Antes de ouvir Paulo Roberto Costa, CPI quer ler os depoimentos

Karine Melo
Agência Brasil

Mesmo após dois pedidos negados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal, Teori Zavascki, o presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), vai insistir em obter o conteúdo da delação premiada do ex-diretor de Abastecimento da estatal, Paulo Roberto Costa.

“Hoje à tarde vou conversar com o advogado-geral do Senado [Alberto Cascais] que é quem tem competência, em nome da CPI, para ajuizar o mandado de segurança para insistirmos na delação”, disse Vital em entrevista na manhã desta terça-feira (14) à Agência Brasil.

Para Vital do Rêgo, sem as informações da delação, o processo dentro da CPMI não se fecha. Na avaliação do senador, a Corte tem que marcar posição a respeito da competência da CPMI resguardada na Constituição Federal de ter acesso a autos de investigação em juízo. “Eu não entendo [as recusas] e vou querer, com um mandado de segurança, uma posição da Corte que valerá para outros possíveis fatos dessa natureza, vou querer um posicionamento do colegiado”, disse.

“Você tem o [conteúdo] geral, mas não tem o específico. Eu vou insistir com a posição do Supremo porque é uma posição emblemática, é uma posição simbólica que o Supremo tem que marcar. Esses mesmos poderes a Constituição Federal conferiu à CPI.

O presidente da CPMI criticou o fato de partes do conteúdo da delação terem vazado para a imprensa. “Eu acho que tudo tem que ser publicizado desde que não incorra em segredo de justiça. Aquilo que é segredo de Justiça, é crime vazar. Não se pode ter vazamentos colocados na mídia que tem consequências e a CPI, que é um órgão de investigação, que a Constituição garante esses poderes especiais, não ter acesso”, reclamou.

ADIAMENTO

Por pressão dos partidos de oposição, que querem uma reunião de emergência para tratar das informações prestadas no último dia 8 por Paulo Roberto Costa ao juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal no Paraná, Vital veio a Brasília, consultar líderes, por telefone, sobre a viabilidade de uma reunião ainda essa semana, que não deve ocorrer, pois vários parlamentares estão em seus estados, envolvidos na campanha eleitoral para o segundo turno.

Em áudio do depoimento divulgado pela imprensa, Costa diz que parte da propina cobrada de fornecedores da Petrobras era direcionada para atender ao PT, PMDB e PP.

“Há uma tendência de calendário muito difícil com relação a esse processo, mas eu vim a Brasília fazer essas consultas com o intuito de ter um mínimo necessário de convergência em torno da decisão que nós vamos ter que tomar”, ressaltou.

A próxima reunião oficial da CPMI será no dia 22 de outubro, quando os parlamentares vão ouvir o diretor de Abastecimento da Petrobras, José Carlos Cosenza. Ele substituiu Paulo Roberto Costa, que saiu da Petrobras em abril de 2012.

5 thoughts on “Antes de ouvir Paulo Roberto Costa, CPI quer ler os depoimentos

  1. Repetindo texto de Rui Barbosa, escrito em 1919.

    “Mentira de tudo, em tudo e por tudo.
    Mentira na terra, no ar, no céu.
    Mentira nos protestos.
    Mentira nas promessas.
    Mentira nos progressos.
    Mentira nos projetos.
    Mentira nas reformas.
    Mentira nas convicções.
    Mentira nas soluções.
    Mentira nos homens, nos atos e nas coisas.
    Mentira no rosto, na voz, na postura, no gesto, na palavra, na escrita.
    Mentira nos partidos, nas coligações e nos blocos. (…) Mentira nas instituições, mentira nas eleições.
    Mentira nas apurações.
    Mentira nas mensagens.
    Mentira nos relatórios.
    Mentira nos inquéritos.
    Mentira nos concursos.
    Mentira nas embaixadas.
    Mentira nas candidaturas.
    Mentira nas garantias.
    Mentira nas responsabilidades.
    Mentira nos desmentidos.
    A mentira geral. O monopólio da mentira”.

  2. Sem maiores delongas, morrendo de medo da delação premiada, congressistas tentam virar a mesa, em decisão baseada em lei específica de segredo de justiça, que impede CPI mista do Congresso Nacional, CONHECER os nomes dos envolvidos nas denúncias de corrupção até agora apuradas pelo Ministério Público e Policia Federal, na operação Lava a Jato…
    Que não durmam, insones, tendo pesadelos vendo o sol nascer quadrado, por sábia decisão do juiz Sérgio Moro, do Paraná que montou o seu trabalho nos moldes regulados e aprovados pelo Supremo Tribuna Federal.
    O que vazou para a imprensa não é segredo de justiça… o que o presidente da CPI mista ache ou deixe de achar sobre essa particularidade, é problema dele, e daqueles que estão com o rabo preso…
    O algo de podre no reino da Dinamarca, está prestes a ser desvendado. Vamos aguardar…

  3. O Senador está apavorado. Nomes dos colegas e de amigos podem/devem estar nas listas. E outros surgirão. Até chegarem aos grande e aos maiores.
    Alguma dúvida que, se a carruagem correr livre, chegarão ao Planalto?
    Se Aécio não se comprometer com a apuração da corrupção, será mais um patrolado/aliado aos malfeitos.
    Dillma, sabemos, não pode dizer mais do que as “bravatas” que vem dizendo. Combaterá a corrupção em seu governo!!! Fala sério.
    A CPMI já foi enterrada e tem o fedor de seus integrantes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *