Ao atacar Lula, Bolsonaro joga em busca do segundo turno nas urnas deste ano

Resultado de imagem para bolsonaro no parana

Jair Bolsonaro não acredita no atentado a Lula

Pedro do Coutto

Todos os pré-candidatos a presidente da República – menos Jair Bolsonaro – condenaram com razão, vigor e rigor os ataques feitos à caravana eleitoral do ex-presidente Lula, no sul do país, especialmente no Paraná. O episódio do Paraná, a meu ver, marca um divisor de águas, na medida em que de acordo com as pesquisas até hoje divulgadas do Ibope e Datafolha, colocando de um lado a aprovação de Lula e de outro a desaprovação, acredito que hoje a desaprovação seja maior que a aprovação, mas em termos de voto o petista, se pudesse ser candidato, certamente estaria no segundo turno.

É esse segundo turno que Jair Bolsonaro almeja atingir. Por isso fez coro às manifestações hostis a Lula da Silva, visando deixar bem clara, de maneira absoluta, sua posição radicalmente contrária à posição do ex-presidente.

ANTILULA – Bolsonaro, assim agindo, caracteriza-se como o antiLula por excelência e, dessa forma, objetiva reunir em torno de si a parte do eleitorado que está rejeitando a presença de Lula na sucessão presidencial deste ano. A jogada de Bolsonaro inspira-se na seguinte questão: todos os seus adversários procuram de alguma forma se beneficiar da onda lulista, dando como certa sua inelegibilidade.

As reações às hostilidades no Paraná foram amplamente destacadas pelo repórter Demetrius Dantas, edição desta quinta-feira de O Globo. Mas também a Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo e o Valor focalizaram com chamadas na primeira página. A Folha de São Paulo, por exemplo, afirmou em manchete principal que diante das manifestações contrárias que recebeu, Lula encerrou a caravana que pretendia realizar em todas as regiões do país. Vamos ver se esse recuo se confirma. Mas esta é outra questão.

INELEGÍVEL OU NÃO – O essencial é definir, atribuição que cabe ao TSE se a condenação que sofreu em segunda instância o torna inelegível ou não. É mais provável que sim e, com base em tal suposição, pré-candidatos tentam se habilitar como herdeiros do voto que levou o PT ao poder desde 2002,antes da queda de Dilma Rousseff em 2016. Foram quatro vitórias seguidas nas urnas, é bem verdade que em aliança e apoio do PMDB. O MDB agora está com Temer. O atual presidente da República anunciou que pretende ser candidato à própria sucessão, tendo Henrique Meirelles como seu vice.

Mas como os rumos da política mudam a todo instante, como as nuvens no espaço, é possível que os episódios de ontem que culminaram com as prisões de José Yunes e João Batista de Lima, além de outros, acarrete uma mudança de posição do próprio Michel Temer, com efeito em torno de Henrique Meirelles. Isso porque, se a impopularidade de Temer já era altíssima, após as denúncias frontais contra Yunes e Batista de Lima tornar-se-á mais alta ainda. Impossível matematicamente ultrapassar 100%. Mas pode projetar-se na escala fatal de 97%.

Nesse panorama, Michel Temer só tem um caminho: renunciar à sua candidatura a mais quatro anos no Planalto.

8 thoughts on “Ao atacar Lula, Bolsonaro joga em busca do segundo turno nas urnas deste ano

  1. Ele não vai renunciar à candidatura, pois vai ser cassado antes !

    A PGR Raquel Dodge não tem outra opção senão fazer a 3ª denúncia contra Temer no caso Rodrimar da MP do Porto de Santos.

    Caso contrário ela estaria cometendo o crime da prevaricação !!!

  2. Lucas, não tem como o Temer ser cassado ao ponto de não participar das eleições.
    Se com o Lula sem foro está esse jogo de empurra ao ponto de estar quase certo dele ficar livre e poder participar das eleições, imagine o Temer que está blindado pelo privilégio que a função lhe oferece???
    Outra coisa, o país e a democracia não resistiria a uma cassação de presidente a 6 meses da eleição. Com certeza o Temer não será cassado. Essa lenga lenga vai rolar até outubro.
    O que acho que pode acontecer, é que o MDB irá mudar a configuração da chapa, colocando Meireles como candidato a presidente, e se por acaso ele ganhar, colocaria o Temer como ministro (para fugir do Moro).
    O grande problema será que o segundo turno será uma disputa de três candidatos (Lula – Alckmin – Bolsonaro). JB vai vir única e exclusivamente para tirar voto de Bolsonaro (para beneficiar Lula), pois a esquerda vai se unir em prol da vitória petista.
    Já estamos vendo o Ciro e o PSOL sinalizando a favor do Lula, e no segundo turno, o PSB apoiaria o Lula.
    Bolsonaro precisará de um vice de peso, para poder tentar arrumar alguma coisa. Se o Paulo Hartung (Governador ES) se desfiliasse do MDB, seria um excelente nome. Magno Malta é um excelente senador, mas não tem popularidade para conseguir votos para Bolsonaro.
    A vantagem, é que Bolsonaro terá um palanque livre do Rio, pois Temer e Pezão sofrerão protestos nos comícios.
    Não se pode esquecer do Alckmin, né??? Pois ele tem bastante votos.
    Essa eleição será Lula x Alckmin x Bolsonaro.

    • Discordo Vanderson.

      Estamos à beira das eleições e a disposição dos deputados de votarem a favor nessas condições é extremamente reduzida, sem falar na fragmentação da antiga base aliada que aumentou muito.

      Ou seja, com a iminência da 3ª denúncia a chance de Temer ser cassado são altamente possível, ou mais ainda, bem provável !

      • Caro Lucas Silva,
        Você tem ideia de quanto tempo leva um processo de impeachment? Você tem ideia do tumulto que será , às vésperas de uma eleição um processo de impeachment.
        Como o Temer tem a maioria do Congresso a cassação do Temer, poderia não ser aprovada.
        Temer, ou Meirelles, mesmo tendo a máquina do governo nas mãos, se forem candidatos , não chegam ao
        segundo turno. O povo está cansado de PT/MDB.
        Vejo nesse bombardeio que o Temer vem sofrendo desde o Janot até o presente momento, duas hipóteses: querer vingar o PT e pela saída da Dilma. A outra hipótese é: querer bagunçar de vez o país.
        Não tinha outra saída, com a cassação da Dilma tivemos que engolir o governo ruim do Temer, mas muito melhor que o da Dilma.
        O Temer está no final do mandato, fica os órgãos competentes ,encarregados de não permitir que ele cometa erros, como fez agora o TCU, que anulou o leilão da venda de áreas de exploração petróleo.
        Entendo, que para não aumentar a crise.e bagunçar mais o país, deve-se aguardar o Temer terminar o mandato e perder o foro privilegiado que está bem próximo e aí sim, ir fundo nas investigações e, se for o caso puni-lo e os seus aliados envolvidos em corrupção..

  3. Malandramente, Bolsonaro ao atacar Lula , está chutando cachorro morto, o que é mais fácil. Difícil e, pode ser comprometedor, é apresentar um projeto de nação. Ainda que a maioria do povo não tenha a informação necessária.para avaliar os estragos que o Lula fez ao país, mesmo assim, acho que os eleitores “convictos” do Lula, são uma minoria.

  4. Caro Pedro
    Seu artigo contém apenas um reparo ou dois. O primeiro é aceitar como verdadeiro a premissa de que o atentado foi verdadeiro…aquilo e fajuto, primeiro pelas características dos buracos, depois os passageiros nem perceberam, terceiro mascarar o fracasso da caravana. O segundo reparo é considerar os ataques a Lula como malandragem quando em verdade foi uma opção ideológica de confrontar o esquerdismo que quase todos os candidatos toleram. Bolsonaro assumiu até combate e por isso tem o apoio de um segmento da população cansada de ser enganada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *