Amigo de Pimentel mentiu em depoimento à Polícia Federal

Bené disse que não era filiado a partido

Daniel Carvalho, Talita Fernandes e Fausto Macedo
Estadão

O empresário Benedito Rodrigues de Oliveira Neto, o Bené, preso pela Polícia Federal na última sexta-feira, 29, por suspeitas de desvio de recursos públicos para campanhas do PT, mentiu em depoimento que prestou à PF em 2014, quando a polícia apreendeu R$ 113 mil no avião particular em que ele voou de Belo Horizonte a Brasília.

Segundo documentos obtidos pelo Estado, Bené afirmou não ser filiado a partido político em depoimento prestado em 7 de outubro do ano passado, quando o avião onde estava o dinheiro foi fiscalizado. No entanto, de acordo com registros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Bené é filiado PSB do Distrito Federal desde 2 de outubro de 2009.

Uma das empresas de que Bené é sócio, a GMB Comércio de Vinhos Ltda doou R$ 3 mil à campanha de Jofran Frejat (PR-DF) ao governo do DF e outros R$ 3 mil à campanha de Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), que foi eleito governador.

A PF vê indícios de que Bené seria o operador de uma organização criminosa que desviava recursos públicos por meio de contratos não executados e/ou superfaturados com entes federais. Os contratos, segundo a Polícia Federal eram feitos principalmente nas áreas de eventos e serviços gráficos e o dinheiro era lavado por ele.

5 thoughts on “Amigo de Pimentel mentiu em depoimento à Polícia Federal

  1. Frase que já deve ter sido pronunciada:
    “-Essa Polícia Federal precisa ser sucateada que nem as polícias estaduais…”

  2. “Muitos padres e pastores…” É, parece que muitos, o que não quer dizer TODOS.
    Mas, se muitos, se poucos, não vem ao caso. E o “apesar” já indica que há outra fonte de revelação que não a palavra de homem, de qualquer homem.
    O Evangelho não é um manual de regras! O Evangelho, a Boa Nova, é o próprio Jesus Cristo, que, morto pelos nossos pecados, venceu a morte e nos assegurou a vida eterna pela fé compromissada nele. (E bom seria se estivéssemos, como humanidade, evoluindo…)
    Aquele cujo coração se dispõe a crer e receber a Cristo não está preocupado com a “sempiternidade” das consequências. Permanecer rebelde ao convite da Pessoa de Jesus Cristo contando com um castiguinho temporal no porvir é evidência de falta de querer uma vida de obediência a Deus.
    A perseguição ao Espiritismo como movimento religioso, até onde sei é muito recente em relação aos cristãos bíblicos, para se pretender que tenha sido ou seja o mais caluniado. Crentes em Cristo continuam dando suas vidas há quase dois mil anos por testemunhar sua fé (seja sob perseguição implacável ou velada). E mesmo assim uma perseguição sistemática, em si mesma, não prova coisa alguma. Afinal, uma perseguição sistemática a um mau não o tornará bom…
    Já quanto à reencarnação, não tem fundamento nas Escrituras.
    Vejamos:
    1) A Bíblia diz que é impossível haver comunicação entre vivos e mortos, Ec 9:4-5; II Sm 12:22-23; Lc 16:19-31. 2) *Os espíritas dizem que João, o Batista, foi a reencarnação de Elias, mas o próprio João disse que não era Elias, Jo 1:21. Quando Jesus mencionou João como o Elias que havia de vir, queria dizer apenas que o ministério profético de João era semelhante ao de Elias em caráter de poder. A revelação a Zacarias deixa isso bem claro, Lc 1:17. 2 – 3) A Transfiguração – Os espíritas dizem que ali se deu uma sessão ao ar livre e que evidencia a reencarnação de Elias e João, o Batista, Mt 17:1-13. Esta última afirmativa carece de fundamentos. Ali não ocorreu retorno deles à natureza humana decaída (foi uma transfiguração). No próprio texto Jesus explica a vinda de Elias. Seus discípulos compreenderam que se referia a João, o Batista. E, como Elias teria voltado se ele não morreu, II Rs 2:11? A finalidade do acontecimento foi mostrar que Jesus é o Messias: Moisés representa a Lei, Elias, os Profetas, e Jesus é o seu cumprimento definitivo. Além do mais, João Batista tinha acabado de ser morto. Significa que se a reencarnação fosse verdade, a aparição deveria ter sido de João Batista, já que ele seria a última encarnação de Elias! 4) O Novo Nascimento – Os espíritas afirmam que o novo nascimento, referido por Jesus como exigência para se ver o Reino de Deus, tem haver com a reencarnação. Esta afirmação não é verdadeira, pois nesta mesma passagem Jesus deixa claro que não se trata de nascimento físico, mas sim espiritual, Jo 3:1-12; Hb 9:27. 5) A Pitonisa de Endor. Para muitos espíritas o ocorrido de I Sm 28, quando Saul tenta se comunicar com Samuel, já morto, através da médium de Endor, é uma evidência da possibilidade de se comunicar com quem já morreu. Colocam que Samuel realmente apareceu. Todavia, uma simples análise do texto mostra o contrário. E, afinal, Saul morreu também por ter procurado consultar a um morto ( I Cron.10.13).
    *Copy and WIN : http://ow.ly/KNICZ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *