Ação movida pelo MDB realmente pode tirar 36% do tempo de TV de Geraldo Alckmin

Geraldo Alckmin

Alckmin ainda vai se defender no TSE e diz estar tranquilo

Deu no Estadão

O candidato à Presidência Geraldo Alckmin (PSDB) pode perder 36% do seu tempo de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV caso o pedido feito pelo MDB anule parte da sua coligação nas eleições 2018. Nesta sexta-feira, 17, a campanha do ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles entrou com uma contestação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a invalidação do apoio de DEM, PP, PRB, PR, PTB e Solidariedade ao tucano.

O ex-governador de São Paulo classificou o pedido como “tapetão”. “Não há nenhuma divergência na coligação. É tapetão puro. Estive em todas as convenções”, disse o tucano após participar de um evento em São Paulo com sua vice, Ana Amélia (PP), na manhã deste sábado.

SEM OS PARTIDOS – O argumento dos advogados do MDB é de que os partidos registraram em convenção apenas o apoio ao nome de Alckmin sem formalizar o desejo de se coligar com as outras legendas que o apoiam.

Os defensores dos emedebistas alegam que o apoio à coligação tucana deveria constar “expressamente da ata o nome dos partidos coligados, a fim de que se permita aferir objetivamente a confluência das deliberações partidárias”. Por essa interpretação, só dois partidos da chapa cumpriram a exigência: PPS e PSD.

O caso vai ser relatado pelo ministro Tarcisio Vieira que deve tomar uma decisão antes do início da propaganda eleitoral, que começa dia 31 de agosto.

48% DO TEMPO – Atualmente, Alckmin tem sozinho 48% do tempo destinado à propaganda eleitoral. O segundo maior tempo é o do PT, com 20%; seguido de Meirelles com 17%.

Em termos práticos, o tucano apareceria sozinho por 5 minutos e 32 segundos dos 12 minutos e 30 segundos reservados para a apresentação dos candidatos à Presidência.

6 thoughts on “Ação movida pelo MDB realmente pode tirar 36% do tempo de TV de Geraldo Alckmin

  1. Deveriam ser solidários com o chuchu e doar tempo para ele e não tirar. Os presidenciáveis estão desesperadamente precisando de um tempinho de TV para fazer demagogia e enganar a população. Enquanto isso Bolsonaro consegue se dar ao luxo de debochar dos 15 segundos que possui e estar na frente para ser eleito.

  2. Lula amplia liderança. E se o obrigarem, a passa ao “Andrade-Haddad

    Os 37,3% das intenções de voto obtidos por Lula na pesquisa CNT/MDA significam 48,5% dos votos válidos, em candidatos.

    É o limiar de uma eleição em primeiro turno que o ex-presidente não conseguiu em suas duas vitórias, em 2002 e 2006.

    Lula tem, injuriado, perseguido, preso e calado à força, mais do que jamais teve em um disputa eleitoral.

    Este é o milagre que Sérgio Moro e a conspiração político-judicial está conseguindo.

    É o único candidato que, desde as últimas pesquisas do mesmo instituto, cresce acima da margem de erro.

    Haddad vai ter um mês para se apresentar e dizer: eu sou o cara que o Lula indicou.

    Os sabichões, que  previram um milhão de vezes o fiasco de Lula, depois de seu indiciamento, de sua condenação, de sua prisão, não sabem que o povo é muito mais esperto do que imaginam.

    Tirem-lhe Lula e ele irá, com mais força ainda, no “Andrade”.

    https://goo.gl/G4tbcb

  3. Petistas sangram com sua farsa imbecil:

    No cenário sem o Sapo Larápio, Jair Bolsonaro lidera, com 20%. Atrás dele vêm Marina Silva, com 12%, e Ciro Gomes, com 9%. Geraldo Alckmin tem 7%; Fernando Haddad, 4%.

  4. Quando o nome de Haddad é citado sozinho, ele saiu de 3% para 7% em relação ao levantamento anterior.

    Já quando Haddad é apresentado como “apoiado por Lula”, ele chega a 15% das intenções de voto e assume a vice-liderança.

    XP/Ipespe: ‘Apoiado por Lula’, Haddad se aproxima de Bolsonaro

    https://goo.gl/bu7TyC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *