Aliança com PSL de Datena fortalece Simone Tebet (MDB) como candidata da terceira via

José Luiz Datena acalmou fãs após passar por procedimento no coração

Datena sinaliza que deverá optar pela candidatura ao Senado

 

Pedro Venceslau
Estadão

Depois de eleger 52 deputados federais na esteira de Jair Bolsonaro, em 2018, e romper com o presidente no ano seguinte, o PSL fechou uma aliança estratégica com o MDB para tentar se manter relevante nas articulações políticas visando as eleições de 2022.

A aproximação entre as legendas começou durante um jantar em São Paulo, no início de junho, que reuniu o ex-presidente Michel Temer, o presidente do MDB, deputado Baleia Rossi (SP), e o presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE).

CANDIDATURAS PRÓPRIAS – Pelo acerto inicial, as duas siglas vão lançar um programa conjunto produzido pelas fundações Indigo (PSL) e Ulysses Guimarães (MDB), e apresentar candidaturas presidenciais próprias com o intuito de convergir em uma chapa única no começo do ano que vem. Os emedebistas apostam na senadora Simone Tebet (MT) e o PSL, no apresentador José Luiz Datena.

Nos bastidores, porém, Datena já avisou que prefere disputar o Senado, e Bivar, então, seria indicado como vice de Simone nas negociações que buscam um nome da terceira via para enfrentar Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2022.

Em outra frente, o PSL mantém acesa a possibilidade de uma fusão, seja com o MDB ou outra sigla. Ao “Estadão”, Bivar admitiu negociações nessa linha e disse que as fusões são uma “tendência” no longo prazo.

LARGAM NA FRENTE – Independentemente da sucessão presidencial, MDB e PSL querem estar juntos nas disputas estaduais e já trabalham na construção de um mapa nacional que privilegie essa dobrada.

“O MDB e o PSL largaram na frente e estarão irmanados. Lá na frente vamos conversar sobre quem será nosso candidato (a presidente)”, disse o deputado federal Júnior Bozella (SP), vice-presidente do PSL. Segundo ele, quem estiver “mais bem posicionado” vai indicar a cabeça de chapa.

Nas eleições de 2018, os dois partidos viveram momentos opostos. O MDB caiu de 66 deputados eleitos em 2014 para 34, enquanto o PSL saltou de 1 para 52.

PROBLEMAS ESTADUAIS – Apesar das tratativas, há obstáculos como a proximidade de emedebistas com Lula e o PT em palanques estaduais prioritários —incluindo Pará, com Jader e Helder Barbalho; e Alagoas, com Renan Calheiros e Renan Filho.

Em meio a essas tratativas, foi Baleia Rossi quem articulou a ida de Datena para o PSL. O objetivo foi isolar a ala bolsonarista da sigla, que ainda tem influência do deputado Eduardo Bolsonaro (SP).

“Há uma tentativa de juntar as fundações dos dois partidos em uma reflexão conjunta sobre os rumos do país. Até meados de setembro vamos apresentar um documento conjunto”, disse o presidente da Fundação Indigo, Marcos Cintra. O documento já tem nome: “Ponto de Equilíbrio”.

BANDEIRAS LIBERAIS – “A gente não se curvou. Seria mais fácil ter ficado no projeto de poder do Bolsonaro, como fez o Centrão. Mas não nos deixamos seduzir. Ficamos fiéis aos nossos objetivos: as bandeiras liberais”, afirmou Bozzella.

Dono da segunda maior fatia do fundo eleitoral e do tempo de TV (atrás do PT), o PSL é cortejado ainda por Progressistas e Podemos, que vislumbram uma fusão ou federação partidária, caso esse modelo seja aprovado no Congresso.

A articulação também envolve o DEM e culminaria na formação de um “superpartido”, hoje com 121 deputados e 15 senadores.

26 thoughts on “Aliança com PSL de Datena fortalece Simone Tebet (MDB) como candidata da terceira via

  1. Não podemos mais continuar errando sistematicamente, imaginando um dia saberemos como distinguir melhor os candidatos.
    Por exemplo, pender para um televisivo, de antemão afirmo categoricamente que seguiremos no erro!

    Quem é o senhor Datena, além de um comunicador?
    Qual é o curriculum vitae deste senhor, que apresenta reportagens policiais?
    Pode ser excelente pessoa, apesar de não ser esta a discussão, mas o que tem de bagagem política, conhecimentos, cultura, idiomas que seria corrente?

    Penso que devemos, mais do que nunca, acrescentar às eleições a sua devida importância.
    Nosso erro está sendo eleger alguém sem uma análise mais ampla e necessária para o cargo mais importante desta nação, o presidente. Em consequência, faz décadas que purgamos pelos equívocos cometidos e, o mais grave, propositadamente!

    Nesse aspecto não temos mais tempo para experiências ou de se dar chances para aventureiros porque os conhecemos através dos meios de comunicação, que já seria “suficiente”

    Ou valorizamos nossos votos ou a cada eleição nos desvalorizamos como povo, eleitor e contribuinte!

    • Bendl,

      Tem um fato qu e você esqueceu de citar, o jornalixo sensacionalista de desgraças, já foi integrante da maior Quadrilha do Universo, a Organização Criminosa do Lulaladrão, que o seguiu por muito tempo.

    • Bom dia Chico´,
      Vejo que você o começa com comentário legítimo e oportuno a respeito da qualidade dos candidatos em 22, e poderíamos dizer, os candidatos desde 1889, a enorme maioria não eram dignos de de cargo de vereador, mas me nego a imaginar que essa falta de qualidade seja uma consequência estatística do caráter geral de nossa população e sim, das peculiaridades do nosso sistema eleitoral e de poder.
      O que quero dizer é que o problema está no sistema e não nos nomes e enquanto não mudar-nos o sistema de nadas adiantará baralhar nomes.
      De aqui a pouco continuaremos remexendo esse angu.
      Abraço

      • Parceiro,

        Indubitavelmente, o sistema eleitoral e político faliu, pois se tornou um círculo vicioso para viciados em corrupção!

        Logo, a relação dos que almejam ingressar nessa lesiva e danosa forma de roubar, explorar e manipular o país e povo, sabe que as facilidades aliadas à impunidade serão colocadas à disposição dos eleitos, através de vários meios para enriquecer.

        O sistema está podre; os poderes constituídos estão contaminados, irremediavelmente.
        Não há como consertar o Brasil sem reformas profundas, justamente nas situações que favorecem os corruptos!

        Ora, se são os bandidos que forjam as leis continuaremos nesta trilha deplorável e deletéria, impune e fortalecida, por muito tempo ainda.

        Diante da índole do povo, alienada, passiva, resignada, atribuindo a Deus as circunstâncias contrárias à sua vontade, o sistema tem plena consciência que nada de braçadas nesta nação, pois jamais encontrará uma oposição à altura do poder que hoje tem sob seu controle!

        De certa forma, parceiro, apenas somos figurantes neste espetáculo circense de péssima qualidade, que seria nos encaminharmos às urnas para votar, comprovando exatamente ao que nos foi designado:
        obedecer e outorgar poderes!

        Em decorrência deste sistema em pleno vigor, pululam candidatos os mais variados e exóticos, uma fauna e flora ridículas, menos para salvar o Brasil, porém para se aproveitarem do LUCRATIVO modo implantado para que o candidato uma vez eleito – Executivo e Parlamento -, goze das delícias dos extremos impunemente!

        Abração.

        • Eu, dentro das disfunções políticas que apresentas de forma extensiva, consigo ver uma luz muito forte no fundo de todas essas questões que me aponta para uma outra predominante e soberana: Desde a abertura dos trabalhos da Constituinte, em 88, se legislou proficuamente, EM BENEFÍCIO PRÓPRIO.
          Essa é a causa mater da tragédia sócio-política brasileira, dessa estrutura legal, só dois direitos alcançam o cidadão, VOTAR E PAGAR IMPOSTOS.

  2. Transparência, moralidade pública e honestidade. Qualquer candidato, em todos os âmbitos, se não tiver essas credenciais básicas, na sua vida profissional e politica, não deve nem ser cogitado. De enganador já temos um no poder que usou esses discursos para se eleger. Agora quer esconder por 100 anos tudo o que lhe compromete. Transparência ZERO. Será então voto ZERO.

    • Tens razão, Daniela.
      O problema será a turma de candidatos na próxima eleição para presidente.

      Existem tantas implicações, arranjos, acordos, apoios de partidos, interesses, conveniências, divisão de ministérios, secretarias, diretorias, cargos nas estatais … que imagino ser praticamente impossível que tenhamos moralidade pública, transparência e honestidade, entre os que vão postular o Planalto!

      O Brasil está tão enredado na corrupção que, ou o candidato admite que dela fará parte ou jamais será eleito!
      Mesmo que jure de pés juntos que não é corrupto e que não é corruptor – lembra Zé Dirceu? -, a instituição da corrupção o leva de arrasto.

      Excelente semana que ora inicia, menina.

  3. As motociatas, os disparates agressivos, o negacionismo gritante do Bolzebu são inspirados no ídolo Trump. Até o tipo de gente que o segue imita o tipo americano : casaco de couro preto e ignorância pra dar e vender.

    • Motociata? Isso é pouco, amanha, enquanto a Câmara vota a PEC do voto impresso, o Bolsocheio vai liderar um desfile de tanques e veículos blindados na Esplanada, isso o Trump não se atreveu.

  4. Lula e Bolsonaro são dose pra Leão, porque o resto é puxadinho dos me$mo$. VIRA E MEXE a rapadura da república 171, que é doce mas não é mole, forjada, protagonizada e desfrutada pelas ditaduras partidária, militar, sindical, midiática, econômica, criminal e miliciana, acaba caindo no colo do Maluf, o paraninfo do famigerado Centrão, ou dos seus discípulo$, apaixonados pelo erário. Para boas e bons entendedores um pingo é letra e meia palavra basta. Chega dos me$mo$. Fora todo$. Democracia Direta Já, com Meritocracia, porque evoluir é preciso, como propõe a RPL-PNBC-DD-ME, a Evolução, o megaprojeto novo e alternativo de política e de nação, a Terceira Via de Verdade, antissistema, a Nova Política de Verdade, o novo caminho para o novo Brasil de verdade, porque evoluir é preciso. É por essas e muitas outras que em verdade eu vos digo que Lula e Bolsonaro são dose pra Leão, porque o resto é puxadinho dos me$mo$ https://www.youtube.com/watch?v=UWnJkWQcTLQ

  5. Este Datena é um papo furado só, em 2018 veio com a mesma conversa, “se não me virem na TV segunda-feira é porque vou sair candidato a senador”, segunda-feira estava na TV. O mesmo se deu no ano passado, ameaçou, ameaçou e ficou só na ameaça, não concorreu à prefeitura de de São Paulo. Agora vê uma chance de ouro de se eleger às custas da Simone Tebet como fizeram a Joice Crazy Hasselmann e o Alexandre Frota dentre tantos outros que se elegeram babando no saco do mito. Quem sabe agora o Datena vai fazer dobradinha com o Kajuru? Mais um palhaço no Senado não fará tanta diferença assim.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *