“Afastamento do juiz que não respeita toga seria um alívio”

Luciana não acredita mais na Justiça brasileira

Raquel Sodré
O Tempo

7 thoughts on ““Afastamento do juiz que não respeita toga seria um alívio”

  1. Caro Jornalista,

    A mocinha, aparentemente INOCENTE por ter uma vida melhor do que a maioria dos brasileiros, esqueceu-se onde mora. A SORTE dela é pertencer a uma categoria profissional que no momento está em “evidência na mídia” e não a aquele grupo de “fiscalizadores das leis”; se fizesse parte deste, seria demitida ou, no mínimo, punida com uma multa dez vezes maior, com o aval da FSP e longe do olhar e dos interesses da imprensa e de grupos sociais, como tem acontecido todos os dias. E sem direito a vaquinha politicamente correta.

    – a mocinha esqueceu-se que acima do Código Penal, acima do Código de processo Penal e até mesmo acima da Constituição da República Federativa do Brasil está a Lei Orgânica da Magistratura Nacional – LOMAN – e o corporativismo dos faraós.

    Tudo em casa!
    Tudo em família!
    Todos com o mesmo sobrenome!

    – NÃO QUERO, NEM PRECISO DE JUSTIÇA DIVINA, pois não moro no céu, nem me apraz ver o que é correto e justo acontecer apenas após a minha morte e a de meus familiares.

    -QUERO E PRECISO DE JUSTIÇA HUMANA (assim como preciso de saúde, de segurança e de educação humanas), pois moro no planeta Terra com toda a minha família.

    Abraços.

    (PS: Quanto ao magistrado, ELE DEVE RECEBER O TOQUE PROSTÁTICO DE PÉ, pois não pega bem a um DEUS se curvar a um mortal, mesmo que este seja um urologista…)

  2. E observem que aqui os de primeiro grau em todas as esferas ainda são concursados e o concurso é dureza. Nos EUA, louvados por muitos colonizados aqui, os federais são nomeados EM TODOS OS GRAUS DE JURISDIÇÃO pelo presidente e confirmados pelo senado, controlado pelos mesmos grupos políticos que comem nas mãos das corporações e da AIPAC. Quanto aos da esfera estadual, dependendo do estado, escolhidos pelos dois partidos dominantes para serem eleitos pelo voto ou simplesmente nomeados pelo governador, o que no fim das contas dá no mesmo. Então, qual o menos desconfiável? Resumindo. Em todos os sistemas políticos e econômicos os magistrados integram seus respectivos sistemas e não podem subvertê-los, sob pena de serem punidos e/ ou afastados ( os golpista de 64 simplesmente cassaram um montão deles, não se lembram?). Assim, não há escapatória no planeta terra e o melhor conselho para quem não se garante ou não queira viver em outro planeta é sair ou tirar aquilo sempre da reta para não se estrepar. Quando é que muitos aqui vão aprender esse beabá do poder?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *