Aécio pediu R$ 2 milhões, e a entrega da propina ao primo dele foi filmada

Aécio está liquidado e não escapará da pena de prisão

Lauro Jardim e Guilherme Amado
O Globo

Joesley Batista entregou à Procuradoria-Geral da República (PGR) uma gravação que piora de forma descomunal a tempestade que já cai sobre a cabeça de Aécio Neves (PSDB-MG). No áudio, o presidente do PSDB surge pedindo nada menos que R$ 2 milhões ao empresário, sob a justificativa de que precisava da quantia para pagar despesas com sua defesa na Lava-Jato.

O diálogo gravado durou cerca de 30 minutos. Aécio e Joesley se encontraram no dia 24 de março no Hotel Unique, em São Paulo. Quando Aécio citou o nome de Alberto Toron, como o criminalista que o defenderia, não pegou o dono da JBS de surpresa. A menção ao advogado já havia sido feita pela irmã e braço-direito do senador, Andréa Neves. Foi ela a responsável pela primeira abordagem ao empresário, por telefone e via WhatsApp (as trocas de mensagens estão com os procuradores). As investigações, contudo, mostrariam para a PGR que esse não era o verdadeiro objetivo de Aécio.

PEDIDO ACEITO – O estranho pedido de ajuda foi aceito. O empresário quis saber, então, quem seria o responsável por pegar as malas. Deu-se, então, o seguinte diálogo, chocante pela desfaçatez com que Aécio trata o tema:

— Se for você a pegar em mãos, vou eu mesmo entregar. Mas, se você mandar alguém de sua confiança, mando alguém da minha confiança — propôs Joesley.

— Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho — respondeu Aécio.

O presidente do PSDB indicou um primo, Frederico Pacheco de Medeiros, para receber o dinheiro. Fred, como é conhecido, foi diretor da Cemig, nomeado por Aécio, e um dos coordenadores de sua campanha a presidente em 2014. Tocava a área de logística.

UM DOS DELATORES – Quem levou o dinheiro a Fred foi o diretor de Relações Institucionais da JBS, Ricardo Saud, um dos sete delatores. Foram quatro entregas de R$ 500 mil cada uma. A PF filmou uma delas.

No material que chegou às mãos de Fachin na semana passada, a Procuradoria diz ter elementos para afirmar que o dinheiro não foi repassado a advogado algum. As filmagens da PF mostram que, após receber o dinheiro, Fred repassou, ainda em São Paulo, as malas para Mendherson Souza Lima, secretário parlamentar do senador Zeze Perrella (PMDB-MG).

Mendherson levou de carro a propina para Belo Horizonte. Fez três viagens — sempre seguido pela PF. As investigações revelaram que o dinheiro não era para advogado algum. O assessor negociou para que os recursos fosse parar na Tapera Participações Empreendimentos Agropecuários, de Gustavo Perrella, filho de Zeze Perrella.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Aécio, que já nasceu rico, joga na lama a memória de seu avô Tancredo Neves e de seu pai, o ex-deputado Aécio Cunha (PMDB-MG), dois homens ricos e simples, que jamais se mostraram adoradores do deus Dinheiro. Aécio recebeu o legado dos votos, mas não herdou a dignidade da família Neves. Sua mãe, Inês Maria Neves Faria, ficou viúva do banqueiro Gilberto Faria, é uma das mulheres mais ricas do país. Mas é Aécio é como seu contraparente Sérgio Cabral, que se casou com Susana Neves e entrou para a política sob as benções da família de Tancredo. Aécio e Cabral são dois grandes amigos e agora têm um encontro marcado na cadeia. E o pior é que se comprova a ligação com a famiglia Perrela, envolvida no estranho caso do helicóptero carregado de cocaína, que não deu em nada, apenas o piloto foi processado. (C.N.)

16 thoughts on “Aécio pediu R$ 2 milhões, e a entrega da propina ao primo dele foi filmada

  1. O povo brasileiro exige a renúncia de Todos os políticos corruptos: de A a Z, da esquerda, do centro e da direita.
    Não aceitamos medidas “simbolicas”.
    Em tempo: vida longa à Lava Jato, a única esperança do país.

  2. Aécio e Cabral são dois grandes amigos e agora têm um encontro marcado na cadeia. E o pior é que se comprova a ligação com a famiglia Perrela, envolvida no estranho caso do helicóptero carregado de cocaína, que não deu em nada, apenas o piloto foi processado.

    -Se depender dos COMPARSAS nomeados e infiltrados pelos traficantes no PODER JUDICIÁRIO, acontecerá o mesmo que aconteceu com o caso do helicóptero.

  3. “Aécio, que já nasceu rico, joga na lama a memória de seu avô Tancredo Neves e de seu pai, o ex-deputado Aécio Cunha (PMDB-MG), dois homens ricos e simples, que jamais se mostraram adoradores do deus Dinheiro.”

    -Caro jornalista, o ladrão não rouba por que precisa. Rouba porque é safado mesmo, seja rico ou seja pobre…
    Ainda mais quando mora em um lugar onde a Justiça anda de mãos dadas e as autoridades máximas do Poder Judiciário é vista se confraternizando com os criminosos que tem o DEVER LEGAL de investigar e prender.

  4. ACABOU. FINALMENTE ACABOU. A REPÚBLICA 171 DO BRASIL ACABOU, depois de 127 anos de intensa safadeza, roubalheira e corrupção. Basta de plutocracia com jeitão de cleptocracia e ares fétidos de bandidocracia. Basta de partidarismo-eleitoral, golpismo-ditatorial, e seus tentáculos, velhaco$. Chega dos me$mo$. Fora todo$. Democracia Direta Já, com meritocracia eleitoral, porque evoluir é preciso. http://www.brasil247.com/pt/247/poder/296117/Bomba-at%C3%B4mica-JBS-delata-Temer-A%C3%A9cio-e-compra-do-sil%C3%AAncio-de-Cunha.htm

  5. Merval Pereira, da Globo, disse, nesta noite, que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente nacional do PMDB, foi pego em “linguajar de mafioso”. Não foi o primeiro a ser comido, mas ficou para a sobremesa.

  6. È óbvio que não dá prá prender Lula sem prender Temer, Henrique Alves (que não sabe quem depositou dólares na sua conta na Suiça) e Aécio, ficando claro agora que sob seu governo, o tráfico grassava em Minas. Vô Tancredo deve estar se revolvendo no túmulo.

  7. Nada como um cineasta atento!
    Não é cinegrafista,não.E cineasta,sim,pois o negócio é digno de um enredo de filme de terror
    POLÍTICO-PORNOGRÁFICO!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *