Advogada de Cerveró exige acesso aos documentos apreendidos

João Valadares
Correio Braziliense

O ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, preso desde a semana passada na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, no Paraná, só vai prestar novo depoimento se a advogada Alessi Brandão tiver acesso aos autos referentes a todo o material apreendido na casa dele, no Rio de Janeiro.

O objetivo, de acordo com a defesa, com base nas informações, é preparar o cliente antes do depoimento. Havia a expectativa de que Cerveró pudesse prestar novos esclarecimentos “Acredito que, na quarta ou na quinta-feira, ele deve falar novamente. Só vamos prestar esclarecimentos após ter cópia dos documentos. Temos um prazo de três dias para fazer esta análise e a oitiva será reagendada. Não é o Cerveró que não quer prestar esclarecimentos”, avisou.

A advogada explicou que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região negou liminarmente, na sexta-feira, habeas corpus em favor do ex-diretor. “Vamos fazer um pedido de habeas corpus para o STJ. Devemos protocolar esta terça-feira”, informou Alessi Brandão, que esteve com Cerveró e reclamou da prisão preventiva. “Ele está bem na medida do possível. Ninguém fica bem nestas condições, ainda mais após o fim de semana, que não tem banho de sol”, afirmou.

8 thoughts on “Advogada de Cerveró exige acesso aos documentos apreendidos

  1. Amigos
    Existem situações que são criadas para verificar a extensão dos fatos conhecidos. Acredito que a advogada, ao solicitar os documentos, quer saber até que ponto a PF conseguiu invadir os segredos de Cerveró. Desta forma, mesmo no caso de delação premiada, ele irá até o limite conhecido. Não falará mais do que o necessário.

  2. Petrobras tentou impedir TCU de enviar dados à força-tarefa da Lava Jato

    “A Petrobras tentou impedir o Tribunal de Contas da União (TCU) de enviar informações de um de seus projetos, suspeito de irregularidades, à força-tarefa responsável pela Operação Lava Jato. A estatal recorreu contra despacho do ministro André Luís de Carvalho, que determinou a remessa, à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal (MPF) no Paraná, de processo que apura superfaturamento na construção da rede de gasodutos Gasene. O julgamento do pedido está previsto para esta quarta-feira, 21, em sessão sigilosa.”

    Excerto do link:
    http://atarde.uol.com.br/politica/noticias/1654053-petrobras-tentou-impedir-tcu-de-enviar-dados-a-forca-tarefa-da-lava-jato?direcionado=true

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *