Ainda há tempo para Cármen Lúcia travar o bom combate e reerguer o Supremo

Resultado de imagem para carmen lucia chargesJorge Béja

A presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, está deixando o tempo passar de braços cruzados, enquanto o país pega fogo. Mas teria ela poder para fazer alguma coisa, além daquelas que a Constituição Federal e o Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal outorgam a quem preside a Corte? A resposta é positiva.

Um presidente da República é o chefe do Poder Executivo e põe e dispõe sozinho, outrora por decretos e decretos-leis e hoje por Medidas Provisórias. Já os chefes dos dois outros poderes, o Legislativo e o Judiciário, chefiam poderes colegiados. A atuação autônoma, monocrática e isolada de cada um não é tão ampla quanto ao de um presidente da República. Isso no âmbito jurídico, porque na esfera política, os chefes dos três poderes têm autoridade, prestígio e influência que nenhum outro brasileiro tem.

OMISSÃO – E Cármen Lúcia parece que não sabe disso. Veja agora essa situação embaraçada, confusa, sem lastro e sem rumo, que é o de construir nova legislação eleitoral, às pressas, no afogadilho, no interesse próprio de cada parlamentar. Por que Cármen Lúcia, como chefe do Poder Judiciário nacional e cidadã, que entra e sai em qualquer palácio sem pedir licença e sem hora marcada e a quem todos se curvam em sinal de respeito (não, de servilismo), por que a senhora ministra com sua experiência profissional e de vida não dá sua contribuição, sugerindo, propondo, a mero título de colaboração e da construção de um Brasil menos pior do que está?.

Não, Cármen Lúcia não fez nada disso. Ainda poderá fazer, pois lhe resta mais de um ano de mandato. Mas até agora não fez nadinha, nadinha. Não agiu. Ficou engaiolada lá no prédio do STF, dentro do seu gabinete e fez o quê?

AINDA HÁ TEMPO – Vamos, ministra Cármen Lúcia. A senhora é uma de nossas poucas esperanças, neste país de políticos e empresários bandidos e corruptos. Sua autoridade, legal e moral, é inabalável. Entre em cena. Eis uma sugestão, de um idoso brasileiro que muito já contribuiu para o progresso do país e agora, no fim da vida, vê que o que fez está a se perder. É simplicíssima. É facílima. E justíssima. Basta ser votada e aprovada uma lei de poucos artigos, estabelecendo um teto de gasto financeiro para a campanha eleitoral a cada candidato.

Exemplo, meramente exemplo hipotético para facilitar a demonstração do raciocínio: candidato a vereador só poderá gastar até 50 salários mínimos. A deputado estadual, 100 mínimos. A federal, 200 mínimos. E a escala vai crescendo, moderadamente, até chegar à candidatura à presidência da República. De onde vem o dinheiro? Do próprio candidato. Ele que arranje o dinheiro e depois preste contas à Justiça Eleitoral do quanto gastou e de onde veio o dinheiro gasto.

DINHEIRO DO POVO –  Esse tal fundo partidário é dinheiro do povo a sustentar partido político. E o povo não aceita isso. Que cada candidato gaste o que é seu, ou conseguiu arranjar, até o teto-limite que a lei estabelece para o cargo eletivo a que ele concorre.

Vai aqui um exemplo (ou situação) prático e real. Um grande condomínio de centenas de unidades vai eleger o síndico e demais ocupantes dos cargos da administração do condomínio. Pergunta-se: é justo que os candidatos a síndico apanhem parte do dinheiro da conta bancária do condomínio para pagamento dos gastos de suas campanhas? Ou é justo que cada candidato gaste o seu próprio dinheiro, até um teto-limite que a Convenção do condomínio permite, para que não venha ocorrer o abuso do poder econômico, ou seja, o candidato rico, de muitas posses, faça uma campanha colossal, chegando até a pagar cachê ao Neymar para vir apoiá-lo, enquanto os demais, sem dinheiro e sem posse alguma, só têm condição de imprimir um texto, rodar no velho, arcaico e ultrapassado mimeógrafo e distribuir a cada condômino, contento suas intenções e propostas se eleitos forem?.

Vamos, ministra Cármen Lúcia. Entre em campo. Venha jogar o jogo. E vença a partida, o bom combate e reconstrua este nosso país, tão arrasado e destruído quanto os campos, as terras, rio e mares por onde passaram os dejetos da Samarco e nada aconteceu a seus diretores. E todo o processo foi anulado recentemente. E também o governo não cumpriu com o seu dever, que era o de cassar a concessão à mineradora.

20 thoughts on “Ainda há tempo para Cármen Lúcia travar o bom combate e reerguer o Supremo

  1. LULA E A CARAVANA DOS FANÁTICOS PROMETEM MILAGRES

    Jorge Oliveira/Diário do Poder

    Brasil – Não pense que é fácil consertar o Brasil depois do desastre Lula/Dilma. Os quatorze anos da dupla deixaram uma herança tão maldita no país que vai demorar décadas para ser riscada do mapa. A insegurança, o desmonte da máquina administrativa, a corrupção e a falta de ética na política da era PT levaram o país a decadência e ao último nível da escala moral, quiçá do mundo. O Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul faliram, a Petrobrás quebrou, as obras viraram cemitérios de sucatas, os monumentos esportivos das Olimpíadas estão se desmoronando, a criminalidade explodiu com seis pessoas mortas por hora, empresários e executivos de estatais estão presos. E o Lula, símbolo de toda essa devassa, condenado por corrupção, vive no Nordeste fazendo discurso demagógico e populista para enganar a população novamente.

    A caravana dele assemelha-se a do cearense Antônio Conselheiro (1830/1897), o peregrino, líder religioso, que arrastava centenas de fanáticos pelas estradas empoeiradas do Nordeste na sua pregação contra a República. Para aumentar o número de seguidores, manipulou a miséria e os seus miseráveis até culminar com a Guerra de Canudos. Por aqueles locais da caatinga também já apareceram outros heróis: Lampião, Padre Cícero e Floro Bartolomeu, todos imbuídos dos mesmos propósitos: fazer justiça e livrar o povo da fome atávica, mas tirar dele o apoio as suas causas políticas nem sempre nobres.

    Não à toa, os que acolhem Lula nas suas andanças são os beneficiados do Bolsa Família, o programa do curral eleitoral. De ônibus, a pé e em comitivas pelas ruas, Lula e sua trupe vão de cidade em cidade divulgando o lema “Lula pelo Brasil”, replay de um filme preto e branco, desbotado e desfocado. E de quebra, ainda é homenageado com título de doutor honoris causas por algumas universidades federais, abastecidas com o dinheiro público, como aconteceu na cidade de Estância (SE) e Arapiraca (AL), por iniciativas de reitores retrógrados.

    Os jornais têm noticiado a caravana lulista com discrição. As televisões, prudentemente, evitam exibir as cenas por considerar que Lula faz campanha antecipada para presidente da república. Na verdade, Lula quer transformar os conterrâneos em habeas corpus. O raciocínio é simples: como ele não conseguiu nenhum tipo de apoio popular, nenhuma manifestação de rua a seu favor no resto do país depois da condenação, agora procura a proteção dos nordestinos que lhes dão a liderança nas pesquisas. Planeja, com isso, sensibilizá-los para o caso de ser preso.
    Engana-se. Se ele pensa numa rebelião por aquelas bandas, pode tirar o cavalinho da chuva. Com exceção de pequenos movimentos revolucionários locais, a história não registra nenhuma insurreição desse povo em defesa de alguma causa. O nordestino, pela sua carência, é sofrido, desinformado e alienado. Ainda troca o voto por um prato de comida e tem entre os seus heróis os políticos fisiológicos que usam o poder público para empregar e distribuir migalhas que os garantem no poder. Não foi diferente quando Lula assumiu a presidência. Em vez de criar programas que libertassem os seus conterrâneos desse atraso secular, ele fez exatamente o contrário por conhecer a gênese do seu povo: amarrou-o no Bolsa Família, mantendo-o refém do seu partido a troco de tostões. Assim, criou o curral eleitoral que garantiu a sua turma devorar os cofres públicos durante 14 anos.

    Agora, ele volta ao Nordeste em campanha cumprindo uma agenda política. Quero, aqui, contribuir, modestamente, com a caravana em um roteiro alternativo: visita as obras inacabadas e sucateadas de transposição do São Francisco; a refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, superfaturada em R$ 2,1 bilhões, núcleo da corrupção petista. Conhecer as rodovias esburacadas e destruídas, prefeituras falidas, plantações e gados devorados pela seca por falta de irrigação, crianças subnutridas e sem escolas, violência indiscriminada, desemprego pela estagnação da economia e a falta de hospitais e postos de saúde.

    Infelizmente, companheiro Lula, este é o entulho que o PT deixou na porta de cada nordestino. Portanto, nada mudou, senão para pior. O avanço social tão propalado do seu governo não passou de propaganda enganosa. O Nordeste que você agora percorre novamente em busca de votos é o mesmo: miserável.

    Assim, cegos aos problemas da região, lá vai o novo profeta e seus fanáticos distribuindo milagres para salvar os conterrâneos da fome. E o nordestino, coitado, ainda acredita.

    Acorda, Nordeste!

  2. Boa tarde.

    Cada vez fico a lhe admirar mais, Jorge Bejá. Para um bom entendedor um pingo basta.
    Carmém Lúcia, sei que lê este veículo de informação, ratificando tudo que o jurista Jorge Béja disse e colocando algo mais, sugiro-lhe:
    Pare com todos os processos do STF e faça uma FORÇA TAREFA DO STF julgando dos 100 os 96 que faltam dos processos com foro privilegiado. O Brasil precisa e lhe pede…

  3. Há muito tempo , não lia um comentário tao contundente e verdadeiro, numa análise perfeita, mostrando os verdadeiros motivos que levaram o país a desgraça que se encontra, deixando uma verdadeira bomba, que para desarma-la, a nação está pagando caro e os mais pobres e ignorantes são os mais prejudicados.
    Lula vai ficar na história como o enganador, que explorou a ignorância do povo.

    • O livro foi ignorado por todos os que pensam neste país. Foi escrito para alimentar as mulas petistas que vão continuar comendo capim pois continuam encantados pela promessa de dinheiro sem trabalho.

  4. Amigo , a função ( stf ) é a de proteger os interesses do sistema , não da nação ou da sociedade . Isto Está mais que claro , mais que óbvio . A função desta senhora e fazer justamente o que ela faz , nada .

  5. Enquanto ficamos aqui hipnotizados pela novela judicial e policial, cujo final pouco importa para o Povão do Brasil profundo, que segue com seus direitos negados, o governo vai vendendo o patrimônio público, como se fosse fim de feira…com sérios riscos para acirrar os conflitos fundiários e elevar a ameaça aos povos indígenas e tradicionais…

    Governo extingue a Reserva Nacional de Cobre e Associados (Renca) e libera mineração próxima a tribos e área ecológica.

    O decreto de extinção foi publicado no Diário Oficial da União nesta quarta (23) e abre
    o espaço para exploração privada. A área rica em ouro e outros minérios tem grandes
    reservas naturais e terras indígenas. O temor dos ambientalistas é de que a abertura da Renca
    possa gerar uma série de conflitos entre a atividade minerária, a conservação da
    biodiversidade e os direitos indígenas.

    “Uma eventual corrida do ouro para a região poderá causar danos irreversíveis a
    essas culturas e ao patrimônio natural brasileiro”

    https://goo.gl/QfdkpM

  6. ENDEUSAR LADRÃO neste país estimula editar livros editados, e são denominados os que apoiaram esta iniciativa esdrúxula como “setores progressistas da sociedade”!

    Bom, se progresso é aceitar e concordar em ser roubado, quero continuar retrógrado e atrasado!!!

    Agora, aqueles que compõem o livro, “renomados juristas”, com a devida vênia, VÃO SER MENTIROSOS E INCOMPETENTES lá no … lá no … raio que os parta!!!

    Pois me quedarei em escrever a contrapartida:
    Comentários sobre a Corrupção Anunciada – Os Cúmplices de Lula!

    Evidentemente, mencionando eu os admiradores e fieis seguidores do escroque, do ladrão Lula, que assinam esta excrescência.

  7. ‘”EDITAR LIVROS EDITADOS”
    fiquei tão desagradavelmente surpreso com esta reação de imbecis e idiotas, que errei.

    Cortem o EDITADO ou, caso quiserem, cortem o livro porque insano e absurdo!!!

  8. A ministra Cármen Lúcia é correta, decente, austera, com o nosso eminente dr.Béja a incentivá-la a se fazer presente como presidente do STF, diante da sua discreta e quase omissa gestão à testa da Alta Corte.

    Os arroubos de seus colegas, seus exageros, seus comportamentos que vão de encontro ao clamor popular e à própria Justiça, deveriam tê-la impelido a colocar ordem na casa, e não permitindo que o Supremo se tornasse um mercado persa, uma feira de bairro, uma espécie de quermesse colegial, com prisões e liberações de presos, faltando que Gilmar Mendes e Toffoli cobrem beijinhos para essas liberações!

    Gilmar tomou conta do tribunal, é o seu dono, amo e senhor.

    O ministro se tornou o dono da verdade, a voz da razão, e ofende e agride procuradores e policiais federais, além de desprezar o hercúleo trabalho do seu colega Sérgio Moro!

    Cármen apenas o observa, quieta, calada, sem contestá-lo, sem corrigi-lo, sem criticá-lo ou colocá-lo em seu devido lugar de que faz parte de um colegiado, de uma equipe, razão pela qual a sua atuação está sendo questionada diante dessas demonstrações de anarquia que se transformou o STF!

    Se Cármen não quer se comprometer, agindo exatamente como está fazendo, ou seja, imóvel, estática, mais do que nunca está comprometendo a sua gestão, assim como o seu nome, justamente por não exercer a sua autoridade e determinar que sejam pautados julgamentos de extrema importância para o país e Judiciário, ampliando as vozes dissonantes da sua forma de trabalhar ou de fingir que trabalha, nessas alturas!

    O incentivo do dr.Béja, para que lute o bom combate tem os seus motivos, haja vista que a ministra Cármen disse que iria para a guerra, armou-se convenientemente, disse que lutaria pelo povo, mas, no campo de batalha, quer desistir da sua promessa pública!

    UM FIASCO ou, então, VERGONHOSO!!!

  9. Com duas férias anuais, finais de semanas prolongados e recessos TEMPO é o que não falta para os nossos magistrados,,,

  10. O gilmar mendes, está chafurdando no pântano pode ser estratégia da Presidente Cármen Lúcia esperar ele se afogar na lama o que parece estar acontecendo dado o desespero do cidadão.
    Agora, ela precisa tomar ação pois não adianta chorar depois que os venais do congresso aprovarem essa miserável reforma política que só visa a proteção dos corruptos.
    O exemplo da eleição do síndico foi brilhante e é por aí que devemos EXIGIR que o congresso se norteie. Hoje políticos não servem para nada.

  11. Drª Carmen, suas palavra de posse, o vento levou para a s calendas gregas, o STF, está com sinistros, o careca , nomeado por Temer, vetou a OAB, já está Gilmar Mendes, o estuprador da Srª Justiça; Pais com uma Justiça podre, é tudo menos uma Nação. Sinceramente, só vejo trevas no horizonte, a Cidadania, é estuprada pela corja do poderes públicos, da maneira que o navio Brasil está navegando, é um verdadeiro Titanic, só as FFAA, intervindo, fechando congresso, executivo e judiciário, prendendo os já acusados, com a devolução do roubo de bilhões ao “cofre”, um prazo de 6 meses, com chamada para eleição direta, e uma Constituição, de “Servir ao povo”, e não a canalhada, para evitar uma guerra civil, com derramamento de sangue. A bem da Verdade, não temos politico, e, sim, politiqueiros a fazer politicagem, nos transformando em republiqueta democradura, com uma colcha de retalhos, com 100 emendas de auto proteção da corja, chamada constituição. Justiça que só pelaliza os 3 Ps, é tudo.menos Justiça..

  12. Alex; este país estava uma maravilha; povo feliz. Meia dúzia de golpistas derrubaram a Dilma. No dia seguinte começou uma crise econômica gigante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *