Alerta de um advogado francês sobre o Islamismo

Gilbert Collard, advogado francês

Gilbert Collard

Como demonstram as linhas que se seguem, fui obrigado a tomar consciência da extrema dificuldade em definir o que é um infiel. Escolher entre Alá ou o Cristo, até porque o Islamismo é de longe a religião que progride mais depressa no nosso país.

O mês passado, participava no estágio anual de atualização, necessária à renovação da minha habilitação nas prisões. Havia nesse curso uma apresentação por quatro intervenientes, representando respectivamente as religiões Católica, Protestante, Judaica e Muçulmana, explicando os fundamentos das suas doutrinas respectivas. Foi com um grande interesse que esperei a exposição do Imã. E a prestação dele foi notável, acompanhada por uma projeção de vídeo.

Terminadas as intervenções, passaram a perguntas e respostas, e quando chegou a minha vez, perguntei: “Agradeço que me corrija se estou enganado, mas creio ter compreendido que a maioria dos Imãs e autoridades religiosas decretaram o “Jihad” (guerra santa), contra os infiéis do mundo inteiro, e que matando um infiel (o que é uma obrigação feita a todos os muçulmanos), estes teriam assegurado o seu lugar no Paraíso. Neste caso poderá dar-me a definição do que é um infiel?”

Sem nada objectar à minha interpretação e sem a menor hesitação, o Imã respondeu: “um não muçulmano”.

MATAR UM INFIEL

Eu prossegui: “Então permita de me assegurar que compreendi bem. O conjunto de adoradores de Alá devem obedecer às ordens de matar qualquer pessoa não pertencendo à sua religião, a fim de ganhar o seu lugar no Paraíso, não é verdade?”

A sua cara que até agora tinha tido uma expressão cheia de segurança e autoridade transformou-se subitamente à de um menino apanhado em flagrante com a mão dentro do açucareiro!!!

“É exato”, respondeu ele num murmúrio.

Eu retorqui : “Então, eu tenho bastante dificuldade em imaginar o Papa dizendo a todos os católicos para massacrar todos os vossos correligionários, ou o Pastor Stanley dizendo o mesmo para garantir a todos os protestantes um lugar no Paraíso.”

O Imã ficou sem voz !

Continuei: “Tenho igualmente dificuldades em me considerar vosso amigo, pois que o senhor mesmo e os vossos confrades incitam os vossos fiéis a cortarem-me a garganta !”

Somente uma outra questão: “O senhor escolheria seguir Alá que vos ordena matar-me a fim de obter o Paraíso, ou o Cristo que me incita a amar-vos a fim de que eu aceda também ao Paraíso, porque Ele quer que eu esteja na vossa companhia?”

Poder-se-ia ouvir uma mosca voar, enquanto que o Imã continuava silencioso.

ALGUMAS VERDADES

Será inútil de precisar que os organizadores e promotores do Seminário de Formação não apreciaram particularmente esta maneira de tratar o Ministro do culto Islâmico e de expor algumas verdades a propósito dos dogmas desta religião.

No decurso dos próximos trinta anos, haverá suficientes eleitores muçulmanos no nosso país para instalar um governo de sua escolha, com a aplicação da “Sharia” como lei.

Parece-me que todos os cidadãos deste país deveriam poder tomar conhecimento destas linhas, mas como o sistema de justiça e dos “media” liberais combinados à moda doentia do politicamente correto, não há forma nenhuma de que este texto seja publicado.

É por isto que eu vos peço para enviar a todos os contatos via Internet.

(artigo enviado por Manoel Vidal)

16 thoughts on “Alerta de um advogado francês sobre o Islamismo

  1. Teve alguns aqui que disseram que eu estava sendo preconceituoso quando digo que essas duas religiões, o marxista-leninista e a islamita, tem em seus fundamentos a morte daqueles que não comungam com seus credos.
    Um deles até citou que Deus fez o dilúvio e matou milhões. Isto sem observar que eu estava falando do Novo Testamento, que é o Cristianismo.

    Que tal eles se manifestarem agora?

  2. O Dr. GILBERT COLLARD, em seu artigo generaliza. Toma o particular pelo geral. A Religião ISLÂMICA como a JUDAICA e a CRISTÃ, bem como o BUDISMO, XINTOISMO, INDIANISMO, etc, são divididas em Correntes as mais diversas. O ISLAMISMO tem o ramo Sunita, o Xiita, o Wahabita, o Salafita, etc,etc. Somente algum sub-Grupo Radical Minoritário convocou Jihad contra os Infiéis. Não se pode julgar uma grande Religião como a ISLÂMICA baseado nas ideias Fundamentalistas Radicais de pequenos Grupos. E a maioria dessas violências, decapitações de Ocidentais, Sunitas, Curdos, etc, agora tão em evidência no Grupo ISIS, é de carácter POLÍTICO.
    Quanto ao desconforto dos Franceses Antigos (maioria CRISTÃOS), quanto a seus Conterrâneos oriundos de seu antigo Império da África (maioria Muçulmanos), é bem mais por motivo de Desemprego/Alto Custo de Vida na Economia Francesa atual, do que por motivos Religiosos.

    • Concordo Bortolotto, religiões/filosofias são plurais… generalizou dançou… no Islã existem correntes místicas, devocionais que vivem em oração. Os Dervixes, entram em transe dançando, tem os Drusos, tem os Sufis… etc. O problema são as interpretações radicais, quando por interesses vários dizem que a vertente que defendem é a mais certa…

    • Permita-me discordar.
      o problema é simples: não saber lidar com a LIBERDADE DE PENSAR.
      Se penso, logo existo. Idéias fundamentalistas, grupos etc e tal são meras desculpas de pessoas sem nenhuma qualificação intelectual de estabelecer limites. Não obteve a necessária educação desde tenra idade. Provavelmente não esteve em família, pais ausentes.
      Portanto é um a mais na multidão.
      Serve para Massa de manobra.

      Posso não concordar com o que você faz, mas lutarei até a morte pelo seu direito de continuar fazendo. Voltaire.

  3. Embora eu seja um ateísta confesso e convícto, ainda assim, silogisticamente, creio na existência de pessoas sensitivas e visionários. Inclusive, eu mesmo já recebi mensagens em estado de madorna (sono REM), acerca de vários prenúncios que vieream a se consumar talis et qualis: acerto em loteria, remédios curativos, morte de três pessoas etc. Na física, esse tipo de vaticínio chama-se reminiscências, vinda por patículas subatômicas (neutrinos e.g)).
    Já li sobre muitas profecias, dos mais assertivos previsores, incluso, Baba Vanda: “Os árabes vão invadir a Europa e dominá-los por algunas décadas!” Talvez seja uma reedição ampliada dos mouros na Peninsula Ibérica, com seus quase oito séculos e meios. Aguentem, seus infiéis!

  4. Terminadas as intervenções, passaram a perguntas e respostas, e quando chegou a minha vez, perguntei: “Agradeço que me corrija se estou enganado, mas creio ter compreendido que a maioria dos Imãs e autoridades religiosas decretaram o “Jihad” (guerra santa), contra os infiéis do mundo inteiro, e que matando um infiel (o que é uma obrigação feita a todos os muçulmanos), estes teriam assegurado o seu lugar no Paraíso. Neste caso poderá dar-me a definição do que é um infiel?”

    Sem nada objectar à minha interpretação e sem a menor hesitação, o Imã respondeu: “um não muçulmano”.

  5. Eu prossegui: “Então permita de me assegurar que compreendi bem. O conjunto de adoradores de Alá devem obedecer às ordens de matar qualquer pessoa não pertencendo à sua religião, a fim de ganhar o seu lugar no Paraíso, não é verdade?”

    A sua cara que até agora tinha tido uma expressão cheia de segurança e autoridade transformou-se subitamente à de um menino apanhado em flagrante com a mão dentro do açucareiro!!!

    “É exato”, respondeu ele num murmúrio.

  6. Credo!.. sem considerar para qualquer momento o Armagedon, as constantes peripécias climáticas que estão levando o mundo a se confrontar com a Natureza em fúria, mais o risco do incremento da volta da peste negra com o Ebola, só faltava mesmo uma seita assassina batizada de religião.
    O alerta do Gilbert Collard , à vista dos recentes e continuados degolamentos do Estado Islâmico, de fato, é para assustar qualquer um…
    Ironia, é ainda nos proclamarmos humanos…

  7. Eu tenho a absoluta certeza de que se fizéssemos com todos esses fundamentalistas, o que eles querem fazer conosco, simplesmente existiria paz no mundo. Percebam bem, que não existe um só terrorista no mundo, que não seja proveniente dessa gente ignorante e violenta.

  8. Os humanos, pelo menos os ocidentais, pensando em se tornarem mais humanos passaram a repudiar os preconceitos: raciais, religiosos, de sexo, etc. etc.

    Os animais não! Cobra é cobra, leão é leão, avestruz é avestruz. Ainda que se aproximem, não se juntam, nem se misturam.

    Acho que com base no combate aos preconceitos a nossa sociedade evoluída (?), tornou-se complacente e burra, além de insegura.

    Até na química alguns componentes não podem se juntar, senão a coisa explode, não é?
    Pois bem, deixaram os muçulmanos entrar e se expandirem na Inglaterra e na Europa, agora “está pegando fogo” e vai explodir se continuarem sendo complacentes com os “PRECONCEITOS”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *