Acredite se quiser! País vive atmosfera semelhante àquela que marcou o desfecho de 31 de março

Julgamento contra Bolsonaro e Mourão no TSE é adiado; entenda ações que pedem cassação da chapa - BBC News Brasil

Bolsonaro e Mourão já estão rompidos e apenas se aturam

Pedro do Coutto

O editorial da primeira página da edição de domingo da Folha de São Paulo, a reportagem de Gustavo Uribe e Júlia Chaib, o artigo de Jânio de Freitas e o espaço que Élio Gaspari ocupa aos domingos, tanto em O Globo quanto na Folha, acentuam que o governo Jair Bolsonaro está vivendo uma crise gravíssima. destacada por impasses e contradições que criaram uma atmosfera política igual a aquela que marcou o desfecho de 1964 que culminou coma queda do presidente João Goulart.

A densidade desta fase ao mesmo tempo em que eleva a temperatura do país também assinala uma desorganização quase geral, que está tolhendo os passos do presidente da República e assinalando que há pedras no seu caminho, como na poesia de Drummond.

MAIS DIVERGÊNCIAS – Os repórteres Gustavo Uribe e Júlia Chaib destacaram as divergências entre Bolsonaro e Hamilton Mourão decorrente da posição do vice em relação a Amazônia e a irredutibilidade de Bolsonaro para forçar uma situação capaz de levar Ricardo Salles a sair do Ministério do Meio Ambiente.

A meu ver, já deveria ter saído ha muito tempo, pois só fornece argumentos que agravam o problema do desmatamento e das queimadas. O vice-presidente da República propôs a organização de um sistema com base militar para representar o Brasil na reunião do meio ambiente marcada para o ano que vem.

O presidente Bolsonaro entretanto, colocou nas redes sociais que o Ministro Salles será o representante brasileiro na conferência. Com isso, o general Mourão sentiu-se desprestigiado.

TEXTO DEVASTADOR – O editorial da Folha foi um dos tetos mais violentos e também realistas contra Jair Bolsonaro, a quem o jornal chama de assassino por sua posição negativa no combate a pandemia do coronavírus. O artigo frisa também que passou de todos os limites a estupidez do presidente da República. Chega de molecagens no caso da vacinação, disse o artigo.

Jânio de Freitas ataca Bolsonaro e estende a ofensiva ao general Augusto Heleno, por ter mobilizado a Agência Brasileira de Inteligência no sentido de anular o processo que tramita na Justiça contra o senador Flávio Bolsonaro. É um escândalo, caso de impeachment, a conduta da presidência da República num assunto criminal que envolve o senador, enfatizou o jornalista.

Elio Gaspari parte também para o ataque, apontando a incapacidade do presidente em administrar o país. E acrescenta que, além de tudo, Bolsonaro está estudando uma forma de substituir Ernesto Araújo no Ministério das Relações Exteriores.

TEMPESTADE INSTITUCIONAL – Como se verifica, estamos atravessando uma verdadeira tempestade institucional, fomentada pela convergência dos interesses públicos legítimos com os interesses particulares, área em que também estão situados Fabrício Queiroz e sua mulher no caso das rachadinhas.

A estrada de saída está cada vez mais estreita e flutua no ar a sensação quase febril de uma ruptura dentro da democracia, na qual talvez o general Hamilton Mourão seja um caminho democrático, institucional e praticamente inevitável, através de um impeachment.

16 thoughts on “Acredite se quiser! País vive atmosfera semelhante àquela que marcou o desfecho de 31 de março

  1. Jânio de Freitas e Elio Gaspari, não são jornalistas
    com critérios de razoabilidade. São passionais, com pendor esquerdistas.
    Destes dois não se pode esperar seriedade nas opiniões.

  2. Uma comparação um tanto quanto distanciada. Segundo o meu saudoso genitor, o pivô do golpe de 64 teria sido a efervescência sindical. Eu acreditava porque, como ele foi militar, suponho obter informações com uma certa credibilidade. Cadê os sindicatos, todos encabrestados pela pandemia e por medo do Bozó?

  3. Segundo meu pai de santo, a queda do Bozô Mangalarga vai ocorrer nos idos de janeiro, antes de o Panzuello vacinar o Brasil inteiro.
    Vou continuar macumbando.

  4. BOÇALNATO NÃO DEVERIA SER SÓ EMPICHADO. DEVERIA SER PRESO. ELE TEM GANHO, DE LONGE, O TÍTULO DE PIOR PRESIDENTE QUE ESTE POBRE BRASIL JÁ TEVE. É UM IDIOTA COMPLETO. O QUE TERÁ NA CABEÇA QUEM VOOU NUM TRASTE DESSE? DEVE SER COCÔ.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *