Afinado, ministro da Justiça é um dos cotados para a “vaga evangélica” no STF, diz Bolsonaro

Vaga foi “prometida” por Bolsonaro à bancada que o ajudou a se eleger

Thays Martins
Correio Braziliense

O presidente Jair Bolsonaro disse em live, na noite desta quinta-feira, dia 28, que não pretende indicar o procurador-geral da República, Augusto Aras, para uma das duas vagas que se abrirão no Supremo Tribunal Federal (STF) em breve. No entanto, revelou que o ministro da Justiça, André Mendoça, é um dos cotados para a Corte.

Para as duas vagas — que serão abertas com as aposentadorias dos ministros Celso de Mello, em novembro, e Marco Aurélio Mello, em julho do ano que vem —, o presidente disse ele analisa três nomes e que, para uma das cadeiras, será indicado um evangélico. Segundo Bolsonaro, Aras receberia a indicação se houvesse uma terceira cadeira.

NA FILA – “Se aparecer uma terceira vaga, espero que ninguém ali desapareça, mas Augusto Aras entra fortemente”, destacou. “Costumo dizer que eu tenho três nomes, não vou revelar quem é, que eu namoro, para indicar. Um vai ser evangélico, é um compromisso que eu tenho com a bancada evangélica. Alguns criticam, não tem nada a ver. Ele tem que ter conhecimento e desembocar (sic) seu papel”, disse.

“Uma pitada de cristianismo, no meu entender, é muito bem-vinda. Tem pautas que faltou ao ministro defender à luz da sua crença. Você fala questão de família, ideologia de gênero…”, disse.  Embora tenha dito que não revelaria os nomes em análise, Bolsonaro deixou escapar que um deles é o atual ministro da Justiça, André Mendonça.

“Até o André Mendonça, um dos cotados, que é evangélico, foi criticado, porque não encaminhou para derrubar um lei do município de Maringá sobre ideologia de gênero. Ele encaminhou dizendo que o município não pode legislar sobre esse assunto”, disse.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG 
O “requisito” para ocupar a vaga ratifica o compromisso de Bolsonaro com a bancada evangélica que acena com as faturas assumidas pelo presidente durante a campanha eleitoral. Chega a ser temerosa tamanha falta de pudor. Mas, se questionados, seus aliados provavelmente recorrerão à comparações seculares, atrelando política e religião, para justificar o quinhão ao qual reivindicam. Ao entrar com habeas corpus em favor de Weintraub, no inquérito de investigação de fake news em curso no STF, Mendonça pulou várias casas no tabuleiro de jogos de Bolsonaro. Corre por fora e tem boas chances se continuar afinado. (Marcelo Copelli) 

7 thoughts on “Afinado, ministro da Justiça é um dos cotados para a “vaga evangélica” no STF, diz Bolsonaro

  1. A idade média afinal, não foi tão ruim assim. Queimavam-se pessoas em fogueiras por – na dúvida – não serem cristãos.

    Empalavam-se ateus, bárbaros e todos que fossem contra os princípios cristãos.

    Então qual o problema de um cristão, mas não apenas – afinal eles evoluíram – mas um evangélico que entende que o homossexualismo é uma doença ou como arrancar dinheiro/grana das massas alegando que o vírus é uma doença do diabo? Esta criatura no STF?

    • “O Estado rouba, mente e se coloca como voz do povo, mas na verdade é a voz de um pequeno grupo que deseja manter o poder e o controle de uma nação.” ——————Assim falou Zaratrusta.

  2. Pelo estilo. conteúdo e embasamento jurídico do pedido de HC, irregularmente patrocinado em favor do Ministro da Educação, não me parece uma aquisição favorável para o STF. Será que algum dia veremos o Supremo ser dotado de juízes selecionados por mérito, capacidade e isenção e não para serem defensores do padrinho?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *