Acordo celebrado entre Mandetta, Dória e Moro mostra que a candidatura de terceiro via é viável

Luiz Henrique Mandetta: "Navegar é Preciso, Viver Não é Preciso"

Henrique Mandetta é o grande articulador da terceira via

Carlos Newton

Desde o início, o ex-ministro da Saúde Henrique Mandetta, do novo partido União Brasil, vem conduzindo as articulações para lançamento de uma forte candidatura de terceira via para desfazer a polarização entre o atual presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-presidente Lula da Silva (PT).

Essas articulações se iniciaram com realização de um debate entre pré-candidatos, patrocinado pelo Estadão, que reuniu o próprio Mandetta, o governador gaúcho Eduardo Leite (PSDB) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT).

Esses debates foram interrompidos porque houve o surgimento de muitos outros candidatos alternativos e ainda falta o PSDB realizar as prévias entre os governadores João Dória, Eduardo Leite e o ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto. Mas os entendimentos conduzidos por Mandetta prosseguiram.

UM JANTAR ESPECIAL – Agora, a colunista Bela Megale, de O Globo, anuncia que Sérgio Moro está preparando as malas para voltar ao Brasil e mergulhar na sua pré-campanha à Presidência da República pelo partido Podemos.

“No jantar que Moro teve no mês passado com o ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que integrará os quadros do União Brasil, e o governador João Doria, do PSDB, ficou acertado que a prioridade seria unir forças em torno de um nome que pudesse derrotar Lula e Bolsonaro. Com isso, todos acordaram que abririam mão da disputa pela Presidência para apoiar quem estiver mais forte, à medida que as eleições se aproximem”, relatou Bela Megale.

Essa informação é da maior importância para os rumos da sucessão presidencial em 2022. Sinaliza que a terceira via não é um sonho inconsequente.

PROPOSTA DE DÓRIA – Já tendo garantido o apoio de Henrique Mandetta e Sérgio Moro, a proposta de coalizão feita pela tucano Dória deverá ser aceita pelos demais candidatos alternativos, e todos são políticos de grande prestígio e sem passado nebuloso, como os tucanos Eduardo Leite e Arthur Virgílio; o senadores Alessandro Vieira (Cidadania), Rodrigo Pacheco (PSD) e Simone Tebet (MDB); o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) e o cientista político Luiz Felipe d’Ávila (Novo).   

Uma coligação reunindo esses partidos provocará uma tempestade perfeita, como se diz atualmente, com vagalhões capazes de destruir a polarização e  atrair os votos da maioria silenciosa, que não aceita reeleger um trapalhão como Jair Bolsonaro ou um falso líder trabalhista como Lula da Silva, que implantou no Brasil o maior esquema de corrupção do mundo e criou um elevado cargo público para contratar a própria amante e levá-la em dezenas de viagens oficiais no Aerolula, no Brasil e no exterior, e com cartão corporativo para satisfazer os caprichos dela.

###
P.S.
Acredite na terceira via e compre essa briga, para mostrar que o Brasil pode e deve ter um futuro melhor. (C.N.)

7 thoughts on “Acordo celebrado entre Mandetta, Dória e Moro mostra que a candidatura de terceiro via é viável

  1. 1) Uns dizem que Terceira Via não existe… só no Brasil…

    2) Pois na Europa Ocidental vai de vento em popa… com a Social Democracia…

    3) Ora, tudo tem início, quem sabe ela pode estar nascendo no País… Tupiniquim…

    4) TVT = Terceira Via Tupiniquim…

  2. “todos são políticos de grande prestígio e sem passado nebuloso”

    Está de brincadeira (né?) Só pode…

    Abram os olhos!!!
    Tem vários com passado nebuloso nessa “terceira via”.

    Tebet, Pacheco, Moro… o próprio Mandetha.

    É só pesquisar que achar algo não é difícil.

  3. Depois do jantar com a Fabiana no Palácio do Caviar Tucano, á vaca foi para o brejo
    O amor falou mais alto….
    Num eventual (des)Governo do Mourinho com certeza a Máfia Tucanostra vai nadar de braçada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *