Alm da devastao ambiental, empregados de Padilha viviam em semiescravido

Segundo a Justia, proprietrios praticaram desmatamento irregular na rea (Foto: Reproduo/TVCA)

Padilha devastou 1,3 mil hectares dessa reserva ambiental

Pablo Rodrigo
Folha

Uma operao das polcias Militar, Civil a Ambiental de Mato Grosso, por determinao da Justia, encontrou pelo menos 1.900 cabeas de gado durante os mandados de busca e apreenso em fazendas do ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha e seus demais scios. O ministro-chefe e mais seis scios so alvos de duas aes de bloqueio de R$ 108 milhes em bens por degradao ambiental. Cabe recurso. Tambm foram encontrados espingardas, 18 armas de fogo, uma motosserra e um trator.

A ao foi deflagrada pelas polcias Civil, Militar e Ambiental com a participao de servidores da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e peritos da Politec de Mato Grosso. As operaes de busca e apreenso ocorrem desde sbado (3).

O ex-assessor do ministro Padilha, Marcos Antnio Tozzati, seria o proprietrio dos animais. Ele tem o prazo de 72 horas para retirar o rebanho do local, sob pena de multa diria de R$ 1.000 por gado.

MAIS PROVAS – No local, alm de diversas armas de fogo, foram encontradas provas de desmatamento em rea de preservao permanente e produtos ou substncias txicas nocivas sade humana e ao meio ambiente, segundo o Ministrio Pblico Estadual.

Em uma das fazendas da regio interditada, de acordo com a Promotoria, os policiais encontraram pssimas condies das acomodaes dos funcionrios.As imagens foram encaminhadas aos Ministrios Pblico do Trabalho, Federal e ao Ministrio do Trabalho, diante da suspeita de trabalho anlogo escravido.

As buscas e apreenses foram na Paredo, a maior das fazendas, e tambm Jatuarana, Shangril e Jasmim Agropecuria. As quatro fazendas ficam na cidade de Vila Bela da Santssima Trindade, cidade na fronteira com a Bolvia, a 520 km de Cuiab.

DEGRADAO AMBIENTAL – A operao faz parte do bloqueio de R$ 108 milhes em bens, determinadas pela Justia de Mato Grosso por degradao ambiental envolvendo 51 propriedades rurais no Parque Estadual Serra de Ricardo Franco, no municpio de Vila Bela da Santssima Trindade e que foi criado h 19 anos.

As duas decises judiciais so do juiz Leonardo de Arajo Costa Tumiati proferidas no ltimo dia 30 de novembro.

A esposa do ministro Padilha, Maria Eliane, tambm foi alvo do bloqueio da Justia por ser scia do marido em uma das fazendas. O valor bloqueado de mais de R$ 3 milhes.

OUTRO LADO – Por meio de sua assessoria de imprensa na ltima tera-feira, Padilha disse ter sido surpreendido com a existncia das duas aes civis pblicas e com a busca de “bloqueio demais de R$ 100 milhes em contas correntes minha e de outras pessoas”.

Em nota, o ministro da Casa Civil disse que o juiz deferiu as liminares sem que ele fosse ouvido e que tudo o que ele tem de bens est disponvel ao conhecimento de qualquer cidado.

Padilha afirmou ainda que vai contestar as aes e cr que elas sero julgadas improcedentes. “No cometi nenhum crime ambiental. No extrai uma s rvore na propriedade em questo. Isto tudo restar provado quando da deciso final.”

###
NOTA DA REDAO DO BLOG
O omisso de Temer decepcionante. Se o presidente se chamasse Itamar Franco, o ministro Padilha j estaria demitido a bem do servio pblico. Mas continua na Casa Civil. Seria melhor se Temer o transferisse para o Ministrio do Trabalho, onde Padilha fatalmente iria aprender o que significa trabalho em regime anlogo escravido, conforme ficou constatado na busca e apreenso. (C.N.)

3 thoughts on “Alm da devastao ambiental, empregados de Padilha viviam em semiescravido

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.