Acusado de injria racial por garonete, Frederick Wassef nega e se diz “vitima de uma farsa”

Garonete afirmou que foi chamada de macaca por Wassef

Marcelo Rocha
Folha

Atendente da Pizza Hut localizada em um shopping de Braslia registrou na Polcia Civil um boletim de ocorrncia contra o advogado Frederick Wassef por injria racial. Wassef foi advogado da famlia do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A garonete Danielle da Cruz Oliveira, de 18 anos, procurou a 1 Delegacia de Polcia de Braslia na noite desta quarta-feira, dia 11, e afirmou que foi chamada de macaca por Wassef durante seu expediente no estabelecimento comercial. Em nota, Wassef negou a acusao, disse que vtima de denunciao caluniosa e que registrar uma ocorrncia na polcia contra a denunciante. “No chamei ningum de macaco”, afirmou.

ACUSAO – De acordo com Danielle, Wassef esteve no estabelecimento no domingo dia 8, por volta das 21h, e reclamou da pizza consumida no local: Essa pizza no t boa. Voc comeu?, narrou ela na delegacia. No que respondeu no, Danielle afirmou que o advogado retrucou dizendo voc uma macaca! Voc come o que te derem.

A garonete afirmou ainda ter dito que ele no melhor do que ningum, voc o nico que reclamou da pizza. Na verso dela, o advogado disse de onde eu venho, serviais no falam com o cliente, deixando o local em seguida.

Eduardo Alves dos Santos, gerente da pizzaria, esteve na delegacia e reforou o relato de Danielle. Ele disse aos policiais ter ouvido claramente Wassef chamando a funcionria de macaca e a humilhando.O gerente disse ainda que tentou falar com o advogado na sada, alertando-o que aquilo seria um caso de polcia, mas que Wassef no deu ouvidos e foi embora. Eduardo afirmou ainda que incentivou Danielle a registrar o boletim de ocorrncia.

ARROGNCIA – A garonete afirmou que o advogado cliente frequente do estabelecimento, porm conhecido por se tratar de uma pessoa arrogante e que destrata e ofende funcionrios. E, segundo ela, no foi a primeira vez que lhe dirigiu agresses verbais.

Na verso de Danielle, Wassef disse em outra ocasio que no queria ser atendido por ela porque negra, tem cara de sonsa e no saberia anotar o pedido. E que o advogado chegou a jogar no cho uma das caixas vazias do mostrurio, mandando ela pegar.

Apura-se o caso de injria racial, especificado no artigo 140 do Cdigo Penal. quando uma ou mais vtimas so ofendidas pelo uso de elementos referentes raa, cor, etnia, religio e origem. O tipo penal crime inafianvel, com pena de recluso de um a trs anos, tambm com multa.

“MENTIRAS” – Wassef afirmou que “tudo o que foi dito pela funcionria da Pizza Hut so mentiras e calnias. “Sou vitima de uma farsa e armao montada”, afirmou. “Sou vitima de denunciao caluniosa que foi organizada sob orientao de terceiros visando futura ao indenizatria para ganhar dinheiro atravs desta fraude arquitetada”.

“A funcionria no negra e mentiu afirmando que eu a chamei de negra e por isto no queria ser atendido por ela. Foi fazer um boletim de ocorrncia trs dias aps o fato narrado e levou fotgrafo para tirar sua foto na delegacia fazendo o B.O. e divulgou para a imprensa imediatamente.”

De acordo com ele, havia seguranas no local e que, se fosse verdade o que a funcionaria afirma, ele teria sido preso e e filmado com celulares. Ele disse tambm que Danielle estava sozinha no caixa e ningum estava perto.

7 thoughts on “Acusado de injria racial por garonete, Frederick Wassef nega e se diz “vitima de uma farsa”

  1. O rosto desse monstrengo, Wassef, est em conformidade com a antropometria lombrosiana, preconizada pelo criminologista italiano, Cesare Lombroso. Confira os traos patibulares constantes na prefusca dele!

  2. – Chefe, temos um problema na Amrica do Sul.
    – Onde?
    – Amrica do Sul, aquela parte debaixo do Canal do Panam.
    – Ah… aquele sujeito, o…
    – Ele.
    – Ah, ele no! De novo…
    – Saiu da fase da saliva e est ameaando passar para a da plvora.
    – Eles tm plvora?
    – Pouca, mas tm.
    – E, ainda assim, querem nos enfrentar?
    – Parece que dispem uma verso local dos nossos marines, os maricas.
    – H o risco de um Pearl Harbour?
    – No mximo, a derrubada da Esttua da Liberdade.
    – Srio?
    – No a nossa. As deles, na Barra da Tijuca e nas Havans.
    – Ah…
    – Mas acho que vale uma ao preventiva. Tipo bombardear a capital para eles entenderem que no estamos pra brincadeira.
    – Ok, manda bala.
    ~
    E foi assim que Buenos Aires foi destruda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.