Agora, a bola da vez é o governador de Goiás, junto com Cachoeira e Cavendish

Resultado de imagem para perillo, cachoeira e cavendish

Perillo, envolvido em tenebrosas transações

André de Souza
O Globo

O vice-procurador-geral da República, José Bonifácio Borges de Andrada, denunciou o governador de Goiás, Marconi Perillo, pelo crime de corrupção passiva. A acusação diz que ele recebeu R$ 90 mil de propina da empresa Delta Construções para, em troca, beneficiá-la com contratos no estado. A defesa do governador nega irregularidades. Também foram denunciados, por corrupção ativa, outras três pessoas: o bicheiro Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira; o empreiteiro Fernando Cavendish, da Delta; e Cláudio Dias Abreu, que era diretor da empresa no Centro-Oeste.

Segundo Bonifácio, Marconi recebeu propina para beneficiar a Delta em contratos do estado de Goiás entre 2011 e 2012. Marconi foi governador de 1999 a 2006. Entre 2007 e 2010, exerceu o mandato de senador, voltando a se eleger governador, cargo que assumiu novamente em 2011. Segundo o vice-procurador, os valores dos contratos da Delta em Goiás pularam de R$ 5 milhões para R$ 70 milhões após Marconi se tornar novamente governador.

PROPINAS DA DELTA – “O papel do acusado Marconi Perillo, então Governador do Estado de Goiás, era central. Com a assunção à chefia do executivo estadual em 01/01/2011, Perillo chancelou o violento aumento do número de contratos de diversas áreas da Administração entregues à Delta Construções, em virtude do que recebeu vantagens indevidas dos demais acusados, por meio de empresas fantasma criadas para tanto”, escreveu Bonifácio.

Segundo a denúncia, a criação das empresas fantasma cabia a Cachoeira. O esquema era usado para corromper outros agentes públicos do estado. “Carlinhos Cachoeira, fomentado por Cavendish e Cláudio, organizou a distribuição das vantagens. Registre-se que a empresa fantasma cumpriu o seu papel de núcleo distribuidor de vantagens indevidas, já que nesse período entregou a pessoas diversas R$ 21.808.584,93. Tudo isso, sem apresentar nenhum funcionário sequer”, sustentou o vice-procurador, fazendo referência a uma das empresas usadas por Cachoeira.

DÍVIDAS DE CAMPANHA – A propina, segundo Bonifácio, foi repassada em duas parcelas e foram usadas para o pagamento de dívidas de campanha. O primeiro repasse, no valor de R$ 45 mil, foi em 14 de abril de 2011. O segundo, também de R$ 45 mil, em 18 de maio do mesmo ano. Em troca, Marconi ampliou o número de carros da Delta locados pela Secretaria de Segurança Pública goiana.

Segundo a Procuradoria-Geral da República (PGR), a denúncia se baseia em extratos bancários e interceptações telefônicas, entre outras provas. O relator é o ministro Humberto Martins. Caso a denúncia seja aceita, Marconi vira réu.

O advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que defende Marconi, diz que não há fundamento para a abertura da ação penal e demonstrou convicção de que o caso será arquivado. “Imaginar que um Governador de Estado dê qualquer vantagem a pessoas ou empresas em troca de 2 pagamentos de 45 mil reais é fruto do momento punitivo pelo qual passa o pais”, disse o advogado em nota. Em outro ponto, ele disse: “O andamento das apurações demonstrou que os fatos em questão, bem como os demais a ela relacionados, não foram comprovados, e não houve qualquer benefício ou vantagem a pessoas ou empresas.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Por causa da Lava Jato, o Brasil mudou, está mudando cada vez mais. Pode-se até vislumbrar a grande nação em que se tornará, quando arranjar um governo decente, que equacione o problema da dívida, moralize o serviço público e atue sempre em benefício da nação, ao invés de defender interesses espúrios. Sonhar ainda não é proibido. (C.N.)

12 thoughts on “Agora, a bola da vez é o governador de Goiás, junto com Cachoeira e Cavendish

  1. -Se um “um punhado” de juizes/promotores/procuradores de “primeira instância” fez esse rebuliço todo, imagine se no SUPREMO, ao invés de POLÍTICOS, tivéssemos ONZE JURISTAS de verdade!!!
    -Com certeza seríamos a segunda maior economia do planeta.

  2. Grande CN
    Permita-me comentar tua nota.

    NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG – Por causa da Lava Jato, o Brasil mudou, está mudando cada vez mais. Pode-se até vislumbrar a grande nação em que se tornará, quando arranjar um governo decente, que equacione o problema da dívida, moralize o serviço público e atue sempre em benefício da nação, ao invés de defender interesses espúrios. Sonhar ainda não é proibido. (C.N.)

    E tudo isto poderá ocorrer NO DIA EM QUE O POVO BRASILEIRO assumir compromisso com seus herdeiros – as próximas gerações.
    Não podemos esperar que só a natureza produza efeitos.

    Também quero/desejo sonhar!

    Abraço e saúde.

  3. Também penso que a Lava Jato cumpre com seu papel em todos os sentidos.
    Escancarou o “impensável” em uma nação tomada pela corrupção e desesperança nas instituições.
    A Lava Jato conseguiu muito. Agora, espera-se que o STF cumpra com seu papel e coloque (de verdade) os poderosos criminosos na cadeia.
    Só falta isso!

  4. “Eu proporia que se substituíssem todos os capítulos da Constituição por: Artigo Único – Todo brasileiro fica obrigado a ter vergonha na cara.”
    ― Capistrano de Abreu.

  5. Quem não se lembra da CPI do Cachoeira??? Terminou em Pizza!!!

    Nela rolou um acordo imundo de bastidores que salvou os governadores Agnelo Queiroz (PT), Sergio Cabral (PMDB) e Marconi Perillo (PSDB).

    O Brasil não vai mudar enquanto TODOS os partidos não deixarem a pilantragem para trás!

  6. Nao acreditamos que o Marconi esteja envolvido nessa ele e muito correto. entao, ou os delatores estao jogando lama nele, ou se for verdade, ele e um tremendo politico mentiroso , ai ele tem dupla personalidade. E se a justica provar que ele recebeu, ele vai morrer batendo o pe que nao recebeu Agora e esperarmos a verdade. Se for verdade que ele seja humilde dizer que errou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *