Amanhã: Rio 2016, bem acima da vaidade e do interesse da coletividade

Dirigentes da Espanha estão cobertos de razão: o marquetismo da “Olimpíada-Rio” é o maior de todos os tempos. A derrota em 2004 e 2012, quase passou desapercebida, ninguém chorou, como acontecerá agora se houver um possível resultado desfavorável.

Quantas ambições

É evidente que estou torcendo pela escolha do Rio, por tudo que representa e pode representar. Mas que egos colocados na reunião da Dinamarca? Não importa que o Rei da Espanha, que o presidente dos EUA estejam promovendo suas sedes.

O bilionário

Mas sem o espalhafato de Eike Batista, perdão, Sérgio Cabral, ele apenas “emprestou” o jato. E Pelé, com toda a humildade citando o próprio nome antes do nome do presidente da República. Minha Nossa Senhora, em nome da feira de vaidades, muito maior movimento e agitação do que na rua da Alfândega. Esta pelo menos é popular.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *