Ala militar intervém e proíbe Bolsonaro de falar em golpe e atacar STF e Congresso

O GOLPE MILITAR e o achismo do Bozo de ser o Didator - xapuriinfo ...

Charge do Iotti (Zero Hora)

Carlos Newton     

Uma das mais importantes matérias dos últimos tempos foi publicada há alguns dias no site do Correio Braziliense e transcrita nesta segunda-feira aqui na Tribuna da Internet. Escrita por Vicente Nunes, um dos mais importantes jornalistas de Brasília, editor-executivo do CB, a reportagem revela que os ministros militares do Planalto, com conhecimento dos comandantes das Forças Armadas, “decidiram montar uma operação de guerra para tentar salvar o governo de Jair Bolsonaro, que enfrenta sua maior crise”.  

Vicente Nunes acrescenta que esse esquema de salvamento ganhou força total na semana passada, depois da prisão de Fabrício Queiroz, amigo do presidente da República e ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro.

DECLARAÇÃO DE PAZ – A matéria do Correio Braziliense assinala que os ministros da chamada ala militar (Braga Netto, Augusto Heleno, Eduardo Ramos e Rêgo Barros) “vêm tentando pavimentar uma ponte para melhorar as relações de Bolsonaro com o Judiciário, sobretudo com os integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF). A mais alta corte do país conduz dois inquéritos que podem resultar em estragos monumentais ao governo. Um se refere à disseminação de fake news; outro, ao financiamento de manifestações antidemocráticas”.

“Partiu dos militares do Planalto a ideia de enviar, na semana passada, três emissários do governo para um encontro com o ministro Alexandre de Moraes, em São Paulo. Ele é o responsável pelos dois inquéritos que podem pegar dois filhos do presidente — Carlos e Eduardo — por espalharem notícias falsas e parlamentares da base bolsonaristas por estarem por trás de atos que pregam o fechamento do STF e do Congresso”, destaca o jornalista, acrescentando:

“Esses inquéritos do STF vão se cruzar, em algum momento, com os processos que tramitam no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Todos pedem a cassação da chapa Bolsonaro-Mourão”.

UM OUTRO BOLSONARO – O relato de Vicente Nunes mostra que, pela primeira vez, o presidente aceitou ouvir os ministros da ala militar, que tiveram com ele uma conversa impositiva, para “evitar qualquer novo confronto de Bolsonaro com o Judiciário”. Justamente por isso, estão sendo evitados “os arroubos do presidente na porta do Alvorada com apoiadores”.

Ao mesmo tempo, os ministros se entenderam com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para segurar os 48 pedidos de impeachment do presidente.

A matéria do Correio Braziliense, portanto, justifica o surgimento deste novo Bolsonaro, que passou a defender as instituições (leia-se: Supremo e Congresso) e a missão das Forças Armadas garantirem a democracia, ao invés de intervir para dar poderes ditatoriais ao atual inquilino do Alvorada. Resta saber por quanto tempo Bolsonaro vai representar esse novo papel.

###
P.S.
Quanto aos Altos-Comandos das Forças Armadas, estão só observando até que ponto essa peça será encenada. O certo é que eles não aceitam, de forma alguma, que se diga que Bolsonaro representa as Forças Armadas. (C.N.)

18 thoughts on “Ala militar intervém e proíbe Bolsonaro de falar em golpe e atacar STF e Congresso

  1. A milicofobia transpira até virar fumaça radioativa.
    As carpideiras que choram no bivaque acabam por se tornar vivandeiras.
    Do dicionário:
    [Popular] Civil que opina em questões militares, embora não tenha conhecimento sobre este assunto, dando palpites desprovidos de fundamento.
    Etimologia (origem da palavra vivandeira). Do francês vivandière.

  2. Na visão anuviada dos saudosos da cleptocracia de outrora, o comandante em chefe das forças armadas é o petistas Toffoli, presidente do stf.
    O que diz a CF pouco importa para os que se autointitulam os mandatários do Brasil.

  3. Ah CN, como você entrou nessa. Deve estar desesperado. Você não acerta uma faz tempo. Escuta alguns aqui da TI e deixe de ser levado pelo sistema que já está podre e vai cair a qualquer momento. Esse seu coleguinha de Brasília é mais um esquerdopata que perdeu boquinha no governo federal. Isso chama-se desespero. Vou afirmar mais uma vez nesta TI: vocês da esquerda corrupta e vagabunda terão de engolir o Bolsonaro até 2026, simples assim.

  4. Envolvido com doença na família,acabei passando na data 21 junho. Em 2004 o grande NACIONOLISTA desenvolvimentista LEONEL DE MOURA BRIZOLA, nos deixou.
    São 16 anos de vazio,16 anos di solidão,16 anos de obscuridade,16 anos sem norte.
    A meu ver,seu maior legado é dar ao povo o alimento da EDUCAÇÃO,CULTURA, CONHECIMENTO CIENTÍFICO, só a sim,seremos independente, uma nação pujante,uma potência…

    Nossa reverência a esse grande Brasileiro,o Arquiteto do Universo, cuida da sua alma.

  5. De fato o presidente da república é o comandante em chefe das Forças Armadas, mas penso ser algo relativo em uma democracia. As Forças Armadas são órgãos de estado e como tal a sua principal função é defender o estado, leia-se constituição, mesmo que seja de um presidente democraticamente eleito, que queira fomentar projeto pessoal de poder e por tal motivo eliminar os outros poderes constitucionais. Só em regimes totalitários as FA servem ao poder cegamente.

    • Sr.Silvio,coisa boa ler seu texto sem sectarismo.
      Tbem compartilho que democracia tem lugar pra Liberais,Coservadores,Direita,Esquerda,Centro.

      Sem choro, a legítima anternancia do poder é boa e salutar. O Sr. Bolsonaro foi eleito com discurso de direita, até aí nenhum problema,.
      O “probrema”seu Jair não é direito.
      Tem uns devaneios alucinantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *