Ao suspender sua candidatura, Ciro Gomes arriscou uma aposta que pode até inviabilizá-la

Ciro Gomes ataca PT novamente: “Ninguém pode falar em golpe e praticar o golpe”

Ciro Gomes agiu emocionalmente e criou um problema grave

Carlos Newton

Não existem santos no Congresso. Pelo contrário, todos são pecadores, com aquelas raríssimas e honrosas exceções. Ciro Gomes é político antigo, já foi deputado federal e conhece a Câmara muito bem. Desde sempre, seu problema sempre foi o temperamento, que acaba de lhe criar mais uma armadilha.

Como recomenda Paulinho da Viola, às vezes a gente precisa levar o barco devagar, especialmente quando há nevoeiro. Na quarta-feira, ao protestar contra a votação de pedetistas a favor da PEC dos Precatórias, suspendendo sua candidatura, Ciro Gomes criou um grande problema para o partido e também para seu projeto de disputar a sucessão presidencial.

SAUDADES DE BRIZOLA – Não há dúvida de que Leonel Brizola deixou muita saudade, mas o PDT, partido criado por ele, Darcy Ribeiro e outros políticos trabalhistas, é hoje uma legenda mambembe, cada vez mais afastada do brizolismo, digamos assim.

Ciro Gomes perdeu uma boa oportunidade de ficar calado e deixar o nevoeiro se dissipar. Não existe fidelidade partidária sem fechamento de questão, cada deputado vota de acordo com sua consciência ou mediante a vantagem que lhe está sendo oferecida, como os recursos das emendas parlamentares que o Planalto distribui a mancheias, como se dizia antigamente.

A situação de Ciro Gomes não é ruim, muito pelo contrário, porque ocupa a terceira posição nas pesquisas e outros concorrentes já anunciaram que podem abrir mão em favor daquele que estiver melhor colocado nas pesquisas, conforme proposta de João Doria, já aceita por Henrique Mandetta e Sérgio Moro.

O ENIGMA MORO – Parece claro que a candidatura de Moro vai afetar os demais pretendentes à terceira via, mas Ciro Gomes não deveria passar recibo. Na terça-feira haverá nova votação. Caso a maioria dos deputados do PDT vote novamente a favor da Emenda dos Precatórios, com intuito de distribuir recursos a prefeituras de suas bases eleitorais, o que fará Ciro Gomes? Vai desistir definitivamente? Ou tocará o barco adiante?

A meu ver, a disputa da terceira via está entre Ciro e Moro, não necessariamente nesta ordem. Se houver a coalizão defendida por Doria, Mandetta e Moro, a terceira via pode ter chance de vitória, devido à enorme rejeição a Bolsonaro e Lula, não importa quem esteja em terceiro lugar em março, mês da janela para troca-troca de partidos.

Todos os demais candidatos, incluindo Eduardo Leite, Arthur Virgílio, Alessandro Vieira, Simone Tebet, Rodrigo Pacheco, Luiz Felipe D’Ávila e Cabo Daciolo, precisam assumir idêntico compromisso de apoiar o mais cotado em março.  

###
P.S.Com o apoio de todos, pode surgir uma coligação muito forte, capaz de mudar os rumos da política e de fazer a maioria silenciosa se manifestar pela terceira via. Então, que assim seja, (C.N.)

9 thoughts on “Ao suspender sua candidatura, Ciro Gomes arriscou uma aposta que pode até inviabilizá-la

  1. 1) Penso que o Ciro arranjou uma boa desculpa para cair fora. Eu votaria nele.

    2) Mas Presidência da República é questão de carma coletivo do País. Da mesma forma que Brizola não tinha um bom carma para ser Mandatário, penso que o mesmo acontece com Ciro. A meu ver, ele agiu inspirado pela jogada de Jânio Quadros que não deu certo, cujos reflexos ruins continuam até hoje na vida brasileira.

    3) Agora… torço por uma mulher, chega de homem na cadeira planaltense. Vamos ver se Simone Tebet tem um bom carma para emplacar
    ou outra competente.

  2. Não acho que o Ciro Gomes tenha errado nessa sua atitude. É até provável que ele já esperasse este resultado de boa parte da bancada do PDT ter votado a favor da emenda do calote. Senão ele teria declarado e exigido voto contra dos seus correligionários antes da 1ª votação.
    A tática pode ser meio arriscada, mas com isso, Ciro Gomes dá mais uma prova de coragem, até mesmo porque até aqui é o único candidato que se posiciona claramente em temas polêmicos e um destes temas é o fim do teto de gastos, proposta que ele defende, mas não dessa forma cínica com a votação da PEC do calote. .
    A questão para os deputados do PDT fica bem complicada. Quem é que precisa mais um do outro? O Ciro do PDT ou o PDT do Ciro? A resposta para mim é óbvia, com o Ciro candidato o partido tem tudo para sair muito maior do que é atualmente, sem o Ciro o partido vai continuar mais nanico do que nunca.
    Tudo isso, ainda que o Ciro não vença as eleições. Se vier a vencer o partido tem tudo para ser um novo PSL, que do nada acabou fazendo a 1ª ou 2ª maior bancada da camara.

  3. A terceira via saiu da mão do canga Ciro para cair no colo do Moro. Espertamente os governadores tucanos vieram com aquela conversa de “união” porque sabiam que não davam nem para a saída. Agora resta ao Moro juntar os cacos dos desistentes e seguir em frente, porque se passar para o segundo turno pode mandar passar o terno, mas desta vez Moro, por favor troque a cor do terno, este pretinho básico já encheu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *