Ala do PT quer antecipar lançamento de Lula para alimentar batalha jurídica

Resultado de imagem para lula candidato charges

Charge do Lézio Junior

Daniela Lima
Folha/Painel

Antes que seja tarde, uma ala da cúpula do PT quer antecipar a convenção que vai oficializar a candidatura presidencial de Lula. Inicialmente marcado para o dia 4 de agosto, o evento ocorreria em 28 de julho – uma semana antes do previsto. A mudança da data, de acordo com esses petistas, poderia criar um fato novo para dar base a recursos que serão apresentados à Justiça. A sigla insistirá nas ações em que pede que o ex-presidente seja autorizado a dar entrevistas e gravar vídeos de dentro da cadeia.

No recurso que prepara ao TRF-4 contra a decisão em que a juíza Carolina Lebbos proibiu o petista de falar com a imprensa, a defesa de Lula vai citar manifestação recente do Comitê de Direitos Humanos da ONU. O colegiado enalteceu pacto internacional que garante que todo cidadão pode participar dos assuntos públicos do país.

PROGRAMA – Alternativa do PT para a eleição presidencial, o ex-prefeito Fernando Haddad debateu com Lula, na sexta (13), os últimos capítulos do plano de governo do partido. Eles tratam da reforma do Estado e de ecologia.

A parte mais densa e simbólica da peça – propostas para a economia e a área social – já havia sido aprovada pelo ex-presidente.

Brasil Horas depois de ter se retirado da disputa pelo Planalto, o empresário Flávio Rocha (PRB), da Riachuelo, embarcou para a Europa.

MEIRELLES – Os acenos do centrão a Ciro Gomes (PDT) não preocupam Henrique Meirelles, o presidenciável do MDB. Com 1% nas pesquisas e sem aliados em sua coligação, o ex-ministro da Fazenda acha que, neste momento, quem mais se desgasta com a debandada de siglas como DEM, PP e Solidariedade é Alckmin.

Meirelles não tem esboçado preocupação com o fato de que, provavelmente, se for mesmo candidato, acabará sozinho, sem aliados. Ele acha que o tempo de TV que o MDB tem é o suficiente para crescer na eleição.

FUTURO DE DORIA – Em verso e prosa Afilhado político de Alckmin, o ex-prefeito João Doria, pré-candidato do PSDB ao governo de SP, divulgou jingle com a seguinte letra: “Vem, o futuro acabou de chegar/ Um novo jeito de governar/ Doria vai São Paulo mudar”.

Bem, o PSDB governa o estado há mais de 20 anos.

7 thoughts on “Ala do PT quer antecipar lançamento de Lula para alimentar batalha jurídica

  1. Que palhaçada ! O que não tem de graça, sobra de intolerância, desprezo pela lei, pela a ética e, acima de tudo, pela população que um dia se enganou com essa quadrilha escruta, principalmente, os pobres, que hoje são miseráveis.

  2. Mais um blá, blá, blá da petista e sujíssima Folha. E, eu perdendo tempo pensando que pudesse tirar algo de bom. De onde nunca sai nada de bom não é agora que sairia

  3. O negócio que nem há opção, nem houve nesse período que você citou. Teria sido melhor que São Paulo tivesse tido o Maluf como governador, ele que quase venceu várias eleições? Ou o Rossi, caso alguém se lembre dele? Ou, no campo dito progressista, a Marta Suplicy ou o Mercadante tivessem sido governadores, para coroar o império lulista?

  4. É preciso aceitar o fato de que o povo, portanto o eleitorado, não tem memória, não tem vergonha na cara, não tem responsabilidade com ele e com os demais.

    Em outubro muitos terão os mandatos renovados.

    Ai, quando a coisa continuar como está ou piorar, arrumaram culpados. Primeiro a urna (não a funerária), depois a grande mídia, os empresários corruptos até chegar aos que vendem o voto.

    Amigo, se a democracia é o exercício da cidadania e tem como arma o voto, bem, pelo menos para mim, estamos ferrados!

    É preciso pensar, se quisermos sair do buraco. E a primeira coisa é entender que somos diferentes. Não adianta querermos imitar outros, copiar outros. Quem é igual a nós? Nenhum país!

    Portanto, temos de “inventar ” algo que “case” com o nosso jeito, nossa índole, Uma parcela odeia o sistema americano (não sabe como é mas odeiam); outra quer o “socialismo”, mas também não sabem como é. Parlamentarismo? Se ouvissem as barbaridades que venho ouvindo nas duas últimas décadas!

    Aqui nada disso funcionará. O que serve para uns, não serve para outros. Somos um povo dividido por tudo. Olhe as regiões do país.

    Claro que temos algumas coisas em comum. Exemplos:
    – muitos querem se aposentar bem jovens e com bom salário. Contribuir? Tudo bem, mas com pouco;
    – futebol: temos quase 200 milhões de técnicos. Jogares bons e valorizados? A maioria está jogando fora;
    – feriados: quanto mais melhor. Afinal somos filhos de Deus:
    – educação de qualidade: a imensa maioria deseja e cobra isto. Menos deles próprios. Para grande parte da sociedade quem educa é a escola!
    – escolarização: é bom que tenha, mas não pode cobrar muito as crianças;

    São as coisas comuns. É claro que é o estado que tem de fazer. Mas não pode cobrar impostos. tem de baixar.

    Para por aqui, antes que tenha vontade de pedir asilo em alguma republiqueta da Europa.

    Pode-se acreditar numa sociedade que, mesmo diante de tudo, ainda votaria no Lula?

    Solução? Claro que tem. mas não vou dizer. Primeiro por que desejo valorizar “minhas ideias”. Segundo por que a maioria não gostaria, não aprovaria.

    Fallavena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *