Afirmar que a CoronaVac não tem eficácia científica comprovada é um crime grave

"Querer me culpar pela fome no Brasil, pelo desemprego... Você está de sacanagem, né?", disse Bolsonaro - Reprodução/Facebook

Jair Bolsonaro insiste em dizer que a vacina não tem eficácia

Carlos Alberto Sardenberg
O Globo

Além de se manifestar contra a vacinação em geral, o presidente afirmou três vezes, somente nesta semana, que a CoronaVac não tem eficácia científica comprovada. Por outro lado, o Ministério da Saúde informou que já distribuiu mais de 101 milhões de doses da CoronaVac.

Vai daí que: ou o presidente mente descaradamente ao declarar ineficaz uma vacina aprovada e distribuída por órgãos técnicos de seu governo; ou o Ministério da Saúde engana descaradamente a população brasileira ao oferecer um medicamento imprestável.

BOLSONARO MENTE – Em qualquer caso, temos aí um crime grave, sempre de responsabilidade direta do presidente Bolsonaro. Ele costuma colocar a culpa nos outros, mas não tem como dizer que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, é o único responsável pela aplicação da vacina do Instituto Butantan.

Como a eficácia da CoronaVac tem farta comprovação científica, no Brasil e em outros países, como Chile, para não citar a China, produtora original da vacina, a conclusão é inevitável: Bolsonaro mente.

Mas isso se estivéssemos tratando de uma pessoa normal. Mentiroso é quem afirma algo sabendo tratar-se de mentira. Não é o caso. Pelo seu comportamento nesta e noutras situações, Bolsonaro demonstra que não acredita — isso mesmo, não acredita —nas informações científicas sobre a Covid-19, muito menos sobre a eficácia da CoronaVac.

O PODER DA CIÊNCIA – Diria, de novo, uma pessoa normal: ciência não é algo em que se acredita ou não. Ciência é experimento, prova, demonstração, teste. Diferente de senso comum praticado por pessoas ignorantes que se acham portadoras da verdade para tudo.

Sabe aquele cara que, diante de uma informação científica, olha para você com ar superior e diz: “E você acredita nisso?”. Muita gente entende que há uma estratégia por trás desse comportamento de Bolsonaro. Mas qual seria a estratégia de espalhar mentiras e confundir a população, junto à qual, aliás, perde confiança toda semana?

Não é estratégia. Na verdade, ao desclassificar a vacinação, a CoronaVac, os números sobre a pandemia (acha que o número de mortos é bem menor que o registrado pelo próprio governo) e a gravidade da doença (acha que os mortos por Covid-19 morreriam em poucas semanas, tendo o vírus apenas antecipado o desfecho fatal), Bolsonaro se comporta como o sabichão de mesa de bar.

O POVO QUER A VACINA – Nossas avós diziam: a ignorância é atrevida. Tinham razão. Repetiam Sócrates, pelo avesso. Só sei que nada sei, dizia o verdadeiro sábio, criador do pensamento ocidental. Só que o sabichão de mesa de bar é apenas isso. Ignorante inofensivo.

Sendo presidente, Bolsonaro causa enorme problema para o país e para sua população. O que nos salva, parcialmente, é que a população é mais esperta que o presidente.

A maioria esmagadora dos brasileiros corre atrás da vacina, seja qual for e onde esteja sendo aplicada. A adesão dos brasileiros à vacina está bem acima da média mundial. Aqui não tem movimentos antivacina, demonstração de que a maioria não cai na conversa maluca do presidente.

NEGACIONISMO – Mas o estrago está feito. O negacionismo de Bolsonaro atrasou a chegada das vacinas ao Brasil e, pois, contribuiu para um número maior de doentes e mortos.

O que evitou o pior — um país sem vacinas —foi a ação do Supremo Tribunal Federal, que reconheceu o poder de governadores e prefeitos nos programas de combate à pandemia. E estes lutaram pelas vacinas, assim como parte das lideranças políticas e civis, conseguindo forçar o governo federal a adquiri-las. A mídia independente e séria teve papel crucial ao mostrar os dados da ciência e os fatos observados.

Médicos e profissionais da saúde pública e privada tiveram comportamento exemplar, tirante aqueles, agora apanhados pela CPI, que agiram contra a ciência que deveriam ter aprendido. Essa barreira continua de pé. Mas é preciso impedir que o presidente continue nessa cruzada do mal.

12 thoughts on “Afirmar que a CoronaVac não tem eficácia científica comprovada é um crime grave

  1. Jesus está voltando e Bolsonaro é seu Arauto Precursor, haja vista os milhares de brasileiros que mandou ao encontro do Senhor.
    Também é uma tremenda injustiça chamar de Robôs os frequentadores das madrassas.

  2. Minha sogra tem 85 anos e levíssimo enfisema pulmonar, vez por outra enfrenta episódios de princípio de pneumonia. Foi vacinada com as duas doses de Coronavac logo no início da vacinação, não sei exatamente quando, mas creio que por início de abril, ou seja, ha 5 meses atrás. Contraiu covid, confirmada por RT-PCR, teve tosse seca, cansaço, oxigenação baixa – compramos oxímetro, chegou a bater 82 e ficou com 20% do pulmão comprometido, foi para uma consulta no hospital, receitado um anti-gripal, 2x vitamina C de 500, vitamina D e zinco, voltou para casa. Em 5 dias do início dos sintomas estava totalmente curada, cuidando das plantas, tricotando… Eu afirmo com toda certeza que a Coronavac FUNCIONA !

  3. Eu e minha esposa recebemos a Astrazeneca, duas doses. Minha esposa depois de minha sogra foi diagnosticada positiva, mas com sintomas leves. A 17 meses tomamos os mesmos cuidados, o único ponto fora da curva foi uma ida de minha sogra ao dentista… Muito complicada de fato a situação, mas fazer o quê? O médico disse que o tipo e o tempo de exposição ao vírus é um fator muito importante a ser considerado e eu acredito, pois no período que creio crítico de contaminação eu estava viajando a trabalho e não me contagiei.

    • 1 – Como assim, você estava viajando a trabalho?
      Vou não obedeceu a orientação da vagabundagem esquerdista do “fique em casa o trabalho a gente vê depois?

      2 – Então você afirma que não precisa de terceira dose; duas já são o suficiente? vacina boa é uma dose só.

      3 – Alias; por que não dão logo essa terceira dose para os “grupo de risco”; estão esperando é a imunidade de rebanho; que já está sendo alcançada.

  4. Publicar as bobagens de Bolsonaro é querer que o mal cresça.
    Deixa ele falar aos ventos porque nada faz além de dizer coisas enfadonhas e que só as entendem quem for da sua espécie.
    Nada do que ele falou até aqui teve significado que interessasse ao país.

  5. A CoronaVac não é aceita nos países da ‘Commonwealth’, União Européia e Estados Unidos por INEFICÁCIA comprovada. Eu mesmo recusei a CoronaVac duas vezes. Estou vacinado com a AstraZenica.

  6. Até hoje não existe vacina contra aids e câncer.
    Está difícil surgir uma vacina que imunize de imediato.
    Acredito que essa vai surgir muito lá adiante, quando já não houver mais interesse econômico ditando as ações.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *