Aliança entre Centrão e Alckmin é pragmatismo contra Lula e Bolsonaro

Resultado de imagem para ALCKMIN NÃO DECOLA CHARGES

Charge do Idjota, Arquivo Google

Vicente Nunes
Correio Braziliense

De bobo os partidos que compõem o Centrão (PR, DEM, PP, PRB e Solidariedade) não têm nada. Por trás da aliança fechada com Geraldo Alckmin com vistas às eleições presidenciais, imperou o pragmatismo. Sem um candidato de centro forte, a maioria dos votos tenderia a migrar para dois candidatos que assustam os políticos: Jair Bolsonaro, do PSL, e Lula (ou aquele que ele vier a apoiar).

Todos os movimentos feitos até agora indicavam que Bolsonaro estaria no segundo turno da disputa com um candidato da esquerda: o escolhido por Lula ou, com menores chances, Ciro Gomes (PDT). Na visão dos velhos políticos, é difícil prever o que poderá ser um governo do representante do PSL ou de um petista. Então, segundo eles, o melhor é unir forças para barrar o que chamam de desastre.

MEDO DO CAPITÃO – No caso de Bolsonaro, os partidos do Centrão temem que o capitão reformado do Exército parta para cima de todos. Com o discurso de que combaterá a corrupção, que mandará prender os bandidos, tenderá a dar ainda mais poderes à Polícia Federal e ao Ministério Público. Seria uma espécie de caça “aos maus elementos da política”.

Com o candidato petista, até poderia haver algum diálogo se o escolhido fosse Fernando Haddad, ex-prefeito de São Paulo. Mas todos lembram que o PT está com sangue nos olhos. Quer se vingar de todos aqueles que contribuíram para a derrocada da era petista, mesmo tendo participado de todo o esquema de corrupção.

ALCKMIN, O MANSO – Nesse contexto, Alckmin aparece como alternativa mais palatável. Ninguém espera dele uma perseguição implacável a políticos. Alckmin pode não atrapalhar a continuidade da Operação Lava-Jato, que todos querem acabar, inclusive Lula, mas também não deverá fazer muito esforço para reforçá-la.

A presença de Alckmin no Planalto é a melhor coisa para o Centrão. Continuará mandando em boa parte do governo, sem ameaças de um “cachorro louco”, como denominam Bolsonaro, ou de petistas enraivecidos. Resta saber se a aposta de DEM, PR, PP, PRB e Solidariedade dará certo. Por enquanto, o tucano é uma promessa que não decolou.

2 thoughts on “Aliança entre Centrão e Alckmin é pragmatismo contra Lula e Bolsonaro

  1. Caça “aos maus elementos da política”.
    Será bom demais para ser verdade.
    Mas, para o “maus elementos”; um dia virá que eles serão caçados pelo povão; então, será menos pior se vier de maneira institucional.
    PS: Nós esperamos que no judiciário, tenham alguns alcançados.

Deixe uma resposta para Alex Moura Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *