Ala militar indica para o MEC um coronel que é doutor em Engenharia Aeroespacial

4. Defendendo os Interesses dos Militares - YouTube

Gobbo Ferreira é contra as cotas que beneficiam os negros

Deu no site Brasil sem medo

O coronel José Gobbo Ferreira é hoje o principal nome cotado para assumir o Ministério da Educação no lugar de Abraham Weintraub, que deixou a pasta no último dia 19 de junho. O secretário de Educação do Paraná, Renato Feder, foi o principal cotado ao longo desta sexta-feira (3), mas saiu do páreo neste sábado (4).

Gobbo Ferreira está sendo visto pela ala militar como um “conciliador”, por ser militar e ter perfil conservador. Fontes do Palácio do Planalto indicam que o nome do coronel seria aprovado tanto por apoiadores do governo nas redes sociais, como por militares da alta cúpula do governo.

OUTRO CONCORRENTE – Além do coronel, o presidente da Associação Nacional das Universidades Particulares (ANUP), Rubens Lopes da Cruz, também está sendo cotado para a chefia do MEC, por indicação de Elizabeth Guedes, irmã do ministro da Economia, Paulo Guedes e vice-presidente da ANUP.

Ainda não há informações sobre uma eventual aceitação de Ferreira para o cargo, mas especula-se que o militar irá encontrar o presidente Jair Bolsonaro nos próximos dias.

Gobbo Ferreira é coronel do Exército, graduado em Material Bélico pela Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), bacharel em Engenharia Química pelo Instituto Militar de Engenharia, pós-graduado em Economia pela Fundação Getúlio Vargas, mestre em Engenharia Mecânica pela Universidade, e doutor em Engenharia Aeroespacial pela Universidade de Poitiers, na França.

O militar possui curso de Altos Estudos de Política e Estratégia (CAEPE) da Escola Superior de Guerra (ESG), fala cinco idiomas e tem perfil conservador.

LIVRO SOBRE O PT – Atualmente é professor de economia convidado e membro permanente da Comissão de Auto-Avaliação da Escola Superior de Actividades Imobiliárias e consultor de projetos de engenharia para a empresa Deltarroba em Lisboa, Portugal.

O militar é autor do livro “Dez anos de PT e a desconstrução do Brasil”, lançado em 2013, onde faz uma vasta análise crítica sobre o governo do PT e refuta várias narrativas criadas em favor do partido. No livro, Ferreira rechaça a política de cotas criada no governo Lula II, a aliança do partido com o Foro de São Paulo, a importação de médicos cubanos via “Mais Médicos”, entre outros.

###
UM NEGRO CONTRAS AS COTAS RACIAIS

 “No Brasil, o negro que não consegue ser admitido no ensino superior não o é por ser negro, mas por não estar preparado, e não se tornará qualificado e nem conseguirá se sair bem no curso superior por decreto ou pelo teor de melanina de sua pele. O problema dele está na orientação perversa que o governo está imprimindo ao ensino fundamental. Corrija-se essa etapa, universalize-se o acesso a ela e ninguém mais precisará passar pela humilhação de depender da cor de sua pele para entrar, por piedade, em uma universidade. O Autor, com muito sangue negro nas veias, se sente constrangido por esse tratamento, e o considera, isso sim, o verdadeiro racismo” –trecho do livro de Gobbo Ferreira, p. 24.

Sobre o ex-presidente Lula, o coronel escreveu: “Ele, como a maioria dos componentes de seu partido, é de um abissal despreparo intelectual e de um trato pessoal vulgar e mal educado, além de uma absoluta falta de escrúpulos. Possui, porém, uma esperteza inata e uma natural facilidade de conexão com a parcela mais humilde e despreparada da população, incapaz de perceber para onde o populismo, a demagogia e a desonestidade de propósitos a estão conduzindo. (…) Cercou-se de uma malta imbuída dos mesmos propósitos, quais sejam, de colocar em prática os ensinamentos de Antônio Gramsci para tomar de assalto definitivamente o poder e enricar-se da maneira mais desbragada e rápida possível, não se pejando de convidar para o repasto todos aqueles que possam colaborar para que esses objetivos sejam atingidos”, p. 32.

(reportagem enviada por Fernando Albuquerque Lima)

20 thoughts on “Ala militar indica para o MEC um coronel que é doutor em Engenharia Aeroespacial

  1. Agora sim!

    A educação no Br vai decolar.
    Esse coronel vai mandar o MEC e a Educação brazuca pro espaço federal, digo, sideral.
    Tomara que não tenha feito o doutorado na Argentina ou na Alemanha.
    Como o Brasil está entre os países que dominam a engenharia aeroespacial, então estamos na boa. Administrar a educação neste país aeroespacial vai ser mole, mole.

  2. A Educação com o Mercadante levou o Brasil mais longe que a nave Enterprise do Capitão Kirk.
    Mercadante e Paulo Freire levaram nossa Educação a níveis jamais sonhados até pelos alienígenas que estão vindo para capturar nosso gênios em astrofísica e retórica gramsciana.
    O prêmio Nobel de literatura vai para Lula que leu trocentos livros durante a prisão.
    Mas se o coronel emplacar como ministro vamos ver coronéis e oficiais generais ficarem mais podres de ricos que o Creso de Garanhuns.

  3. Espero que o coronel ponha em prática as suas convicções de cidadão, e lute por uma educação para todos desde a infância, para que possamos acabar com a demagogia de que a cor da pele possa fazer diferença e colocar os esquerdóides em seus devidos lugares.
    Bolsonaro não sabe escolher, porque foi mal escolhido,com exceção de Moro, e que essa escolha seja outra.

  4. Olha, não sou sectarista,o estado democrático tem lugar para esquerda,direita,centro, meio,desde que,tenha o farol de políticas públicas.

    O”probrema” é nós que não sabemos escolher, e gostamos de cair no conto dos vigaristas, dos mercenários,dos entreguistas que usam a fachada de direitista ou esquerdista para fazer bons negócios para determinado grupelho.

  5. A análise de Lula e do petismo, reproduzida de seu livro, no meu entender, dá muitos pontos para sua candidatura, não pelo aspecto ideológico e sim pela clareza e exatidão do seu pensamento.

  6. Bolsonaro não aprendeu e não vai aprender jamais, que ideologizar a educação vai cometer os mesmos erros do PT!
    Se, antes era de esquerda, agora será de direita.

    Nesse pêndulo educacional e programático nas escolas e universidades, o resultado é o prejuízo não só dos alunos quanto dos mestres, que ficam sendo jogados de um lado e de outro pela política deletéria e manipuladora.

    Não entendo que se procure um ministro de Educação onde menos se deveria, e de alguém que não poderia exercer a função!
    Respeitosamente, o coronel que está sendo anunciado como possível sucessor daquele que não foi, e do outro que fugiu para os Estados Unidos, deixa a desejar no seu currículo a aptidão adequada ao cargo.
    Nada possui nessa área para ser oferecido ao povo como uma pessoa indicada por ter consigo uma bagagem respeitada ao Ensino.

    E, diante do que se leu sobre suas posições políticas, o coronel quer mudar o ensino nacional sem dizer como irá realizar essa sua vontade.
    Mudará os professores?
    Trocará todos os livros didáticos?
    Colocará um fiscal em cada sala de aula controlando os mestres e alunos?
    Proibirá o debate político nas Faculdades?
    Eliminará as Ciências Políticas do currículo acadêmico?
    Implantará a religião nas escolas?
    De que forma pretenderá substituir o modelo da esquerda implantado no Ensino?

    A lamentar e profundamente, a forma como a Educação é vista pelo Estado:
    Ou absolutamente desprezada ou analisada sob os aspectos políticos e ideológicos, menos com base na ciência, tecnologia e na história!
    Pois essa preocupação que se manifesta o coronel, mais ainda radicalizará as posições naturais dos alunos e professores.

    Caso agir ao contrário, ou seja, apresentar diretrizes e bases calcadas na isenção total política e religiosa, poder-se-ia afirmar que haveria esperança para o Ensino.
    Do jeito que pretende, mais ainda irá acirrar as ideologias comunistas e socialistas contra aquilo que acredita, no caso o capitalismo e, pelo que deduzo, o Cristianismo, onde as salas de aulas devem ser o retrato absoluto de um país laico!

    Quanto às cotas raciais, concordo com o seu pensamento. Tal medida demagógica mais ainda salienta e enaltece o preconceito racial, que compensar 132 anos que se passaram da Lei Áurea ou da Abolição da Escravatura.
    Muito antes de ter sido implantada essa concessão humilhante aos negros, os petistas deveriam ter melhorado o Ensino Fundamental e Médio PARA TODOS, oferecendo oportunidades iguais às crianças e adolescentes brasileiros.
    Uma dessas providências, em razão de o PDT ser aliado do PT desde a primeira hora, seria o Ensino Integral.

    No entanto, a preocupação em roubar o povo era muito maior que melhorar a vida da população, ainda mais sobre a área que, no futuro, certamente iria trazer sérios problemas aos políticos!

    Em outras palavras:
    Conforme se presume em face dos problemas atuais que Bolsonaro não se reelegerá, teremos mais uma vez a Educação sendo alterada na próxima legislatura.

    E, dessa forma, ora de esquerda ora de direita ora sem qualquer rumo traçado, nossos resultados em comparação aos de outras nações continuarão vexatórios, colocando o estudante brasileiro quase sempre no fim da fila dos países mais problemáticos nesse segmento de fundamental importância ao desenvolvimento e progressos coletivos e individuais.

  7. Quando se fala em proposta educacional no Brasil, geralmente se entende apenas de MELHORIAS SALARIAIS. A educação no Brasil desde o pós Regime Militar até o final da era Ptista, passando pelo PNA, PNE e LDB, não se sabe até hoje, de onde se deve partir e onde se quer chegar? Isto tanto com crianças, jovens secundaristas, e nossos universitários. Confundem Projeto de Educação com métodos educacionais, onde até pessoas da área educacional chegam ao absurdo de considerarem “o MÉTODO Paulo Freire” como um PROJETO EDUCACIONAL, quando simplesmente não passa de um método entre tantos outros. E enquanto isto, o Brasil fica sempre a ganhar os piores resultados em todas as etapas educacionais entre os nossos hermanos latinos e mundo afora. Nossos educando ficam como COBAIAS de Pseudo iluminados a cada governo, ou seja, não existe continuidade, ficamos reinventando a roda ao invés de aplicarmos projetos educacionais e métodos já testados e que continuam a produzir sucesso nos países desenvolvidos (e que aplicam inclusive, recursos menores de seus PIB’s em educação, porém com retorno garantido).
    “Paulo Freire, cujo maravilhoso método de ensino jamais produziu um escritor, um cientista, um filósofo ou mesmo um executivo competente, limitando-se a transformar milhares de coitadinhos em igual número de coitadinhos, é o patrono de uma educação nacional que produz analfabetos funcionais em massa e cujos estudantes obtêm sempre as piores notas nos testes internacionais. Se 41 universidades acham esse cidadão o máximo, 41 universidades deveriam ser fechadas. Paulo Freire é um sujeito oco, o tipo acabado do pseudo-intelectual militante. Sua fama baseia-se inteiramente no lucro político que os comunistas obtêm do seu método. Esse método, aliás, não passa de uma coleção de truques para reduzir a educação à doutrinação sectária. Um dia teremos vergonha de ter dado atenção a este lixo educacional…”
    Paulo Freire: Transformando analfabetos inocentes em analfabetos comunistas desde 1963.
    Se alguém ainda tinha alguma dúvida, o ranking do Pisa provou de uma vez por todas que a tal “pátria educadora”, que encheu péssimas universidades com péssimos alunos formados por péssimos professores, era apenas um embuste. Distribuir diplomas a pessoas de baixa inteligência, nenhum talento, estúpidas, cotistas, etc, é como carimbar o traseiro de bois e vacas que estão indo para o abate (neste caso justificável).
    As oportunidades que devem ser oferecidas a todos é a de uma boa formação de base!
    Depois, onde por meio da meritocracia, serão revelados aqueles mais capazes de ir para a Universidade PRODUZIR CONHECIMENTO. Transformar todo mundo em universitário apenas para não ferir a autoestima do jovem maconheiro que usa piercing no nariz e alargador na orelha é algo completamente estúpido!
    Tudo que o governo do PT conseguiu foi queimar centenas e centenas de bilhões de reais para produzir o pior, o mais idiota, o mais ignorante, o mais analfabeto, e por consequência o mais mimado, alienado e arrogante aluno do mundo!
    Agora, quando vem alguém falar a verdade os esquerdistas se mordem de raiva.
    Tem saudade do que o PT fez na educação e querem o retorno deste ensino que se comprovou perverso e maligno.
    Haja paciência!

  8. O coronel José Gobbo Ferreira em texto citado de seu livro, aqui com o subtítulo : “UM NEGRO CONTRAS AS COTAS RACIAIS” comete um erro gramatical grave, mostrando que não está à altura para assumir o Ministério da Educação. Jamais se pode escrever a expressão “e nem”, mas ele escreve assim, como está no texto de seu livro : ““No Brasil, o negro que não consegue ser admitido no ensino superior não o é por ser negro, mas por não estar preparado, e não se tornará qualificado e nem conseguirá se sair bem no curso superior por decreto ou pelo teor de melanina de sua pele” Escreve gramaticalmente errado. Vou dar o exemplo:

    Qual das duas opções você escolheria para escrever a seguinte frase?

    a) Júlia não quis comer e nem dormir.
    b) Júlia não quis comer nem dormir.

    Parecem iguais, mas não são. O correto é a opção b, sem e. Isso porque a conjunção nem já significa, sozinha, e não, o que torna esse e extra redundante e sem sentido.

    A escrita certa, na frase que o coronel José Gobbo Ferreira escreve errado em seu livro deveria ser :

    ““No Brasil, o negro que não consegue ser admitido no ensino superior não o é por ser negro, mas por não estar preparado, e não se tornará qualificado nem conseguirá se sair bem no curso superior por decreto ou pelo teor de melanina de sua pele”

    Para ser ministro da Educação há que se escrever corretamente o português, o que é o mínimo necessário. Não é o caso do coronel.

  9. Pelo currículo deste “candidato” prova que está preparado para aguentar o rojão que é o MEC. Pena que o boçal e a sua trupe não aceitaram o secretário de Educação do Paraná. Felizmente o convidado a ministro se desconvidou porque tem vergonha na cara, coisa que falta ao boçal.

  10. Primeiro,entendo que educação deve ser política de estado….
    Não pode ficar nas cores preferidas do ALCAIDE de plantão.

    Segundo,como está hj,os métodos deve ser revisto principalmente no ensino básico e por,várias razões já exposto.

    Entendo que o curriculum do senhor Ferreira, é invejável…

    PS: Eu sou do tempo do menor aprendiz,estudava no senac,de manhã e a tarde trabalhava.
    As aulas de práticas comerciais,se debatiam as vantagens e desvantagem do capitalismo.

  11. As mais importantaes habilitações o coronel engenheiro, parece, não tem: formação em pedagogia e, pelo menos, alguma habilitação em supervisão e orientação escolar. Se fosse para operar na Nasa brazuca estaria apto. Mas a Educação precisa de mais do que um currículo espalhafatoso, precisa de esperiência na área de ensino/educação, bem como de um projeto governamental claro e factível. Caso contrário o que se pode esperar é que a Educação seja mandada pro espaço mesmo, ou seja, para o ralo, que é o desejo da maioria dos políticos. Pobre Brasil!

  12. Poxa, homem fala 5 idiomas ,conhece LINGUÍSTICA, é pós graduado em economia FGV.
    Só nesses dois cursos já engloba,os quesitos necessários para pertencer ao corpo docente de q.q faculdade…

    Afinal,o preconceito é por ter um respeitável currículo,ou por ser coronel,Negro de valor que venceu na vida.

    Eu quero o melhor pro meu País,pros meus Netos,para a família Brasileira..
    No momento Sr. Jose Ferreira, é a melhor opção,a não ser, vcs estão com saudades do bronco Weintraub…

    Volta Weintraub…

    PS: Saliento, educação sou AnísioTeixeira,Darci Ribeiro, Leonel Brizola.
    Votei no Ciro Gomes,entendo que ele possui a alma Nacionalista.

Deixe uma resposta para ANTONIO Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *