Alvos de críticas, Salles e Araújo recebem apoio e são defendidos por ministros do Planalto

Ambos são considerados problemáticos por membro do próprio governo

Deu no O Globo

Ministros com assento no Palácio do Planalto e amigos do presidente Jair Bolsonaro, Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo, e Jorge Oliveira, Secretaria-Geral, saíram em defesa de Ricardo Salles, Meio Ambiente, e Ernesto Araújo, Relações Exteriores, que, recentemente, têm enfrentado críticas internas.

Os dois elogiaram os trabalhos dos ministros e indicaram as respectivas áreas de atuação como “complexas”, “importantes” e “fundamentais para que o Brasil tenha sucesso”.  Fábio Faria, das Comunicações, também publicou uma mensagem de apoio a Salles.  

CRÍTICAS – Recentemente, os dois têm recebido críticas nos bastidores de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro que acreditam que Salles e Araújo são considerados problemáticos e vistos como entraves para o avanço de acordos comerciais e internacionais.

O Brasil registrou um novo aumento de queimadas na Amazônia, que em junho foi o maior observado para o mês desde 2007. Na quinta-feira, um dia após a divulgação dos números, durante reunião da cúpula dos chefes de Estado do Mercosul, Bolsonaro afirmou que o governo brasileiro busca “desfazer opiniões distorcidas” sobre a atuação do país na na proteção da floresta.

Ricardo Salles foi questionado pelo blog do Gerson Camarotti, nesta quinta-feira, se deixaria o governo e respondeu que segue “na labuta”. Ele ainda sinalizou ter apoio do presidente para continuar no cargo: “O presidente nem cogita isso ai”.

4 thoughts on “Alvos de críticas, Salles e Araújo recebem apoio e são defendidos por ministros do Planalto

  1. Bom, se o seu Jorge Eduardo Ramos e Jorge Oliveira apoiam, é um apoio, embora eu não saiba a importância desse gesto, dado que não me consta que esses cavalheiros sejam personalidades ilustres.
    O que fica no fim, onde cabe um enfim, é a impressão de que são mandioca do mesmo pé: não passam de reles Zés.

  2. Quanto pior for o sujeito, mais Bolsonaro e sua equipe de desgoverno conferem apoio.

    É um neofascismo e neocaudilhismo jamais vistos, acrescido da maior ignorância possível e imaginária.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *