Ao criticar Moro, seus adversários acabam reforçando a candidatura dele à Presidência

Resultado de imagem para moro charges

Charge do Aroeira (O Dia/RJ)

Joaquim Falcão
O Globo

Qualquer um que falar, se aproximar, ou se referir ao ministro Sergio Moro já sabe. Está claro. Queira ou não, estará falando com um possível, não necessariamente provável, candidato a presidente da República. Esta candidatura não depende dele. Nem de você. Ela, simplesmente, é. Tem a virtude da existência e por convite de Bolsonaro para ser ministro. Ao aceitar, ficou candidato.

Ele não é mais ele. O que existe não é seu presente. É apenas o possível futuro de seu próprio passado. Quem ameaçaria os demais candidatos seria, então, um Moro imaginado. E seus adversários já o combatem.

VOTO ANTILULA – Contra este indefinido fantasma eleitoral muitos já se opõem. Distribuem, por exemplo, a versão de que Bolsonaro venceu por causa do voto contra Lula. Difícil constatar.

As pesquisas eleitorais informam que o voto decisivo foi o voto diretamente contra a corrupção financeira e política, e contra a violência urbana. Esta versão, a do voto contra Lula, não deixa de ter um fundo pró-bolsonarista. Busca desde já radicalizar a próxima eleição. E assim reduzir o Brasil e o eleitor.

Outros, também contra Moro, articulam candidaturas de centro conservador ou semiconservador ou protoconservador, com Luciano Huck, João Doria, Rodrigo Maia ou Ciro Gomes. E tantos mais. Tudo bem e legítimo. Saudável.

PRIORIDADES – Mas, Bolsonaro é presidente porque o eleitor teve a percepção de que ele melhor combateria a corrupção político-financeira e a violência urbana e rural. Não foi eleito para prioritariamente combater a inflação ou fazer a reforma da Previdência. Mesmo que necessárias. Política não é reconhecer necessidades. É escolher prioridades.

Uma vez no governo, Bolsonaro mudou de prioridades. Adotou uma política econômica que acredita, ortodoxamente, que para empregar é preciso antes desempregar.

Este é o ponto eleitoralmente frágil de Bolsonaro, que lhe fizeram acreditar ponto forte.

MELHOR AVALIADO – Todas as pesquisas eleitorais deste ano são convergentes. Dos melhores institutos, analistas e mídias, sejam pró ou contra Moro, como Ibope, Datafolha, Ipespe, Veja, por exemplo. Moro é o ministro mais bem avaliado pelos brasileiros. O ano todo. Em todos os momentos.

Quando comparado com outros, com todos, Moro é o candidato com mais chances para ser presidente em 2022. Ganha de todos. Inclusive de Lula e Bolsonaro. Em qualquer turno.

Os jovens preferem Moro. O mundo também. Acabou de ganhar o importante prêmio do “Financial Times”, como um dos 50 mais importantes líderes desta década. Carlos Drummond de Andrade uma vez perguntou: “Existem as coisas sem serem vistas?” Neste caso acredito que sim. Estes dados não são vistos.

MESMA CANTILENA – A oposição a Moro, seja na mídia ou na política, tem a mesma cantilena: “Ah! Mas o Marco Aurélio votou contra ele”. “Ah! Mas ele foi derrotado pelo Congresso na votação do juiz de garantias”. “Ah! Mas o presidente o humilhou na solenidade X, pois não olhou para ele”.

Moro ganha cada vez que uma proposta sua — uma decisão, nomeação de um colega que signifique combate à corrupção e à violência — é derrotada pelo Congresso, Supremo ou Presidência. Quem ganha eleitoralmente é ele. Às vezes, perder é ganhar.

UMA IMAGEM FORTE -Não o destroem. Ao contrário. Reforçam a imagem de um Moro contra a corrupção, contra políticos denunciados, contra processos que não andam, contra ministros do Supremo instrumentais. Contra transparências ocultas.

Todo este cenário pode mudar, é claro. Mas hoje, controlada a corrupção e a violência, quem competiria com Moro é: (a) a criação imediata de vagas de emprego estável; (b) mas de emprego com carteira assinada; (c) e com salário suficiente.

Entretanto, receio que para a política econômica ortodoxa estes empregos de que tanto precisa a maioria dos eleitores ainda vão demorar muito. Será?

18 thoughts on “Ao criticar Moro, seus adversários acabam reforçando a candidatura dele à Presidência

  1. “Ainnnnnn, meu Mito Bolsonaro me traiu!!!! Agora eu sô devota de são Moro!!!!!!!!!!!!!!!!!”

    (Escrito em MODO BORXONETE HISTÉRICA AREPENDIDA, FUTURA BEATINHA DE SÃO MORO)

  2. DE: Povinho gado

    PARA: Johnny Bravo

    “Tô Em Outra (Movimento PLAY)

    Parecia um sonho tudo que aconteceu
    Era você e eu em um amor tão lindo
    Mais quando amanheceu você me deixou te procurei não te encontrei
    Parecia que queria só brincar com meu coração
    Usou e abusou do meu amor e depois disse não só pra me ver sofrer

    Brincou de me amar e depois me deixou o que ele queria é só fazer amor
    De coração partido fui atrás de um novo amor
    Agora ele vem querendo atenção dezendo que é dono do meu coração
    Ele mexe comigo e isso é um perigo mais agora estou em outra.

    Brincou de me amar e depois me deixou o que ele queria é só fazer amor
    De coração partido fui atrás de um novo amor
    Agora ele vem querendo atenção dezendo que é dono do meu coração
    Ele mexe comigo e isso é um perigo mais agora estou em outra”

  3. Há um politico que foi bom governador, deixou o governo com bom índice de popularidade e é muito bom senador, sempre lutando contra a impunidade, tem experiência administrativa, legislativa e é equilibrado. No meu entender, seria uma boa união com o Sérgio Moro.

  4. “Mas hoje, controlada a corrupção e a violência, quem competiria com Moro é: (a) a criação imediata de vagas de emprego estável; (b) mas de emprego com carteira assinada; (c) e com salário suficiente.”

    -Esse é o problema da reeleição: os demais candidatos têm qualquer governo que dê certo como inimigo anos antes do pleito. Os itens acima não podem acontecer em hipótese alguma, pois “competiria com o Moro”. Quer dizer que as propostas citadas não poderiam sem implementadas e a população ter uma vida digna porque daria fôlego ao governo?

    -A solução?
    -Sabotagem pura e simples!
    Conseguir apoio político para que o governo fracasse e o país naufrague. O povo que se dane! O país que se lasque! O importante é fulano fracassar e sair do governo e eu e a minha patota entrar.

    • “Mas hoje, controlada a corrupção e a violência, quem competiria com Moro é: (a) a criação imediata de vagas de emprego estável; (b) mas de emprego com carteira assinada; (c) e com salário suficiente.”

      E a corrupção e a violência estão controladas? Ainda falta muito pra isso. E as “inovações” legislativas não geram nenhum motivo para otimismo. Quanto à economia, gerar empregos com carteira assinada e salário suficiente em pleno Uberistão parece uma façanha inalcançável. Tais coisas estão totalmente fora de cogitação no admirável mundo novo do trabalho “flexível”, onde todos devem se “vender” como puderem, o que significa, na prática, o máximo de trabalho pelo minimo de pagamento.

  5. Boa noite.

    Bobagem.
    O Ministro Sérgio Moro quer ser e continuar a ser ministro, ou da Justiça ou do STF.

    Porém, se Bolsonaro continuar jogando Moro no colo do povo ao não apoiá-lo em suas medidas anti-corrupção, afirmo, nem saindo agora mesmo em carreata pelo Brasil durante 20 anos seguidos, não conseguirá ser vereador no menor município de cidade grande.

    Moro é Bolsonaro, mas falta Bolsonaro ser Moro seu melhor e maior cabo eleitoral, ainda mais no STF continuando a ser televisionada.

    Vai ser outra medida, que tentarão, caso Moro seja Ministro do STF. Retirar a televisão deste.

  6. Artigo recheado de puras especulações, como se não existisse nenhuma problema nesse país para ser discutido. Se Moro for candidato, tudo bem, tem certamente esse direito. Será uma opção respeitável e certamente forte, mas a próxima eleição será em 2022, Ainda falta algum tempo. E depois de 2022, a mídia especulará sobre os candidatos para 2026, quem sabe até insistindo na candidatura do Luciano Huck. Quem sabe aí será para valer. Ou talvez ele espere até ficar com a idade do Trump…
    Dos candidatos do (..)-conservadorismo citados, só o Doria é plausível, e talvez só tenha chance se deixar esse partido acabado que é o PSDB. Mas ele parece não ter se dado conta de que o tPSDB é uma bananeira que já deu cacho.

  7. Piada do ano ..O Capo de Curitiba..já teve seu quinze minutos de “astro’… Não ganha em 2022 nem se ficar só ..é uma pária um canalha da pior espécie, traiu a magistratura , um verme sem destino, que armou e fez tramóias para o Sr. Jair Asno..ganhar.
    O resto é o resto.. quem viver vai ver …

    ” A mentira cedo ou tarde cairá, mas a verdade permanecerá de pé. ”

    Só existe um SALVADOR …O filho de YA …o resto é aquilo que fica na fossa …

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *