Adeus a Adib Jatene, um brasileiro como poucos

Adib Jatene, enrolado pelo PSDB, preferiu sair do Governo

Jatene, um cidadão exemplar

Carlos Newton

Foi sepultado no Cemitério do Araçá, na zona oeste da capital paulista, o corpo de um brasileiro que realmente honrava este país – o médico, cirurgião, professor, cientista e administrador público Adib Jatene.

Em meio ao mar de lama que sempre envolveu a política brasileira, Jatene teve importantes cargos públicos e jamais sofreu críticas. Sua conduta nunca recebeu a menor restrição, porque ele era um cidadão reconhecidamente notável e intocável.

Nascido em Xapuri, no Acre, em 4 de junho de 1929,  filho de imigrantes árabes, formou-se em Medicina na Universidade de São Paulo, onde viria a ser professor catedrático. Sua especialista era a cirurgia do tórax, em que se tornou respeitado internacionalmente.

Entre dezenas de inovações que introduziu nas operações torácicas, ficou famoso como criador de uma cirurgia do coração que leva seu nome e adota uma técnica especial para transposição das grandes artérias em récem-nascidos. Foi também construtor do primeiro coração-pulmão artificial do Hospital das Clínicas.

UM EXEMPLO QUE FICA

Jatene era respeitado por todas as correntes políticas. Foi secretário estadual de Saúde no governo Paulo Maluf e duas vezes ministro da Saúde, durante o governo de Fernando Collor e, a última delas, no governo de Fernando Henrique Cardoso. Era diretor-geral do Hospital do Coração.

Adib Jatene deixou quatro filhos, a mulher Aurice Biscegli Jatene e um vazio enorme no coração dos brasileiros, que precisam entender que a corrupção não leva a nada. É o trabalho que nos honra e dignifica. E Jatene trabalhou até os 85 anos de idade, praticamente sem tirar férias.

Por fim, como lembrou o comentarista Paulo Dubois, Jatene foi o criador da CPMF para melhorar o atendimento de saúde. Quando o governo FHC começou a desviar as verbas, imediatamente pediu demissão.

11 thoughts on “Adeus a Adib Jatene, um brasileiro como poucos

    • Veja Senhor Paulo o que disse o texto.

      ” Quando o governo FHC começou a desviar as verbas, imediatamente pediu demissão.

      Só isso basta.!!!!

      Uma grande perda para a Nação, um grande homem, mais de 20 mil operações realizadas para salvar vidas..,
      Infelizmente o Dr. Jatene como bom homem que era e boas intenções com o Brasil foi confiar naquele traste, mentiroso contumaz, crápula, calhorda e corrupto da pior espécie que se tem noticia neste País.
      Don Cappo ao invés de aplicar os recursos na Saúde do povão, preferiu o “mais fácil”, roubar , corruptar e passar para os recursos para si, sua familia e seu Partideco e seus amigos do peito daqui e de fora, Cappo foi o “grande propulsor” da Corrupção que assola o Páis…
      Mas como tinha honra e quis mostrá-la ao Partideco Corrupto, pediu demissão.
      E a vida continua
      E a luta também contra todos os corruptos deste País, em especial com a Quadrilha dos Èticos.

  1. Obrigado pela homenagem ao Dr Jatene (last but not least) !

    Relembrando:

    Jatene pede demissão, FHC aceita e procura substituto

    FERNANDO RODRIGUES
    SÔNIA MOSSRI

    FERNANDO RODRIGUES; SÔNIA MOSSRI; WILLIAM FRANÇA
    DA SUCURSAL DE BRASÍLIA

    Presidente chama ministro para reunião em Brasília; saída é iminente

    O ministro da Saúde, Adib Jatene, pediu demissão do cargo na semana passada, e o presidente Fernando Henrique Cardoso aceitou.
    FHC procura um substituto. A saída é iminente. O nome mais cotado é o do médico Aloysio Campos da Paz, presidente da Fundação Pioneiras Sociais, que administra a rede de hospitais Sarah Kubitschek.

    O anúncio da demissão de Jatene seria feito ontem. Não ocorreu porque o secretário-executivo da Saúde, José Carlos Seixas, não aceitou ser ministro interino.

    O porta-voz da Presidência, Sergio Amaral, disse que só Jatene pode decidir se sai ou não do cargo. Segundo Amaral, a demissão do ministro ainda é “uma hipótese”.

    As razões para a saída do ministro da Saúde são várias:
    1) Jatene estava insatisfeito com a falta crônica de recursos para a sua área. Até dezembro, estima que precisaria ter R$ 1,6 bilhão a mais;

    2) FHC estava irritado com Jatene por causa dos constantes pedidos de verbas. O presidente concorda que faltam verbas, mas acha que o ministro poderia oferecer alternativas, em vez de reclamar;

    3) na quarta-feira passada, técnicos do Ministério do Planejamento sugeriram a Jatene fazer uma redistribuição do dinheiro de que já dispõe. O ministro não aceitou a sugestão e ficou irritado;

    4) a regulamentação da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira) demorou (só será cobrada em 97);

    5) parte da equipe econômica defende o fim do serviço universal de saúde. Jatene é contra;

    6) em campanha pela reeleição, FHC considera vital a área social. Acha que Jatene não conseguiria um ritmo mais acelerado.

    Na quarta passada, em reunião entre o ministro e o presidente começou a ser acertada sua saída.

    Não interessa a FHC que Jatene saia dizendo que tentou colocar o sistema de saúde em ordem e que isso não teria sido possível por insensibilidade do governo.

    Ainda não está certo que tipo de discurso público o ministro terá ao sair.

    A idéia do presidente é fazer uma substituição rápida. Não vai esperar até o início de março, período para o qual prepara uma reforma ministerial.

    Maluf
    O prefeito de São Paulo, Paulo Maluf, disse ontem que “o lema do PSDB é proteger o rico, e o do ministro (Jatene), o pobre”.

    Colaboraram WILLIAM FRANÇA, da Sucursal de Brasília, e a Reportagem Local

    Fonte : http://www1.folha.uol.com.br/fsp/1996/11/05/brasil/8.html

  2. Aí, no caso do DESVIO da arrecadação do CPMF, a culpa não foi do executivo SOMENTE. O legislativo AUTORIZOU, como há anos autoriza o executivo a manobrar com as verbas orçamentárias, porque o nosso orçamento não é impositivo. É aquela velha questão surgida logo após o golpe militar com a Lei 4320/64 e que se agravou com a Lei Complementar 101/2000, de responsabilidade fiscal. Cumpriram ordens dos mesmos eternos beneficiados que mandaram criar o FATOR PREVIDENCIÁRIO. A pressão contra o CPMF foi tamanha anos mais tarde, que os próprios legisladores tiveram que voltar atrás e extinguí-lo. E o Lula tirou o seu da reta, lavou as mãos e ainda faturou iniciativa alheia, embora a contragosto.

  3. Caro Newton, artigo que homenageia, um grande Espírito/homem, que dedicou sua vida a “salvar vidas”.
    Permita dar meu depoimento sobre essa alma iluminada:
    Em 2010, no Forte de Copacabana, em um forum de Secretários de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, não era Secretário de minha Cidade-Guapimirim, pela ausência do Secretário de Guapi, fui ao Forum com mais um Conselheiro, e tivemos a Honra, de ouvir do Dr. Jatene, a questão do CPMF, contribuição provisória, para recuperar o “sucateamento dos Hospitais Federais” e outros, e dando a razão porque se demitiu: simplesmente, pelo dinheiro arrancado do Cidadão, a “saúde não ter visto a cor do dinheiro” e a finalidade, não aconteceu, como homem DIGNO, não suportando mais, e não querendo ser parceiro do mal feito, demitiu-se.
    No Primeiro dia do Forum, Com Dr. Jatene, estava na mesa diversas autoridades, mandei 3 perguntas, no segundo dia, esteve presente a Chefe da Casa Civil Srª Dilma Roussef, mandei 3 perguntas a ela, e recebi a resposta que me seria mandada, aguardo até hoje.
    Dr. Jatene, pela sua “OBRA”, com certeza, foi para o MUNDO DA LUZ, pela sua luta de Amor ao próximo, e merece de todos os brasileiros(as), o agradecimento do exemplo do que é “SER MÉDICO”.
    Sou Conselheiro da Saúde em Guapi, segmento usuário, e nossa luta, é imensa, e nos causa sofrimento, em ver como a “SAÚDE”no Brasil é prestada ao Cidadão- Contribuinte – Eleitor(H.F), os jornais diariamente não nos deixa mentir.
    Que Deus abençoe seu filho, Dr. Jatene, como “filho exemplar de Amor Fraterno, retornando a casa paterna”
    Srs. Médicos, e quem trabalha nessa área de DOR, nos dias atuais, Dr. Jatene, deixa o exemplo. Refletir é preciso.

  4. Nada contra o Dr. Jatene. Uma boa alma, que Deus o tenha.
    Nada contra o Ministério da Saúde, de quem o Dr. Jatene se demitiu.

    TUDO CONTRA a Contribuição Provisória da Movimentação Financeira – CPMF – aceita e criada como um imposto sobre o cheque. com uma alíquota de 0,25% em 1997, cuja finalidade era atender o dramático problema da saúde, que até hoje perdura no Brasil.

    Para os que não viveram aquela época, desde o seu início a CPMF foi desvirtuada do seu propósito maior; em 2002 teve aumento, passou a ser de O,38% – um pé de chuchu para o governo, e já uma desilusão para a saúde. A cobrança do tributo PROVISÓRIO ( que nunca teria fim ), só acabou em 1º de janeiro de 2008.

    Ainda em 2008 o PT tentou ressuscitar a CPMF com o codinome de Contribuição Social para a Saúde (CSS) mas que não vingou, dado a periculosidade do seu passado, condenada por ter desvirtuado a destinação dos recursos para outras finalidades e por isso, rejeitada pela sociedade.
    Em 21 de setembro de 2011 a Câmara dos Deputados deu o tiro final na CPMF.

    MORAL DA HISTÓRIA: Nunca acredite nas boas intenções do governo…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *