Apesar das limitações, o pacote anticrime foi uma vitória espetacular de Moro

Moro agiu com todo o empenho para aprovar o pacote anticrime

Carlos Newton

Como diz o velho ditado, cada um puxa a brasa para sua sardinha, e os deputados de oposição consideraram a votação do pacote anticrime uma derrota de Sérgio Moro e do governo, porque foram excluídos ou mitigados diversos pontos da proposta inicial. Realmente, o ideal seria a aprovação quase que integral das sugestões do ministro da Justiça, mas o governo não fez nenhuma pressão, deixou que a Câmara ficasse à vontade. Mesmo assim, a maioria das teses do pacote foram aprovadas.

Nesses momentos, é preciso deixar as ilusões de lado e raciocinar sobre a realidade dos fatos, para constatar que Moro não foi derrotado; pelo contrário, deve ser considerado como expressivamente vitorioso com os 408 votos a favor, que significam cerca de 73% dos deputados.

VITÓRIA DIFÍCIL – Na hora da verdade, a aceitação de grande parte das propostas deve ser comemorada como uma surpreendente e difícil vitória de Moro, porque um em cada três deputados é suspeito de ter cometido algum tipo de crime.

Quando assumiram os atuais mandatos, em fevereiro, dos 513 integrantes da Câmara, pelo menos 178 respondiam na Justiça a inquéritos (procedimentos que podem resultar em processos) ou ações penais (processos que podem acabar em condenação), segundo levantamento do excelente site Congresso em Foco.

O PP, o PT e o PSDB são os partidos com mais deputados com pendências criminais. Das 27 legendas com assento na Casa, apenas seis pequenas (PSOL, Rede, PV, PPL, PRP e PRTB) não tinham parlamentares sob investigação ou processo.

MUITOS AVANÇOS – As sugestões de Moro aprovadas pela Câmara estabelecem importantes mudanças no Código Penal, na Lei de Execução Penal e outras legislações. Aumenta o rigor das condenações, elevando a pena máxima de 30 para 40 anos de prisão e prevendo que chefes de organizações criminosas comecem a cumprir pena obrigatoriamente em presídios federais. Ao mesmo tempo, consagra a chamada “transação penal”, que permite a substituição de pena em crimes de menor gravidade.

Outra novidade é a possibilidade de gravação da conversa entre advogados e presos em presídios de segurança máxima, mediante autorização judicial.

Há também a criação do juiz de instrução, sob denominação de “juiz de garantia”, para atuar na fase da investigação criminal até o processo, que será julgado por outro magistrado.

JOGAR O JOGO – O mais importante de tudo é que Sérgio Moro já aprendeu como jogar no tabuleiro da política. Faz seu trabalho com perfeição e independência no Ministério, intervém em apoio às tribos indígenas, quando se faz necessário, sua submissão ao presidente Bolsonaro é relativa.

Está conduzindo bem a retomada da prisão após segunda instância, tem excelentes aliados no Congresso, como os presidentes das Comissões de Justiça, a senadora Simone Tebet (MDB-MS) e o deputado Felipe Francischini (PSL-PR). Com apoio deles, Moro está dando um nó em Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, que estão sendo obrigados a não atrapalhar as propostas da prisão após segunda instância.

###
P.S. – Na minha opinião, Moro é o grande destaque positivo do governo. Quanto ao ministro Paulo Guedes, tem passado nebuloso e ainda está sob observação. Essas três revisões das estatísticas de comércio exterior, em menos de uma semana, desmoralizam qualquer declaração. Uma das “justificativas” foi de que o Serpro teria deixado de incluir várias parcelas, acredite se quiser, como dizia o ator Jack Palance, ao apresentar a série televisiva de Robert Ripley. (C.N.)

10 thoughts on “Apesar das limitações, o pacote anticrime foi uma vitória espetacular de Moro

  1. Um bolo não se come de uma vez. É através de fatias. Quem saiu gahando foi o Povo Brasileiro.
    Boa parte da turminha que aprovou, brevemente irão experimentar o bolo ou pacote. Não e para ti, nem para mim, é para todos. Foi um Vitória de virada.

  2. Sinto que suas críticas de sempre ao Guedes te impedem de dar a real dimensão dos ótimos resultados obtidos pela equipe econômica do governo, que é composta por muitos outros profissionais de qualidade. Voltar a crescer a despeito do enxugamento do estado e despesas do governo faz dos números atuais e futuros mais relevantes ainda

  3. A mudança da capital para Brasília – com o poder longe do povo – propiciou a implantação no Brasil da pior ditadura que pode existir: a ditadura da corrupção com a participação e proteção do Poder Judiciário.

    No Brasil de hoje corruptos fazem e aprovam as leis. E seus parceiros as interpretam e aplicam, sempre de modo mais benéfico para os ladrões do dinheiro arrecadado do povo.

  4. O que mais chama a atenção de todos nós, é o comportamento do senhor Moro.
    Mantêm-se sóbrio o máximo que pode, não fugindo à discussão do(s) problema(s), e isto é muito saudável.
    Discorda, com palavras, sem agressão, rotulagem, e outros.

    É o mínimo que se espera de um homem público…

  5. Se Sérgio Moro levantar apenas o dedo mindinho no desejo de ser presidente atropela toda a turba de de políticos que não serve pra nada…
    Amassa qualquer um! Ele sim terá a maior votação da história.
    Aguenta firme Moro!!
    É você em 2022!!
    Não tem como o Sr. se negar à voz retumbante do povo, que chegará na hora certa e colocará um Presidente que a grandeza e importância do Brasil necessita.
    Te esperamos Sérgio Moro!
    Conte com a avassaladora votação que esta Nação brasileira lhe dará.

    Moro em 2022!!
    A fatura é líquida e certa!!

    Atenciosamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *