Abgar Renault, num dia de irremediável tristeza

O professor, tradutor, ensaísta e poeta mineiro Abgar de Castro Araújo Renault (1901-1995), no poema “Balada da Irremediável Tristeza”, reconhece que não estava nada bem naquele dia.


BALADA DA IRREMEDIÁVEL TRISTEZA

Abgard Renault
Eu hoje estou inabitável…

Não sei por quê…

levantei com o pé esquerdo:

o meu primeiro cigarro amargou

como uma colherada de fel;

a tristeza de vários corações bem tristes

veio, sem quê, nem por quê,

encher meu coração vazio…vazio…

 

Eu hoje estou inabitável…

A vida está doendo…doendo…

A vida está toda atrapalhada…

estou sozinho numa estrada

fazendo a pé um raid impossível.

 

Ah! se eu pudesse me embebedar

e cambalear…cambalear…

cair, e acordar desta tristeza

que ninguém, ninguém sabe…

Todo mundo vai rir destes meus versos,

mas jurarei por Deus, se for preciso:

eu hoje estou inabitável…           

                            (Colaboração enviada por Paulo Peres – site Poemas & Canções)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *