Apesar de o Supremo ainda não ter julgado o mensalão, Dirceu já está reabilitado pelo PT. Delubio e Silvinho seguem o mesmo caminho, é questão de tempo. Só ficam faltando Marcos Valério e Erenice Guerra.

Carlos Newton

Quando o artista plástico e animador cultural americano Andy Warhol previu que as pessoas passariam a ser famosas por apenas 15 minutos, nem imaginava que um dos maiores líderes da ditadura militar brasileira, o general Golbery do Couto e Silva, aproveitaria a frase genial para criar outra: “A memória das pessoas dura apenas 15 dias”.

Paradoxalmente, quem agora segue essa filosofia do criador do Serviço Nacional de Informações (SNI) é o PT, que se empenha em passar a borracha na sua conturbada trajetória, para tentar esculpir uma imagem imaculada diante da História contemporânea.

Sem esperar a decisão do Supremo Tribunal Federal, o PT prepara a volta triunfal de José Dirceu e dos outros companheiros que mancharam o nome de um partido que tinha tudo, mas tudo mesmo, para tornar-se um exemplo e se consagrar como uma opção limpa e sem os vícios que marcam todos os demais partidos políticos existentes no país.

Isso mesmo, não há partidos imaculados no Brasil. E no resto do mundo (com as indefectíveis raras e honrosas exceções), também não. De uma forma ou outra, a política está sempre envolvida com a lama. Se você entra na política ou com ela se envolve, acaba enlameado ou, no mínimo, respingado.

Até mesmo o Partido Verde, com bandeiras tão saudáveis e inocentes, está contaminado. Sua direção nacional vive às custas do PV, ou melhor, às custas do erário público, através do generoso Fundo Partidário mantido pelos impostos. Até as contas pessoais do presidente nacional do PV (luz, água, gás telefone) eram pagas pelo partido.

As contas apresentadas à Justiça Eleitoral pelo PV eram bisonhas e mostravam até formação de quadrilha para dilapidar os recursos. E o que aconteceu? Nada. A direção do PV apenas reconheceu a existência das irregularidades e restituiu o dinheiro. Usando, é claro, os recursos do Fundo Partidário. Que Justiça Eleitoral é essa?

O PCdoB, que também devia ser imaculado, é um cabide de empregos públicos, virou um PMDB em menor escala, que apóia quem estiver no poder. Mas o que esperar de um partido onde até hoje os funcionários e filiados se tratam de “camaradas”? É muito ridículo esse tipo de tratamento, na época em que vivemos.

Agora, vem o PT fingindo que o mensalão não existiu. Mesmo acusado pelo procurador geral da República de ter sido o “chefe da quadrilha”, o companheiro José Dirceu já está mais do que recuperado. È ele quem manda hoje no partido, o presidente José Eduardo Dutra não passa de um fantoche. O PT nem se preocupa mais com o julgamento que haverá no Supremo, abrangendo 40 réus, como Dirceu e Delubio. O partido acha que o escândalo já caiu no esquecimento, quer sepultá-lo de vez..

Além de Dirceu, o tesoureiro Delúbio Soares, que foi expulso pelo PT, também será recebido de volta. E vem aí Silvio Pereira, o ex-secretário-geral, que se desligou em 2005, quando foi comprovado que recebeu favores de uma empresa que mantinha contrato com a Petrobras, inclusive uma camioneta Land Rover zero quilômetro.

Pouca gente se lembra que Silvinho, para se livrar de condenação no escândalo do mensalão, foi condenado a prestar serviços voluntários . Agora que sua pena está no final e os 15 minutos de memória popular já passaram, ele está confiante de que voltará aos quadros da legenda, junto com o amigo Delúbio Soares.

E a direção concorda, apenas teria sido orientado Silvinho a aguardar alguns meses para dar entrada no processo, de forma a evitar desgaste no trabalho de solidificação do governo de Dilma Rousseff.

“Não chegou nada para mim, mas uma pessoa de expressão como o Silvio vai conversar lá por cima (direção). A volta dele é tratada em nível nacional” – disse João Góes, presidente do Diretório de Osasco, ao repórter Flavio Freire.

Era em Osasco que o petista estava filiado antes do escândalo. Pelo estatuto do PT, ele deveria pedir filiação na esfera municipal, mas há jurisprudência para que ele volte sem cumprir os trâmites normais.

“O próprio presidente Lula já abonou a ficha do presidente do Corinthians” – lembrou Góes, num argumento que dá fôlego para Silvinho retomar poderes dentro do PT.

O repórter Flavio Freire disse, ainda, que a discussão sobre o retorno de Silvinho ganhou força com a decisão da direção petista em reabilitar o deputado cassado e ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu. Na plenária do Diretório Nacional, realizada pouco antes da comemoração dos 31 anos do PT, em Brasília, foi lançada uma mobilização em defesa de Dirceu, de quem Silvinho foi braço-direito.

“Uma coisa é o Delúbio, que foi expulso. Outra é o Silvinho, que pediu desligamento. Estatutariamente, ele pode pedir filiação no Diretório de Osasco” – assinala Francisco Rocha, líder da corrente interna do PT Construindo um Novo Brasil, da qual Dirceu fez parte, acrescentando que um eventual regresso de Silvinho deve seguir o regime estatutário.

Como se vê, o PT se julga mesmo acima da lei e da ordem, seus dirigentes nem ligam para o Supremo, é como se já conhecessem o teor do parecer do relator Joaquim Barbosa, que ainda não foi apresentado, e já soubessem o resultado do julgamento, que nem tem data para se realizar.

Em meio a essa estranha situação, surge a pergunta que não quer calar. E o publicitário Marcos Valério de Souza, um dos principais personagens do escândalo do mensalão, e o único a ser preso pela Polícia Federal? Embora não tenha a sorte de pertencer ao PT, ele também certamente já se tornou “um cidadão acima de qualquer suspeita”, como Dirceu, Delubio e Silvinho. Para citar outro filme famoso, Valério é hoje “o homem que sabia demais”. E a ex-ministra da Casa Civil, Erenice Guerra, está na mesma condição. Não tarda a ser recuperada.

Resumindo: é triste, muito triste mesmo, viver num país em que não existe um só partido realmente confiável, e a política se transformou nesse espetáculo bufo que insistem em apresentar. É por isso que a imensa maioria dos jovens despreza a política. Não lhes faltam motivos. Nossa geração, que está no poder, é um fracasso. Que os jovens nos perdoem.

This entry was posted in Sem categoria. Bookmark the permalink.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *