Acredite se quiser: quatro servidores públicos foram presos por desviar dinheiro no esquema do Ministério do Turismo

A Agência Brasil informa que a Polícia Federal prendeu sexta-feira cinco pessoas, sendo quatro servidores públicos, acusados de desviar verbas públicas relacionas à reforma do Parque Mutirama, em Goiânia. Também foram apreendidos cerca de R$ 8 mil em dinheiro, computadores portáteis (laptops), CDs, pendrives e tablets (computadores em formato de prancheta, sem teclado físico). De acordo com a PF, os servidores presos atuavam na Agência Municipal de Obras da prefeitura da capital goiana.

Ao todo, foram expedidos pela 5ª Vara da Justiça Federal no estado seis mandados de prisão e oito de busca e apreensão. O inquérito tramita em segredo de Justiça. Segundo o Ministério Público Federal em Goiás, a reforma do Parque Mutirama está orçada em R$ 80 milhões, dos quais R$ 55 milhões são oriundos de convênios firmados entre o município e o Ministério do Turismo.

Desde janeiro de 2010, o Ministério Público Federal investiga irregularidades relacionadas às obras. Durante as apurações, o órgão identificou divergências entre os serviços efetivamente executados pela empresa Warre Engenharia Ltda. e os descritos nos boletins de medição, que documentam a evolução físico-financeira da obra e com base nos quais são feitos os pagamentos.

De acordo como MPF, a Warre Engenharia Ltda. recebeu pagamentos por serviços que não executou. Conforme o MPF, até agora foram aplicados na obra R$ 9,6 milhões, sendo que pelo menos R$ 2 milhões (21,76% do total) foram desviados. Além de servidores públicos da Agência Municipal de Obras de Goiânia, estão envolvidos nas fraudes alguns engenheiros da empresa Warre.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *