.

    Grato pela compreensão, e perdoem a minha falha.

  4. Alfinete, como este assunto não é novo e já foi abordado há vários meses, tratá-lo como uma simples fofoca não convence.

    Mas o problema é pessoal e não tenho opinião formada sobre os outros.
    A diferença é que, no meu caso, tratei minhas duas avós, que não mais estão vivas, com um carinho muito especial, ainda mais considerando as idades e dependências financeiras.

    Reconheço que o problema é de cada um, inclusive se o discurso não combina com a prática.
    Não vou emitir nenhum julgamento, mas tratar este assunto como fofoca é estar fora de sintonia.
    Será invenção de algum comunista?

  5. Este assunto já foi tratado, certa vez, pela imprensa, É também avó de Bolsonaro por afinidade. E pensar que votei neste traste (votei não, coloquei na urna)

    Pergunto qual é o mais letal: O COVID-19 ou o BOLSO-VIRUS

  6. Passado ano e meio e o boçal ainda não se deu conta de que os tempos são outros. O estúpido não sacou que até o governo passado o Judiciário, o Legislativo e a mídia estavam de mãos dadas com o governo, aí o presidente governava como um rei, tinha tudo o que queria. Hoje o não entende como não lhe fazem todas as vontades, como ministros dos tribunais superiores não lhe são subservientes, como deputados e senadores lhe mordem a mão em vez de beijá-la como faziam antes. O boçal se enganou de tempo, tempo que ele mesmo fez questão de mudar.

  7. Vão voltar de novo a bater nesta mesma tecla? Está faltando criatividade. Esta mulher tem dignidade a toda prova. Não precisa de peninha de ninguém. E tem a vida dela. A mulher de Bolsonaro é pessoa pobre. Acham que só porque o marido está Presidente agora os parentes devem viver no luxo? Como, se são pobres? Só se Bolsonaro fosse roubar para sair distribuindo “vantagens indevidas” igual a certas criaturas que até já foram presas.

  8. Obrigado, Bendl, pela acolhida. O que me assusta mais ainda, meu caro, é sabermos que a pobre idosa é neta de figura importante e poderosa da República! Não tenho prazer nem gosto de tratar de penosos assuntos como esse. Mas fico com o coração apertado e aflito com tamanha falta de respeito. abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *