Acreditar em Deus pode até ser um erro, mas significa um grande alento para bilhões de pessoas

Carlos Newton
 
Todos sabem que não existe prova material da existência de Deus. No início deste século, o britânico Stephen Hawking, que era o maior físico da atualidade, produziu um documentário espetacular sobre a criação do Universo, e ao final chegou à conclusão de que Deus não existiria.A lenda urbana relata que outro gênio da Física, o alemão Albert Einstein, teria criado a sensacional frase “Deus não se importa de ser chamado de coincidência”. Porém, no final da vida, Einstein também se mostrou contrário às religiões e afirmou não acreditar num “Deus pessoal”.

DISSE EINSTEIN – Em uma carta escrita em 24 de março de 1954 ao filósofo judeu Eric B. Gutkind, o professor Einstein fez a seguinte revelação: “Foi, é claro, uma mentira o que você leu sobre minhas convicções religiosas, uma mentira que foi repetida de forma sistemática. Eu não acredito em um Deus pessoal, nunca neguei isso, mas expressei de forma clara. Se algo em mim pode ser chamado de religioso, é minha ilimitada admiração pela estrutura do mundo que nossa ciência é capaz de revelar”.

Realmente, tudo é relativo, e na carta ao filósofo  Gutkind, Einstein disse também que a palavra “Deus” nada mais era do que “a expressão e produto da fraqueza humana, e a Bíblia, uma coleção de lenda honoráveis, porém primitivas, que eram bastante infantis”.

O filósofo alemão Arthur Schopenhauer (1788-1860) também ironizava: “Se é certo que um Deus fez este mundo, não queria eu ser esse Deus: as dores do mundo dilacerariam meu coração…”

EM BUSCA DE DEUS – Quase 65 anos depois da morte de Einstein, os pesquisadores da chamada Ciência Noética continuam buscando a existência de Deus e estudando fenômenos subjetivos da consciência, da mente, do espírito e da vida, a partir de um ponto de vista rigorosamente científico.

A Noética não é nenhuma novidade. Pelo contrário, era estudada muito antes de Cristo. O Brasil, embora poucos percebam, desenvolve experiências bastante avançadas, porque é um país riquíssimo em fenômenos paranormais.

Sobre psicografia, por exemplo, cientistas da Universidade de São Paulo (USP), da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e da Universidade Thomas Jefferson, nos EUA, recentemente mediram as atividades cerebrais de dez médiuns brasileiros, por meio de um marcador radioativo que permite checar a intensidade dos fluxos sanguíneos em diferentes áreas do cérebro por meio de tomografia. E o resultado foi surpreendente.

DIZ A PSICOGRAFIA – Em comparação à escrita normal, os médiuns mais experientes apresentaram níveis mais baixos de atividade cerebral durante a psicografia, justamente em áreas frontais do cérebro, associadas ao planejamento, raciocínio, geração de linguagem e solução de problemas.

Já os médiuns menos experientes tiveram atividade mais intensa nessas mesmas áreas enquanto psicografavam, ainda que também inferior à registrada durante a escrita fora de transe. Segundo os pesquisadores, esse fato poderia estar relacionado com um esforço maior dos médiuns menos experientes para se concentrar e conseguir fazer a psicografia.

ACREDITAR EM DEUS – Em tradução simultânea, acreditar em Deus pode até ser um erro, mas é um grande alento para bilhões de pessoas, espalhadas pelo mundo, entre as quais me incluo.

Desde a infância eu era ateu e até me recusei a fazer a chamada primeira comunhão. Depois a vida foi me ensinando a respeitar as religiões – todas elas. E hoje me sinto ecumênico. Mas respeito também os ateus e compreendo plenamente a posição cartesiana deles.

Pessoalmente, porém, não consigo viver sem a presença de algo que possamos chamar de Deus. Em minha opinião, se na verdade não foi Einstein quem disse que Deus não se importa de ser chamado de coincidência, ele deveria ter dito.

DIZ A BÍBLIA – Quanto a Stephen Hawking, sua resignação, sua farta produção intelectual e sua incrível resistência à doença degenerativa que o acometia talvez sejam uma grande comprovação da existência de Deus.

Por fim, é sempre bom repetir essa citação que me foi enviada há alguns anos pelo amigo Francisco Bendl, a propósito do Natal: (João 11:25-26) “Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá. E todo aquele que vive, e crê em mim, nunca morrerá.”

###
P.S. – O fato concreto, comprovadíssimo pela Ciência e pelo Charlatanismo, é que somos todos ignorantes e não temos certeza sobre quase nada, como dizia Sócrates, 400 anos antes do nascimento de Cristo. De lá para cá, continuamos imersos em dúvidas. (C.N.)                                    

20 thoughts on “Acreditar em Deus pode até ser um erro, mas significa um grande alento para bilhões de pessoas

  1. Aplaudo o Editor em deixar a política momentaneamente de lado, ainda mais no fim do ano, quando precisamos refletir sobre a vida fazendo uma retrospectiva do que tem sido a nossa existência, e projetá-la para mais um ano que está nascendo.

    A cada afirmação que Deus não existe, é a prova que Deus existe!

    Cartesianamente falando, ou seja, de maneira absolutamente racional, a espécie humana é indiscutivelmente uma obra que excede a junção ocasional de ingredientes químicos e naturais, surgindo um ser pensante.

    De modo que eu não me alastre em conceitos, basta observarmos o seguinte:
    Jamais a coincidência natural colocaria o macho e a fêmea surgidos no mesmo local;
    Jamais a coincidência natural saberia como definir o macho da fêmea, surgidos no mesmo local, antes que um ou outro desaparecesse;
    Jamais a coincidência natural saberia que, a preservação dessa nova espécie precisaria de duas pessoas não só diferentes, antagônicas, física e espiritualmente opostas mas, ao mesmo tempo, um atraído pelo outro pelo desejo e amor.
    Jamais a natureza teria a percepção de, coincidentemente, ter consciência que aquele novo ser precisaria imediatamente de outro para sobreviver e dar prosseguimento à espécie;
    Jamais a natureza poderia criar o homem, por exemplo, e imediatamente a mulher ou vice-versa, a menos que esta natureza chama-se Deus!

    Dito isso, acreditar em Deus reúne – assim como o macho e a fêmea, absolutamente distintos – a crença na limitação da espécie, simultaneamente à sua ilimitada imaginação, que conduz o corpo lento e pesado para viagens rápidas em quaisquer circunstâncias – e me refiro à nossa capacidade de adaptação exclusiva neste mundo, e à nossa criatividade.

    Deus ou forças divinas têm sido cultuados desde os primórdios do surgimento do homem.
    Há uma estreita comunicação com alguém que sabemos, antecipadamente, ser muito superior, poderoso, inatingível e inalcançável.
    Afora um sentimento que nos impele à crença, à fé.

    Para que fomos criados; por que nascemos neste planeta; para onde vamos depois são as mais conhecidas indagações que nos arrancam os cabelos para respondê-las.

    A meu ver, a resposta está em nós mesmos:
    Os animais irracionais não têm como se colocar no contexto universal porém, o ser humano não somente tem conhecimento da sua importância como possui o poder de mudar a vida tanto sua quanto a de outras pessoas!

    Somos agentes de felicidades ou de sofrimentos.

    Anjos caídos nesse planeta, onde retornaremos ao nosso lugar de origem depois que expiarmos nossos erros e omissões não pelos malfeitos, mas pelo fato de não termos utilizado as forças que temos para fazer o bem!

    Enquanto não nos conscientizarmos que somos deuses, que podemos alterar a realidade e a existência de cada um de nós e de todos, ao mesmo tempo, continuaremos a nos dedicar erroneamente a cultuar um ser superior, enquanto esse ente incomparável está dentro de cada um de nós.

    Exemplo?
    Os genocidas, que mataram milhões de seres humanos por que maus;
    os salvadores da humanidade que inventaram os remédios, o restabelecimento do homem quando acometido de doenças;
    O amor, que une antagônicos – homem e mulher – e, desta união, a preservação da espécie e as relações íntimas, o sexo, a função mais importante e prazerosa que somente os humanos a possuem (lembro que os animais têm seus tempos para o acasalamento, o cio).

    Enfim, essa inteligência, capacidade de adaptação, engenhosidade, criatividade, sentimentos positivos e negativos, emoções, sensações, desejos, vontades, razão e sensibilidade, a natureza não teria como concentrar essa gama de variáveis numa só pessoa.

    Negar a Deus é negar a si mesmo.

    E se é muito difícil acreditar que Deus exista, mesmo assim, então nos lembremos que podemos fazer o nosso próximo feliz, que fará o seu próximo feliz … até chegar a nossa vez de alguém nos fazer feliz!

    Por suprema ironia, talvez um apurado senso de humor divino, o nosso próximo está mais próximo que imaginamos, tanto antes da nossa existência como durante a nossa vida, e até depois da nossa partida:
    Nossos pais (Honrar pai e mãe);
    Nossa esposa;
    Nossos filhos;
    Nosso legado.

    Excelente artigo do Editor.

    Meu reconhecimento pela sua qualidade e, principalmente, pelo fato de nos fazer pensar, meditar, refletir, a respeito do que podemos fazer de útil para o ser humano viver melhor e, consequentemente, vivermos com mais enlevo, certezas, razões, do que dúvidas, separações e ódio.

  2. Não pertenço a nenhum grupo religioso mas tenho certeza absoluta da existência de Deus por uma razão muito simples: NUNCA VI EFEITO SEM CAUSA. Basta imaginar a imensidão do universo ou pensar na complexidade do nosso próprio raciocínio para perguntar: DE ONDE VEIO TUDO ISSO? Aí está DEUS. Nada sei sobre Ele, como também não fui programado para compreender e imaginar o infinito. Também não tenho capacidade de entender como existe o MAL, que vive brigando com o BEM dentro de nós. Mas uma coisa é certa: SE EXISTIMOS é porque alguém nos criou.

  3. O Empirismo ainda é uma lente, através da qual, o ser humano pode responder a vários questionamentos. E, em muitos casos, cabe apenas ao conhecimento Científico confirmar as nossas impressões organolépticas ou empíricas.
    -Quando criança, eu costumava perguntar a minha mãe: Mamãe, por que homem careca é doidinho pra morrer de ataque de coração? Resposta: Não sei, meu filho!
    Não faz muito tempo, um cientista japonês provou que a minha observação tinha fundamento!
    -Um pouco mais tarde, fui percebendo que aquelas pessoas que vivem fingindo estar tudo bem, elas são chegadas a tragédias. Sabe aquele tipo: quando você vai abrindo a boca para adverti-lo acercar de uma ameaça real ou verossímil, e ele vai logo cortando: “Quem, eu não? Huuuum, Deus tá no controle, comigo não acontece essas coisas, eu só penso positivo. Tá amarrado, bato na madeira!!!! É aquela espécie de gente que costuma fazer tudo fácil, e tacha os que têm senso de realidade: de pesimistas e negativistas. “Ei, oba, oba, essa eu já ganhei na moleza!”
    Para a minha recompensa, recentemente, saiu um estudo estabelecendo um nexo de causalidade entre causa e consequência do perfil descrito, no parágrafo anterior. Mais uma vez este nordestino cabeça de gerimum adivinhou.
    Ou seja: a melhor fórmula de desmascarar, também essas verdades prontas é o pensar, comparar e induzir os outros a compararem também. E se, a partir dessa quebra de conceito, resultar em um modelo: logico, utilitarista, proveitoso e convincente. Teremos uma “nova verdade” em voga. Embora saibamos que uma disruptura não seja fácil de deflagrar: aquele que está ameaçado de se tornar obsoleto vai resistir com todas as armas. Vejam a dureza que foi o desmonte da telefonia a cabo, para se estabelecer a celular. O velho é teimoso e não permite ser lançado na lixeira dos profligados e caducos!

  4. AGNÓSTICO TEÍSTA me parece ser a minha praia, o meu clube, que flerta tb com o clube dos e das perfeccionistas, ao que parece à luz da minha ignorância. Logo, não duvido da existência de Deus, ou Comissão de Deuses e Deusas operando em todo o Universo. Baixando a bola para o nosso planetinha, que se não for um paraíso eu não sei o que pode ser um paraíso aos olhos humanos, em que pese mal utilizado e maltratado por muitos e muitas que sujam até mesmo no prato que comem. Pegue o Planeta Terra (a meu ver, planeta vida), como se fosse o Grande Adão, pegue a Mãe Natureza, como se fosse a grande Eva, e pegue as Energias Cósmicas, como se fosse o Divino Espírito Santo, e vc tem ai uma perfeita Santíssima Trindade, sem as quais não existiria vida humana ou animal nenhuma no Planeta e nem no universo. E, a meu ver, é por ai que reside o nosso Deus, que interage conosco o tempo todo, que nos coloca no lugar certo na hora certa e no lugar errado na hora errada (sorte e azar), conforme as nossas súplicas e merecimentos..

  5. Esse poema atribuído a Spinoza, mas que na verdade faz parte de um livro de um mexicano, reflete para mim, o que é Deus.

    “Pare de ficar rezando e batendo no peito! O que quero que faça é que saia pelo mundo e desfrute a vida. Quero que goze, cante, divirta-se e aproveite tudo o que fiz pra você.

    Pare de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que você mesmo construiu e acredita ser a minha casa! Minha casa são as montanhas, os bosques, os rios, os lagos, as praias, onde vivo e expresso Amor por você.

    Pare de me culpar pela sua vida miserável! Eu nunca disse que há algo mau em você, que é um pecador ou que sua sexualidade seja algo ruim. O sexo é um presente que lhe dei e com o qual você pode expressar amor, êxtase, alegria. Assim, não me culpe por tudo o que o fizeram crer.

    Pare de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo! Se não pode me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de seus amigos, nos olhos de seu filhinho, não me encontrará em nenhum livro.

    Confie em mim e deixe de me dirigir pedidos! Você vai me dizer como fazer meu trabalho?

    Pare de ter medo de mim! Eu não o julgo, nem o critico, nem me irrito, nem o incomodo, nem o castigo. Eu sou puro Amor.

    Pare de me pedir perdão! Não há nada a perdoar. Se eu o fiz, eu é que o enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos, de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio. Como posso culpá-lo se responde a algo que eu pus em você? Como posso castigá-lo por ser como é, se eu o fiz?

    Crê que eu poderia criar um lugar para queimar todos os meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade? Que Deus faria isso? Esqueça qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei, que são artimanhas para manipulá-lo, para controlá-lo, que só geram culpa em você!

    Respeite seu próximo e não faça ao outro o que não queira para você! Preste atenção na sua vida, que seu estado de alerta seja seu guia!

    Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso. Esta vida é só o que há aqui e agora, e só de que você precisa.

    Eu o fiz absolutamente livre. Não há prêmios, nem castigos. Não há pecados, nem virtudes. Ninguém leva um placar. Ninguém leva um registro. Você é absolutamente livre para fazer da sua vida um céu ou um inferno.

    Não lhe poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso lhe dar um conselho: Viva como se não o houvesse, como se esta fosse sua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir. Assim, se não houver nada, você terá usufruído da oportunidade que lhe dei.

    E, se houver, tenha certeza de que não vou perguntar se você foi comportado ou não. Vou perguntar se você gostou, se se divertiu, do que mais gostou, o que aprendeu.

    Pare de crer em mim! Crer é supor, adivinhar, imaginar. Eu não quero que você acredite em mim, quero que me sinta em você. Quero que me sinta em você quando beija sua amada, quando agasalha sua filhinha, quando acaricia seu cachorro, quando toma banho de mar.

    Pare de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra você acredita que eu seja? Aborrece-me que me louvem. Cansa-me que me agradeçam. Você se sente grato? Demonstre-o cuidando de você, da sua saúde, das suas relações, do mundo. Sente-se olhado, surpreendido? Expresse sua alegria! Esse é um jeito de me louvar.

    Pare de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que o ensinaram sobre mim! A única certeza é que você está aqui, que está vivo e que este mundo está cheio de maravilhas.

    Para que precisa de mais milagres? Para que tantas explicações? Não me procure fora. Não me achará. Procure-me dentro de você. É aí que estou, batendo em você.”

  6. Apesar de todo o meu ceticismo em relação à qualquer tipo de crença ou mesmo fé religiosa, não posso deixar de admirar e aplaudir tão belo poema, Sr.Jose Vidal. Parabéns!

  7. Do sábio provérbio mineiro: “Cautela e canja de galinha, não fazem mal a ninguém”. Antes de fazermos determinadas afirmações, é prudente acrescentarmos ressalvas, tal como: Nestas Circunstâncias!
    Um náufrago, em situação de desespero, na ausência de bóias, ele se agarra até num porco-espinho.
    -Depois que a minha mãe se converteu no protestantismo, ela tomou ódio e deixou de falar com os parentes espíritas e umbandistas; mesmo alguns que outrora ela tomava bênção. Eis que lhe surgiu um inchaço, nos pés. Após consultar diversos médicos, sem sucesso, pediu que eu a levasse a Belém.
    Na capital paraense, a minha tia ali residente, apresentou a minha genitora a um pai de santo (Sr. Padilha), com quem ela se tratou.
    Moral da História:
    -Procurou Belém, para não mostrar a cara aos “irmãos” da cidade onde residia (hipocrisia e falsa fé).
    -Quando a chapa esquenta, qualquer paliativo serve. Ou seja: o diabo jogando no meu time (Vasco) é o meu próprio Deus.

  8. Uma grande mentira não pode ser um grande alento. É para manobra de massa.
    “Deus ou forças divinas têm sido cultuados desde os primórdios do surgimento do homem.
    Há uma estreita comunicação com alguém que sabemos, antecipadamente, ser muito superior, poderoso, inatingível e inalcançável.
    Afora um sentimento que nos impele à crença, à fé.”
    Nao podemos existi sem o criador, mas quem criou o criador, quem criou o criador do criador
    O filósofo alemão Arthur Schopenhauer (1788-1860) também ironizava: “Se é certo que um Deus fez este mundo, não queria eu ser esse Deus: as dores do mundo dilacerariam meu coração…
    ”P.S. – O fato concreto, comprovadíssimo pela Ciência e pelo Charlatanismo, é que somos todos ignorantes e não temos certeza sobre quase nada, como dizia Sócrates, 400 anos antes do nascimento de Cristo. De lá para cá, continuamos imersos em dúvidas. (C.N.)
    Religião é uma grande, estupida e maléfica exploração da ignorância humana.

Deixe uma resposta para Antonio Rocha Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *