Afinal, por que a Beija-Flor sempre ganha o Carnaval ou chega em segundo lugar?

Carlos Newton

É uma rotina revoltante para as demais escolas de samba da região metropolitana do Rio de Janeiro. A Beija-Flor de Nilópolis ou ganha ou tira segundo lugar. Não dá outra. Já houve muitas denúncias, mas nunca ficou realmente provado o favorecimento dos jurados. Então, o que explica esse sucesso tão grande da Beijaflor?

São muitas as explicações. Este ano, por exemplo, saiu com um enredo irresistível, sobre Roberto Carlos, e contou com a entusiasmada presença do próprio homenageado, condição que já garantia a escola entre as favoritas.

Além disso, a Beija-Flor é altamente profissionalizada e há muitos anos mantém Laila como seu Diretor de Carnaval. Não há um carnavalesco. Existe uma comissão que cuida de tudo. Um especialista cria as fantasias, outro se responsabiliza pelas esculturas, um terceiro fica com as alegorias, e assim por diante, sempre sob supervisão de Laila, que é cria direta do cenógrafo e artista plástico que revolucionou o Carnaval do Rio em 1960, com o desfile do Salgueiro, o genial Fernando Pamplona.

Pamplona criou uma equipe formada por ele, o casal Dirceu e Marie Lousie Nery, Arlindo Rodrigues e Newton de Sá, e mudou toda a estética dos desfiles das escolas de samba. Joãozinho Trinta, Maria Augusta. Rosa Magalhães, Renato Lage – todos esses grandes nomes do Carnaval também são crias de Pamplona, que inclusive levou Laila para trabalhar com ele e seu amigo Heli Celano no Departamento de Cenografia da TV Educativa. Na Beija-Flor, Laila seguiu os passos do grande mestre, montou sua própria equipe e hoje é o maior nome do desfile principal.

Outro fator decisivo da Beijaflor é Nilópolis. Tem apenas 9 km2 e uma grande densidade populacional (157 mil habitantes). A escola é um reflexo da união da comunidade, desfila com seus próprios componentes, não há alas de turistas japoneses ou americanos.

Existe uma identidade concreta, que é favorecida pela fato de o município e a escola serem controlados pela família Abrahão David, comandada pelo bicheiro Anísio (Aniz), pelo irmão Farid, presidente da escola e ex-prefeito, e pelo deputado federal Simon Sessin. E por mera coincidência o atual prefeito chama-se Sergio Sessin. É filho do deputado.

O sucesso da Beijaflor se explica assim: união, coerência, criatividade, continuidade e comunidade. No ano que vem, podem apostar. Ou ganha ou chega em segundo lugar.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *