Antes da eleição de Henrique Eduardo Alves, foi distribuído na Câmara um dossiê contra ele

José Carlos Werneck

Antes do início da eleição foi distribuída anonimamente nos gabinetes dos 513 deputados uma publicação com um compilado de sentenças judiciais e matérias jornalísticas que trazem denúncias contra Henrique Eduardo Alves.

Renan e Alves, dupla sem igual…

Na capa da publicação, que tem formato de revista, está escrito: “Candidato condenado no Rio Grande do Norte, com direitos políticos cassados e responde a vários processos”.

Nas últimas semanas, o parlamentar foi alvo de denúncias de que teria beneficiado a empresa de ex-assessor com emendas parlamentares destinadas a obras no Rio Grande do Norte. No mês passado, Aloizio Dutra de Almeida, que trabalhava há 13 anos no gabinete de Alves, pediu demissão.

Além disso, reportagem da revista “Veja” revelou que o deputado destinou verbas de gabinete para contratar serviços de uma locadora de carros de fachada, em nome de uma laranja. E muitas outras denúncias foram veiculadas contra ele.

“GRANDES TEMAS”

Alves é formado em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Ele assumiu o primeiro mandato como deputado em 1970, aos 22 anos, quando o Brasil ainda vivia sob o regime militar.
O peemedebista foi reeleito sucessivamente e assumiu a liderança do partido em 2007. Ele foi derrotado em duas disputas pela Prefeitura de Natal, em 1988 e 1992.

O deputado Henrique Eduardo Alves, novo presidente da Câmara, afirmou hoje, após ser eleito com 271 votos, que a Câmara precisa se preocupar em analisar os temas de grande interesse nacional.

“Fazer uma pauta propositiva não é apenas para discutir, não foi feito para enrolar, foi feito para discutir e votar, debater e decidir”, ressaltou.

O mandato de Alves vai até fevereiro de 2015 e ele ficará no cargo até o final do atual mandato da presidente Dilma Rousseff, no fim de 2014. Favorito na disputa, Alves teve o apoio do PT e do governo.

“Eu chego aqui pela minha história, meu trabalho, minha coerência, minha lealdade, meu compromisso com o Parlamento, mas tendo consciência de que chego muito mais pelo respeito à regra democrática da proporcionalidade no compromisso que é ético da bancada dos partidos”, disse Alves, referindo-se ao fato de que a maior bancada tem, por tradição, direito à presidência da Casa.

RESPEITO À CÂMARA

Henrique Alves finalizou seu pronunciamento pedindo apoio para que a Câmara seja respeitada. “A partir de agora quem quer bem essa Casa como eu quero, essa casa é minha casa, vamos todos dar as mãos […] Vamos fazer respeitar esta Casa”.

Henrique Eduardo Alves disputou a presidência da Câmara com a colega de partido Rose de Freitas (PMDB-ES), que recebeu 47 votos, e com os deputados Júlio Delgado (PSB-MG), que teve 165 votos, e Chico Alencar (PSOL-RJ), que obteve 11 votos.

O novo presidente destacou que não faltará por parte da Câmara respeito aos demais poderes da República- Judiciário e Executivo. Mas alertou que os dois poderes precisam estar cientes de que os deputados são eleitos pelo povo. “Não faltará a um ou outro [Executivo e Judiciário] o nosso respeito. Mas tanto um quanto outro não se esqueçam que aqui nesta Casa só tem parlamentar abençoado pelo voto popular.”

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Mas como respeitar a Câmara e o Senado? Pela primeira vez na História do Brasil, o Parlamento é presidido por dois parlamentares COMPROVADAMENTE corruptos, envolvidos em irregularidades públicas e notórias. É uma vergonha para as pessoas de bem. O que dizer a nossos filhos e netos???

Lembrando meu grande amigo Helio Fernandes Filho, poderíamos dar a seguinte manchete: “Renan e Alves foram eleitos e a Polícia não apareceu” (C. N.)

 

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *