Antes que o galo cante, o governo nos trairá três vezes

Sandra Starling

Nem bem tomou posse, Dilma Rousseff já traiu por três vezes suas promessas de campanha: nomeou um ministro da Fazenda que pensa e vai agir como pensa e agiria o indicado por Aécio Neves; a vaca nem tossiu e ela já cortou direitos trabalhistas; e, agora, seu ministro da Educação vem a público contestar o slogan anunciado, pois, com os preços do petróleo rebaixados, nem o pré-sal será suficiente para melhorar a educação no país.

Enquanto S. Exa. descansa na base de Aratu, na Bahia, nós, brasileiros, aguardamos o ano começar. Porque o ano civil já começou, mas o político-administrativo, só mesmo depois da posse dos parlamentares e da escolha dos respectivos presidentes das duas Casas congressuais. Com exceção de pobres assessores que, em escala, vão preencher o vazio de presenças matando moscas em suas mesas, pelo menos no Senado Federal. Provavelmente, também na Câmara dos Deputados…

E assim “la nave va”.

PERSPECTIVAS SOMBRIAS

O calor, acima de qualquer expectativa, parece comprovar que a Terra marcha celeremente para um aquecimento à la James Lovelock. Esse biofísico anunciou há dias que, do jeito que a coisa anda no planeta que habitamos, poucos lugares vão continuar a existir, ou seja, o que chamamos de Escandinávia. Já estou pensando em me mudar para lá. Meu problema, porém, é que, segundo o cientista, lá vai virar outro Rio de Janeiro. Ou seja, calor como ninguém merece…

Mas tenho de me esforçar para que este começo de 2015 me pareça um tempo melhor que o ano que passou. As sombrias perspectivas na economia, na mobilidade urbana, na saúde e na educação, quem sabe, serão minimizadas pelo esforço conjunto entre novos governantes estaduais e o governo federal. O que me deixa muito preocupada é a composição do novo Congresso, com 28 partidos com representação na Câmara dos Deputados: como sonhar que haverá qualquer tipo de consenso para realizar uma reforma política, ou coisa que o valha? Uma coisa é uma “ampla base aliada”; outra, bem diferente, é conseguir que essa base atue em uníssono no que quer que seja. Até mesmo para aprovar o que Dilma anunciou: uma reforma na Constituição para tornar a questão da segurança pública de competência distribuída entre União, Estados e municípios, como deveria ter sido feito na Constituição de 1988. As primeiras providências impopulares só serão examinadas pelos congressistas a partir de fevereiro. É que, com as alterações constitucionais feitas em 2002, o prazo para apreciação de medidas provisórias não corre durante o recesso parlamentar, embora já tenham elas força de lei desde a edição.

A justificativa, na época, era a de que seria desnecessário convocar o Congresso, sob a desculpa de poupar gastos com o pagamento extraordinário aos parlamentares. Quando então as MPs criam despesas, a coisa ainda é pior. Quando os congressistas voltam a se reunir, as despesas já foram realizadas e não há mais nada que se possa fazer…E assim caminham as coisas durante as férias de verão no Brasil. Sabiam? (transcrito de O Tempo)

4 thoughts on “Antes que o galo cante, o governo nos trairá três vezes

  1. Que nada…..James Lovelook, citado no artigo da Sandra Starlin, já se retratou dessas baboseira de Aquecimento Global, em 2012:

    ” em entrevista telefônica com a MSNBC, ele reconheceu que estava “extrapolando demais”.

    Parafraseando os argumentos dos cientistas objetivos, explicou:


    – “O problema é que não sabemos o que é que o clima vai fazer. Há 20 anos nós achávamos que sabíamos. Isso nos levou a escrever alguns livros alarmistas – o meu inclusive – porque parecia evidente, porém não aconteceu”.

    – “O clima está fazendo suas trapaças habituais. Em verdade, não há muita coisa acontecendo ainda, quando nós deveríamos estar num mundo a meio caminho da fritura”.

    – “O mundo não se aqueceu muito desde o milênio. Doze anos é um tempo razoável … ela [a temperatura] manteve-se praticamente constante, quando deveria ter ido aumentando”. ”

    http://ipco.org.br/ipco/noticias/pai-da-%e2%80%9chipotese-gaia%e2%80%9d-se-retrata-de-seu-alarmismo#.VK7H1uk5CUk

  2. Até mesmo para aprovar o que Dilma anunciou: uma reforma na Constituição para tornar a questão da segurança pública de competência distribuída entre União, Estados e municípios, como deveria ter sido feito na Constituição de 1988.
    Na verdade o que a PRESIDANTA está propondo é transferir o controle das policias militares para o Governo Federal, podem ter certeza que isso é com a pior das intenções. Qualquer pessoa minimamente entendida no assunto sabe que a solução para se ter uma policia mais eficiente e eficaz, passa por uma lógica inversa. Se a nível estadual já tem dificuldades para um policiamente competente do municipio do Rio Janeiro, Belo Horizonte, São Paulo e outros que é muito diferente de municipios nos mesmos estados como Parati, Maria da Fé e Cananéia, imagine só uma policia militar sendo coordenada por Brasilia. Só na cabeça de uma anta como essa senhora que está desgovernando esse país essa idéia é possivel. É uma idéia com a pior das intenções porque um dos objetivos deve ser tornar essa nova policia numa espécie de policia politica bem nos moldes das milicias venezuelanas criadas pelo falecido ditador Chavéz, que está impondo um verdadeiro regime de terror para o infeliz povo venezuelano.

  3. só incongruências.

    a VACA já tossiu… e muito

    ministro da Educação; ‘ministro’

    ‘pré-sal’, hoje, em condições de explorar É EMBUSTE!

    e assim “la nave va”… coisas e loisas, et cetera e tal…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *