Afinal, o que seria dos poetas, se não houvesse a pessoa amada?

Resultado de imagem para flora figueiredo

Flora Figueiredo, em recital de poesias

Paulo Peres

Site Poemas & Canções

A tradutora, cronista e poeta paulista Flora Figueiredo pergunta, no poema “Reverência”, o que seria dela se não existisse a pessoa amada.

REVERÊNCIA
Flora Figueiredo
Se não fosse você, eu andaria
a caminho do nada,
pra lugar nenhum.

Eu erraria por entre vagas abertas,
sobre páginas incertas
de um pobre verso comum.

Se não fosse você, eu perderia
a noção do sol e do vento,
de todo e qualquer elemento
que me induzisse à beleza.

Se não fosse você, eu ficaria presa
na trama dos desafetos,
dos amores incompletos
que o mundo encaixa nos cantos.

Se não fosse você, triste seria
e a memória por certo contaria
minha historia na pobreza de um clichê.
…..e eu certamente me demitiria
dos ternos devaneios da poesia.
Que seria de mim, se não fosse você?

3 thoughts on “Afinal, o que seria dos poetas, se não houvesse a pessoa amada?

  1. O poeta: Se não fosse você eu não seria nada, não teria objetivos na vida…
    Eu digo: É lamentável que uma pessoa não reconheça nenhum valor em si. É o mesmo que dizer “sou um fraco, um saco vazio”
    Bye bye

  2. Sapo Togado,
    Não concordo com você. Ninguém é uma ilha.O grande filósofo Teilhard de Chardin já dizia que ninguém pode viver isoladamente. Veja que beleza esse samba de Vinicius e Toquinho.

    Samba Em Prelúdio
    Toquinho e Vinícius

    Eu sem você não tenho porquê
    Porque sem você não sei nem chorar
    Sou chama sem luz, Jardim sem luar
    Luar sem amor, amor sem se dar

    E eu sem você sou só desamor
    Um barco sem mar, um campo sem flor
    Tristeza que vai, tristeza que vem
    Sem você, meu amor, eu não sou ninguém

    Ah! Que saudade
    Que vontade de ver renascer nossa vida
    Volta querido
    Teus abraços precisam dos meus
    Os meus braços precisam dos teus

    Estou tão sozinha
    Tenho os olhos cansados de olhar para o além
    Vem ver a vida
    Sem você, meu amor, eu não sou ninguém

    Ah! que saudade
    -Eu sem você não tenho porquê
    Que vontade de ver renascer nossa vida
    -Porque sem você não sei nem chorar
    Volta querido
    -Sou chama sem luz, Jardim sem luar
    Teus abraços precisam dos meus
    -Luar sem amor
    Os meus braços precisam dos teus
    -Amor sem se dar

    Estou tão sozinha
    -E eu sem você sou só desamor
    Tenho os olhos cansados de olhar para o além
    -Um barco sem mar, um campo sem flor
    Vem ver a vida
    -Tristeza que vai, tristeza que vem

    Sem você, meu amor, eu não sou ninguém
    Sem você, meu amor, eu não sou ninguém
    Sem você, meu amor, eu não sou ninguém
    Sem você, meu amor, eu não sou ninguém

  3. Linda poesia de Flora Figueiredo, na linha de Vinicius. Viver sem afeto, é terrivel.

    Se não fosse você, eu ficaria presa
    na trama dos desafetos,
    dos amores incompletos
    que o mundo encaixa nos cantos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *