Ao responder ao general Pujol e tentar enquadr-lo, Bolsonaro fez apenas mais uma Piada do Ano

Pujol deu o recado: “No queremos poltica nos quartis”

Sarah Tefilo
Correio Braziliense

O presidente Jair Bolsonaro respondeu, na noite desta sexta-feira (13/11), a uma recente declarao do comandante do Exrcito, o general Edson Pujol, que afirmou que os militares no querem fazer parte da poltica. O chefe do Executivo ressaltou que a afirmao do general, escolhido por ele, como frisou, exatamente o que ele pensa.

A afirmao do general Edson Leal Pujol (escolhido por mim para comandante do Exrcito), de que militares no querem fazer parte da poltica vem exatamente ao encontro do que penso sobre o papel das Foras Armadas no cenrio nacional. So elas o maior sustentculo e garantidoras da Democracia e da Liberdade e destinam-se, como reza a Constituio, defesa da Ptria, garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de quaisquer destes, da lei e da ordem, escreveu o presidente em sua conta no Twitter.

Bolsonaro ainda frisou que as Foras Armadas precisam se manter apartidrias, baseadas na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da Repblica.

DIZ A LEI – A Constituio Federal prev que as Foras Armadas, constitudas pela Marinha, pelo Exrcito e pela Aeronutica so instituies nacionais permanentes e regulares, organizadas com base na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do presidente da Repblica, e destinam-se defesa da Ptria, garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem.

Na ltima quinta-feira (12/11), em transmisso ao vivo promovida pelo Instituto para Reforma das Relaes entre Estado e Empresa (IREE), Pujol disse que os militares no querem fazer parte da poltica.

No queremos fazer parte da poltica governamental ou poltica do Congresso Nacional e muito menos queremos que a poltica entre no nosso quartel, dentro dos nossos quartis. O fato de, eventualmente, militares serem chamados a assumir cargos no governo, deciso exclusiva da administrao do Executivo, afirmou.

REAO AO DISPARATE – As falas de Pujol foram uma reao a uma declarao recente do presidente. Na ltima tera-feira (10), em evento no Palcio do Planalto, se referindo ao presidente eleito dos EUA, Joe Biden, Bolsonaro disse:

Assistimos h pouco a um grande candidato a chefia de Estado dizer que, se eu no apagar o fogo da Amaznia, ele levanta barreiras comerciais contra o Brasil. E como que podemos fazer frente a tudo isso? Apenas a diplomacia no d, no , Ernesto (Arajo, ministro das Relaes Exteriores)? Quando acaba a saliva, tem que ter plvora, seno, no funciona. No precisa nem usar plvora, mas tem que saber que tem, disse.

Bolsonaro se referia a um debate no decorrer da campanha, quando Biden afirmou que o Brasil teria sanes econmicas caso no houvesse uma ao para frear o desmatamento e as queimadas na Amaznia. O presidente eleito ainda prometeu US$ 20 bilhes ao Brasil para a preservao da floresta.

###
NOTA DA REDAO DO BLOG Bolsonaro praticamente transcreveu o artigo da Constituio, para intimidar o comandante Pujol e as Foras Armadas, mas esse tipo de comportamento tem efeito contrrio. Se Bolsonaro provocar uma crise institucional, vai ter uma grande surpresa. (C.N.)

10 thoughts on “Ao responder ao general Pujol e tentar enquadr-lo, Bolsonaro fez apenas mais uma Piada do Ano

  1. O editor,Carlos Newton,disse no artigo:

    “Se Bolsonaro provocar uma crise institucional,vai ter uma grande surpresa.”

    Meu comentrio: Os militares erraram no passado(vide ditadura militar de 1964/1985).
    Continuam errando ao fazerem parte de um governo civil (loteamento de cargos nos escales principais por militares de pijama e da ativa).

    Mas,h grupos de militares,no idiotas,que jamais
    se deixaro imolar no altar do bolsonarismo.

    Resumo da pera: Se houver um crise constitucional,Bolsonaro Zero Zero,por tudo que
    e no faz,ser reduzido a p pelos militares que no compactuam com essa agenda de insanidades e incompetncia.

    PS-As nicas atitudes no idiotas de Bolsonaro Zero Zero,foram:

    1) Denunciar na ONU (ante sala da Nova Ordem Mundial) a CRISTOFOBIA.

    Milhares de cristos esto sendo mortos no mundo e igrejas crists incendiadas.
    O silncio da grande imprensa e mdia em geral
    criminoso.

    2) O no reconhecimento da fraude eleitoral promovida pela grande imprensa americana e mundial,em eleger PedoJoe e Canalha Harris como “eleitos” e Donald Trump como “derrotado”.

    • Adendo:

      Meu comentrio: onde se l : Os militares erraram no passado (vide ditadura militar de 1964/1985),leia-se:

      Os militares erraram no passado (vide ditadura militar de 1964/1985),porque combateram a luta armada comunista com sucesso,mas permitiram que a Revoluo Gramsciana (A TOMADA DO PODER POR DENTRO DO ESTADO e DA SOCIEDADE se consolidasse ).

      E,tambm,a AUSNCIA TOTAL DE UM VERDADEIRO PROJETO DE NAO.

  2. Como todo frouxo inseguro, Bolsonaro fez essa declarao pra fazer parecer que ele manda, dessa forma reafirmando, mais uma vez, uma autoridade que JAMAIS teve. Quer ter a ltima palavra. Se realmente mandasse alguma coisa, esse vagabundo no precisaria a todo momento repetir que “quem manda ele”. Bolsonaro j um pato manco antes de chegar metade de seu mandato.

    DE NOVO: “O que de verdade no precisa de esforo para ser mostrado.” (Eduardo Thomas)

  3. Bolsonaro sabe que cair, e os militares, mais ainda.
    O presidente se afundou em seus discursos vazios mas cheios de premeditaoes malditas.
    Est mal na fita com as encrencas dos filhos que logo lhe arrastaro para o mesmo caso das ravhadinhas que ser a causa da priso de todos.
    Se no renunciar agora, ser pior para sibe seus filhos.
    O povo brasileiro j no o quer assim como no quer luiz inacio, e a o povo mata dois ratos com uma s ratoeira.
    Os dois se odiavam, agora se unem contra Moro que j pegou um e entregou o outro.
    Entenderam como a ratoeira fumciona?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.