Adeus, meu muito querido Ricardo Eugenio Boechat…

Resultado de imagem para boechat

Nas despedidas, Boechat sempre preferia dizer um “até logo”

Jorge Béja

Escrevi dias atrás comovido artigo em que alertava que algo de misterioso estava acontecendo nesta Terra de Santa Cruz chamada Brasil. Isso por causa de tantas tragédias, e no artigo me referi a algumas delas. Não, a todas. E hoje volto ao teclado (não, do piano, mas do computador) e chorando rendo minhas homenagens e dou adeus a Ricardo Boechat. Adeus, querido amigo. Querido, sensato, destemido e irreverente amigo e exemplar jornalista.

Fui seu amigo. Fui seu advogado. Fui sua fonte. E você sempre foi competente e leal comigo e com todos os seus leitores. Quase agora o colega João Amaury Belem me ligou para dizer desta outra tragédia. Era o Boechat quem estava no helicóptero que caiu em São Paulo, me disse Belem ao Telefone. E ele fez sua passagem, completou.

ARTISTA DA NOTÍCIA – Ah! meu Deus, quanta dor. Uma atrás da outra. Quantas e quantas vezes fiquei sentado ao lado do Ricardo, diante do computador, na redação do O Globo, vendo e lendo ele fazer sua coluna para o jornal do dia seguinte e que sempre era encerrada lá pelas 10 da noite. Era um artista da notícia. Não tinha papa na língua. Não embromava. “Notícia não se guarda, Béja”, me repetiu ele tantas e tantas vezes.

E num rompante irreverente, mas que era amoroso, dizia sempre: “Béja, ao telefone quando se despedir de mim não precisa repetir “um grande abraço”. Basta um até logo, ou um tchau. Isso porque no início do ano você veio aqui e me deu um apertado abraço que passam os meses ainda sinto o aperto dele, tão sincero foi”.

Adeus, meu muito querido Ricardo Eugenio Boechat.

23 thoughts on “Adeus, meu muito querido Ricardo Eugenio Boechat…

  1. Há noticias inacreditáveis como esta da morte do grande jornalista Ricardo Boechat. Minha filha e eu não o conheciamos pessoalmente. Ela amanhecia ouvindo as noticias com ele; ele e o José Simão. Não conteve as lágrimas.

    • Acabei de receber e muito me impressiona:

      “Terra —- Brumadinho
      Água —– Tempestade no Rio
      Fogo —– Tragédia no Fla
      Ar ——— Helicóptero cai com Boechat

      As Tragédias Dos Quatro Elementos
      Tudo isso + ou menos em 15 dias

  2. Helio Fernandes
    1 h ·
    A MORTE DE BOECHAT
    Helio Fernandes
    Que tremendo susto, tremendo choque, a imediata e tremenda noção da perda que sofremos.Não apenas para mim, que perco um amigo querido, da vida. inteira. Para o jornalismo de revista, de radio, de televisão, a palavra é, irreparavel. Outra palavra indispensavel, é insubstituivel. Na ação, na participação,na independencia .E agora na saudade.
    Desculpe, Boechat, não sei dizer mais, só sentir

  3. Dr. Beja,
    O Ricardo Boechat despediu-se induvidosamente com a sensação do dever cumprido, haja vista que todas as emissoras brasileiras estão no ar noticiando mais essa perda para a nação brasileira.
    Todos os seus colegas estão revelando o grande profissional do jornalismo da televisão e do rádio e, sobretudo que era um ser humano admirável e de bem com a vida, pois sempre de bom humor.
    Que descanse em paz na morada eterna e que DEUS PAI CELESTIAL possa confortar a família pela perda!

  4. Grande e incomensuravel figura! Um jornalista de 1ª linha! Todos só tem elogios a lhe fazer , me lembro bem do reinaldo azevedo agradecendo publicamente o apoio recebido, boechat foi quem bancou a contratação do reinaldo pela band!
    Até quando expressava opiniões com as quais a gente não concordava, restava ali a certeza de que era uma questão de convicção e não de opinião vendida!
    Vou ser sincero! Gostava muito mais dele pelo seu humor afiado, fazia uma dupla incrivel com o josé simão!
    Ricardo Boechat é insubstituivel, que Deus o tenha!

  5. Estou muito triste.

    Tinha acabado de assistir no YouTube seu quadro de hoje com o Simão e liguei o PC, meu navegador que entra automaticamente no “O Antagonista” trouxe a trágica notícia.

    Fui “eletrocutado” com a notícia, pois acompanho como admirador e fã seu trabalho há muitos anos na BandNews em SP e Rio.

    Posso afirmar que é uma pessoa corajosa, leal e única.

    Todos os dias falava na “doce Veruska”.

    Um dia nada fácil!

  6. Se eu conheço o pastor, Silas Malafaia, sei que ele vai escarnecer. Ricardo Boechat era ateu público e convicto, e foi a sua descrença assumida, que teria ensejado uma briga com Malafaia..

  7. RECORDANDO RICARDO BOECHAT

    Teve um final de dia na década de 80, que bateu lá no meu escritório de advocacia, por volta das 18 horas, um empresário desesperado. O homem e sua família sobreviviam de duas ou três balanças que pesavam os caminhões que saiam do porto do Rio carregados de mercadoria. Os veículos, para começar a viagem até seu destino, geralmente longe do Rio e para outros Estados, eram obrigados a levar o certificado oficial do peso do caminhão e da carga. Para isso, a firma do empresário era a única credenciada. Não havia concorrente.

    O homem estava aflito e desesperado. Isto porque a Companhia Docas do Rio havia alugado por 15 anos, 10 balanças para serem colocadas dentro do terminal do porto do Rio. O negócio entre a DOCAS e o locador das 10 balanças acabava com o pequeno empreendimento do empresário que veio buscar uma solução jurídica.

    A princípio não vi saída para defender o empresário. Mas quando este me apresentou a documentação, disse que cabia uma Ação Popular com pedido de liminar na Justiça Federal para suspender preventivamente o tal contrato e, por fim, na sentença, anular a contratação.

    Isto porque o preço do aluguel das 10 balanças por 15 anos dava para a DOCAS comprar 20 balanças com a garantia de 10 anos de conservação pelo vendedor. Tudo isso estava comprovado documentalmente.

    Então, disse ao pequeno empresário que eu daria entrada com uma Ação Popular para o desfazimento do negócio altamente prejudicial ao erário. Foi quando tive a inspiração de dizer ao empresário que talvez o problema poderia ser resolvido de outra forma. Qual é?, me perguntou ele. Vou ligar para o Ricardo Boechat do O Globo e contar tudo a ele.

    Foi o que fiz. Peguei o telefone, Boechat atendeu, contei-lhe tudo e Boechat pediu para eu passar o telefone para o empresário. Os dois se falaram. Tudo que Boechat perguntava o empresário respondia com a documentação na mão. Terminado o diálogo, Boechat voltou a falar comigo e perguntou se aquela história era “quente”, ou seja, verdadeira. Respondi que sim. Que no dia seguinte eu começaria a redigir a Ação Popular denunciando à Justiça a “negociata” que a Docas estava concluindo.

    Foi o suficiente. No dia seguinte Boechat publicou na sua coluna no O Globo toda a história. E no mesmo dia seguinte, no final do dia, o Ministro dos Transportes anulou a locação e não foi preciso ingressar na Justiça com a Ação Popular.

    Esse era o prestígio, a força, a independência, a credibilidade de Ricardo Boechat. E a “negociata” foi para o lixo e o pequeno empresário continuou com o seu pequeno antigo empreendimento.

  8. Como não sou esquerdista, não desejo a morte de ninguém, mas nunca me simpatizei por esse tipo de jornalismo e seus jornalistas que dominam a mídia deste país. Claro tem umas poucas exceções

    de Boechat até me lembro que num de seus comentários ele equiparou o MBL, que reuniu mais de 5 milhões de brasileiros de bem para protestar contra o PT, sem quebrar um copo nas suas manifestações com os Black Blocks , dizendo que o MBL era o Black Block sem a máscara e repetiu isso várias vezes na tentativa de convencer com aquela sua boca nervosa espumando de raiva. Disso ele me deixou a impressão de que ele tinha um lado

    Ainda bem que hoje temos a internet.

  9. Ainda ontem falamos dele, numa reunião de amigas de “ginásio”.
    Alguém lembrou de como ele era levado, vivia apontando.
    Hoje, um outro colega publicou de novo no Facebook um post que havia escrito sobre ele um tempo atrás.
    Ele lembrava de uma das artes do Boechat, que fingiu pular do 2° andar, durante uma aula de datilografia, quase matando a professora de susto. A professora, que era anã, não podia ver a marquise debaixo da janela, onde ele se escondeu quase morrendo de rir. Esta era uma das histórias dele que virou folclore no Centro Educacional de Niterói, na década de 70.
    R.I.P BOECHAT.

    https://m.facebook.com/story/graphql_permalink/?graphql_id=UzpfSTczNDQ5NjU3NDoxMDE1NjU4MDUyOTIzMTU3NQ%3D%3D

  10. o rio de janeiro e o brasil perdem um excelente jornalista,com a sua disposição para a verdade deixava os corruptos sem chão.uma perda irreparável.

  11. ” Entra em beco, sai em beco
    Há um recurso, Madalena
    Entra em beco, sai em beco
    Há uma santa com seu nome
    Entra em beco, sai em beco
    Vai na próxima capela
    Acende uma vela

    Boechat fará falta no rádio….
    Na TV, ultimamente, tava dificil suportar um Âncora recitando edital de emissora corrupta …
    Era um puxa-sardinha pro lado dos bozoinaldios, intolerável…

    Poder, ego, ficar muito rico em meio a tanta pobreza….
    Vai acumulando, e corrompe a alma do sujeito…

  12. Prefiro não associar a grande perda do Boechat à ideologia ou política.
    Apesar de não concordar com algumas opiniões dele, era seu admirador.
    Um grande jornalista.!
    ..As manhãs ficarão mais tristes.
    Que Deus console a família e o tenha sob seus braços.

  13. Que triste essa partida.
    Tão competente e no auge.
    Uma ausência que não tem como repor.
    Foi antes da hora. E na hora que nos fará falta, ao Jornalismo e à Democracia.

  14. A grande perda quem está sentindo são suas duas filhas meninas e sua mulher. Seu microcosmo.
    Ao refletir sobre esta situação, aonde todo este grupo afetivo ficará privado da companhia uns dos outros, sinto imensamente.
    A carreira profissional, os feitos, isso pouco vale no mundo espiritual.
    Fosse assim a senhorinha da roça que nada fez na vida a não ser cozinhar e criar seus filhos seria nada. Mas sua riqueza espiritual pode ser gigantesca.
    Mas o nosso mundo orgulhoso e soberbo só fala na perda jornalistica e ignora o quanto a família (principalmente ela) e amigos que conviviam, perderão do sorriso, afeto, brincadeiras, conversas e do dia-a-dia com a pessoa.
    Boechat sempre me pareceu um cara bom e agradável de se conviver. E pessoas assim irem prematuramente é triste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *