Aliados de Bolsonaro nas urnas se dividem entre negar fracasso as urnas e defender autocrtica

Moro, I love you! A charge de Frank Maia | Desacato

Charge do Frank (Arquivo Google)

Naira Trindade e Gustavo Maia
O Globo

Diante das derrotas impostas aos candidatos apoiados pelo presidente Jair Bolsonaro no primeiro turno das eleies, aliados do presidente de dentro e fora do governo se dividiram entre negar um fracasso nas urnas (ou ao menos tir-lo do colo presidencial) e reconhecer que preciso mudar para recuperar o bom desempenho de 2018.

No grupo da negao est o prprio presidente, que passou a defender a tese de que eleies municipais no tm nenhuma correspondncia com a poltica nacional.

SEGUNDO TURNO Alguns aliados chegaram a aconselhar o presidente a analisar com cautela uma eventual participao no segundo turno, a fim de evitar novos reveses. Outros debateram publicamente o que fazer diante de derrotas nas urnas.

Alm de um resultado ruim na disputa para a prefeitura nas principais cidades apenas Marcelo Crivella (Republicanos), no Rio, e Capito Wagner (PROS), em Fortaleza (CE), continuam na briga , o presidente viu a maioria dos seus indicados a vereador naufragarem. Dos 44 apoiados, apenas nove se elegeram. E a votao do filho Carlos Bolsonaro (Republicanos), em um patamar muito inferior ao de 2016, tambm conta como revs.

Os assessores que defenderam a participao de Bolsonaro na campanha avaliam que o cenrio serviu como um importante termmetro para moldar a corrida presidencial de 2022, caso o chefe do Executivo leve adiante o plano de tentar a reeleio.

FORA E FRAQUEZA – Para essa ala, sem mergulhar de cabea no pleito, Bolsonaro teria dificuldade de conhecer o real tamanho de sua fora e suas fraquezas para uma prxima disputa.

Esse grupo tambm admite que a participao do presidente no pleito sem qualquer filiao partidria imps uma urgncia: a necessidade de ele encontrar rapidamente uma legenda para organizar seu grupo poltico. Bolsonaro se desfiliou do PSL em novembro do ano passado e tenta criar o Aliana pelo Brasil, ainda sem sucesso. H alguns meses, admitiu entrar em outra sigla.

O discurso da negao da derrota se fez presente. O prprio Bolsonaro foi s redes na noite de domingo lembrar que, em 2016, o ento governador Geraldo Alckmin foi visto como vitorioso, e acabou derrotado dois anos depois.

DISSE O GENERAL – Responsvel pela articulao poltica do Planalto, o ministro-chefe de Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, afirmou no seu Twitter que a esquerda saiu derrotada, destacando o fato de que o PT reduziu ainda mais o nmero de prefeitos eleitos.

J a ala que defendia um distanciamento do presidente das eleies municipais voltou a pedir que ele no se envolva no segundo turno. Na viso de assessores do Planalto, o fiasco de Delegada Patrcia (Podemos), no Recife (PE), Coronel Menezes (Patriota), em Manaus (AM), e de Coronel Fernanda (Patriota), na disputa ao Senado no Mato Grosso, no deveriam ser atrelados ao presidente uma vez que estes nomes foram trazidos por seus aliados.

O apoio ao deputado federal Celso Russomanno (Republicanos), que no conseguiu passar para o segundo turno na eleio para prefeitura de So Paulo, foi deciso do presidente. H, porm, crticas campanha do candidato. Para um aliado prximo de Bolsonaro, faltou contedo e firmeza nas ideias do marketing de Russomanno.

DESEMPENHO RUIM – Vrios aliados, porm, externaram o reconhecimento de que o campo poltico de Bolsonaro foi mal sucedido no domingo. O assessor especial para assuntos internacionais do presidente, Filipe Martins, um dos expoentes da ala ideolgica do governo, afirmou no Twitter que o movimento conservador brasileiro bateu cabea para fazer o bsico enquanto a esquerda se renovou, assimilou as lies de 2018 e soube usar a internet e a nova realidade poltica a seu favor.

Ou fazemos a devida autocrtica, ou nossos erros cobraro um preo ainda maior no futuro, declarou Martins.

Ele prosseguiu afirmando que a derrota de candidatos apoiados por cabos eleitorais de peso ocorreu porque a eleio no pode ser disputada no improviso.

QUESTIONAMENTOS – A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) fez questionamentos: O que houve com os conservadores? Erramos, nos pulverizamos ou sofremos uma fraude monumental?.

O diretor do Departamento de Contedo e Gesto de Canais Digitais da Secom, Mateus Colombo Mendes, descreveu o resultado como terrvel, mas tambm um mal necessrio. Sem organizao, sem partido, sem BASE no se sai do lugar, escreveu.

Irmo do deputado bolsonarista Carlos Jordy (PSL-RJ), Renan Leal, que no se elegeu vereador em Niteri, ps a culpa da derrota no presidente. Para ele, Bolsonaro perdeu as eleies municipais, e provavelmente a de 2022 quando achou que era maior que o prprio projeto e que esqueceu que na sola de sapato que fazemos poltica. O post recebeu resposta de Carlos Bolsonaro, em defesa do pai: A, amigo (irmo do Jordy), acho que no bem assim no! Na hora de tirar foto voc foi l e agora isso! Lamentvel!.

###
NOTA DA REDAO DO BLOG
Em traduo simultnea, a derrocada de Bolsonaro, dois anos depois de sua consagradora eleio, mostra que vai ser muito difcil emplacar a to sonhada reeleio. Espera-se que o fracasso no suba cabea do presidente. (C.N.)

7 thoughts on “Aliados de Bolsonaro nas urnas se dividem entre negar fracasso as urnas e defender autocrtica

  1. “Na sola do sapato que se ganha eleio?!!!”.
    Eu, por ser analfabeto poltico, pensava (?) que se ganhava eleio principalmente na CONFIANA que o candidato ou seu Padrinho passavam para o eleitor.
    Hoje vejo trs tipos de eleitores no “tosco” ou seus afilhados; O Alienado, O Fantico ou O Comprometido.
    Ele vai pagar ter trado as “Bandeiras de Campanha” que o levaram a presidncia.
    No votei no “andrade” por dois motivos; o padrinho com seu partido, que nos traiu e ele ter aceitado trocar seu sobrenome para ficar mais “palatvel” aos eleitores.
    Quem for afilhado do “tosco” no ter o voto de boa parcela dos eleitores.

    • Caro Jos, vc cita os trs tipos de eleitores da famlia Bolsonaro: “O Alienado, O Fantico ou O Comprometido”.
      Perfeito. Acrescento seus perfis:
      1. protestantes (principalmente os neopentencostais), os fanticos seguidores do “bolsonarismo”, militares, policiais (tambm a segurana privada e os milicianos), empresrios e pessoal do agronegcio (pecuaristas, agricultores e at latifundirios).
      No comeo era assim, mas hoje o PR j perdeu muito gado.

  2. Percebi isso tambm!

    As bolsonaretes ficaram divididos e sem ao depois dessas eleies municipais.

    Algumas bolsonaretes acusaram o pleito de fraude; as outras bolsonaretes reconheceram as eleies e confessaram que o Bozo no agrega tanto como antes.

  3. Um mea culpa sincero nunca fez e faz mal a nigum mas precisa ser sincero, ficar procurando culpados nunca foi a soluo, ou ento tudo fica como est. Sim, o fracasso nas urnas prova que o tal “bolsonrarismo” no passa de um mito, uma circunstncia que j passou. O abandono deliberado da Lava Jato levou milhes de pessoas a abandonarem o mito tambm.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.