Aberto o saco de maldades

Carlos Chagas

O que significa a proposta anunciada pelo novo ministro do Planejamento, de novas regras para o salário mínimo? Com perdão palavra, é trolha que vem por aí. Como sempre, penalizando os pobres e os humildes, no caso, quem consegue sobreviver com 788 reais por mês. Pois vai ficar pior. Segundo Nelson Barbosa, os reajustes do salário mínimo ainda serão superiores à inflação…

Dá para traduzir ajuste fiscal como algo diferente do que aumentar impostos? É o que também se prevê, assim como cortes nas despesas sociais. Jamais, é claro, nos recursos destinados a pagar juros ou a saldar débitos externos.

Num estalar de dedos o país toma conhecimento do que será o segundo mandato de Dilma Rousseff, porque apesar das promessas de não recuar um milímetro na preservação dos direitos sociais, a presidente assinou medida provisória cortando pela metade o abono salarial, o salário-desemprego, o auxílio-doença, as pensões pela morte de um cônjuge e até os benefícios para os pescadores proibidos de pescar.

Vale aguardar mais peças do conteúdo do saco de maldades aberto pelo novo governo todos os dias, começando na véspera da posse e seguindo impávido no rumo da desconstrução de uma sociedade mais justa. Calaram as forças que poderiam opor-se a esse massacre do PT aos sindicalistas. As oposições parlamentares nada farão, pelo menos até que o esbulho se estenda às classes privilegiadas. Enquanto isso, com as exceções de sempre, os ministros recém-nomeados batem cabeça, reconhecendo nada ter a ver com os setores para os quais foram escolhidos. É constrangedor citá-los. Mais responsáveis do que eles e os partidos que os impuseram será a presidente da República, que os nomeou.

EXPLICAÇÃO HILARIANTE

No capítulo da corrupção, com ênfase para o escândalo na Petrobras, chega a ser hilariante a explicação de que deveu-se a uns poucos maus funcionários e à pressão de forças externas. Estas sempre existiram,  aqueles integram a parte visível da quadrilha que ocupou o poder para transformá-lo na caverna do Ali Babá, não obstante os protestos do já agora ex-ministro Gilberto Carvalho em seu canto de cisne. Ladrões existem, são identificados e continuarão agindo à luz do dia, pertençam ao PT, ao PMDB, ao PP, PR e penduricalhos.

Logo depois de sua primeira posse, Dilma conseguiu livrar-se de seis ministros envolvidos na roubalheira, mas quatro anos depois eles tinham voltado a influir no governo, diretamente ou através de prepostos. Participaram ativamente da montagem do segundo ministério.

Outra vez a conta da incúria vai para os menos favorecidos e, em pouco tempo, atingirá a classe média. Trata-se de uma questão de tempo saber onde a corda se romperá.

2 thoughts on “Aberto o saco de maldades

  1. As medidas impopulares sempre ocorrem quando a crise bate a porta dos governos. Começam pelas classes menos favorecidas, depois atingem a classe média e por fim alcançam os ricos, os últimos a sofrerem os impactos das ações destinadas ao socorro do Tesouro.

    Reparem bem, que para aliviar o caixa da Previdência, aumentou o tempo da licença médica, que pulou de 15 para 30 dias. Os empresários terão que arcar com mais esse pagamento. No entanto, o ganho nesse caso será muito pouco, porque o tempo de permanência nos hospitais após as cirurgias não passa de quatro dias e a recuperação está em torno de 10 dias. Portanto, quando estipularam o tempo de 15 dias, não o fizeram aleatoriamente.

    Agora, as outras medidas repercutirão no consumo das famílias e consequentemente na economia. Comprando menos, a recessão e o desemprego virão na certa. A economia capitalista tem seu pilar na compra e na venda. Quanto mais consumo, mais desenvolvimento e prosperidade. O comércio e a indústria são obrigados a expandir seus negócios para suportar a demanda. Não é a toa, que o governo em 2014, reduziu o IPI dos carros e promoveu uma ampla renúncia fiscal em setores estratégicos, além de alocar recursos gigantescos através de aportes do Tesouro ao BNDES para que este Banco público pudesse emprestar a juros subsidiados aos empreendedores nacionais e empreiteiras.

    Pelo andar da carruagem, os empresários terão que recorrer aos empréstimos bancários, se quiserem investir em seus negócios, isso é o que se depreende das primeiras medidas da equipe econômica para valer em 2015.

    O inconsciente coletivo já absorveu as primeiras medidas anunciadas, tanto que os shoppings do Rio de Janeiro nessa primeira semana do ano se encontravam vazios. Se bem, que muitos consumidores ainda estão curtindo a semana do ócio com dignidade nas regiões serranas e nas praias da costa. Vamos aguardar o retorno dessa imensa população consumidora.

    O ideólogo do capitalismo, Adam Smith dizia que a mão invisível faz com que o padeiro produz o pão, o trabalhador compra, o agricultor planta o trigo, a logística transporta o trigo para as cidades. Quantos empregos são criados somente nessa cadeia produtiva? Assim é e sempre será no regime que estamos vivendo. Cabe aos governos o estímulo necessário para que a relação de causa e efeito não seja quebrada em prejuízo de todos nós, membros da sociedade.

  2. Nada que um aumento no bolsa família não resolva. Vão ficar três anos detonando tudo e todos e no último ano reajustam os bondades para o povão. Depois é só assustá-los com a chegada dos malvados da oposição e tá tudo certo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *