Após críticas de Bolsonaro, esposa de Moro sai em defesa de Mandetta e do isolamento social

Rosangela diz que entre “ciência e achismo”, fica com a ciência

Deu no Correio Braziliense

A advogada Rosângela Wolff Moro, mulher do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, manifestou, na noite desta quinta-feira, dia 2, apoio ao ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, nas redes sociais. Em paralelo, uma campanha em defesa do titular da Saúde subiu ao topo das menções no Twitter com a hashtag #somostodosMandetta, apoiada por diversos políticos.

 A advogada rendeu a homenagem a Mandetta minutos depois de o presidente Jair Bolsonaro dizer que o ministro “extrapolou” e precisa de “humildade” e que não o demitiu porque está no “meio de uma guerra”.

CONFIANÇA  – Rosângela Moro adaptou uma frase que já vinha sendo usada pela militância lavajatista em defesa de Moro: “In Mandetta I trust (“Em Mandetta eu confio”, em inglês)”, escreveu ela. Os apoiadores da Operação Lava-Jato, que tinha à frente das ações penais o ex-juiz Sérgio Moro, adaptaram a frase “In God we trust” ao ministro. A estampa “In Moro we trust” ganhou cartazes e camisetas em manifestações pelo país.

A advogada postou uma foto de Mandetta em seu perfil no Instagram e escreveu: “Entre a ciência e achismos, eu fico com a ciência. Se você chega doente em um médico, se tem uma doença rara, você não quer ouvir um técnico? Mandetta tem sido o médico de todos nós e minhas saudações são para ele”. A publicação foi apagada logo depois.

INSATISFAÇÃO – O presidente também anda insatisfeito com a postura de Moro durante a pandemia e já reclamou do ministro da Justiça a interlocutores. Moro e Paulo Guedes uniram-se nos bastidores no apoio a Mandetta e na defesa da manutenção das medidas de distanciamento social e isolamento da população no combate à pandemia.

O trio formou uma espécie de bloco antagônico, com o apoio de setores militares, criando um movimento oposto ao comportamento do presidente Bolsonaro, contrário ao confinamento das pessoas, incluindo o fechamento do comércio.

Pressionado, o titular da Saúde deixou claro ao presidente, em reunião no último sábado, dia 28, que não vai se demitir nem mudar de posição. Mandetta foi aconselhado por aliados a se manter firme por ter se tornado “indemissível” num momento de pandemia. Se partir de Bolsonaro uma decisão de retirá-lo de sua equipe, caberá ao presidente assumir o ônus.

32 thoughts on “Após críticas de Bolsonaro, esposa de Moro sai em defesa de Mandetta e do isolamento social

  1. A vagabundagem comunista, começa a ser desmascarada. (A vagabundagem não dizia que o importante é a saúde).

    Itália ainda não ajudou nenhum de seus pobres, por burocracia da vagabundagem esquerdista.

    A esquerdista Angela merchel se nega a liberar dinheiro a juros baixos (e/ou condições diferenciadas) para países que precisam de dinheiro.

  2. Qual o erro daqueles que usam a “credibilidade da ciência” como argumento? Esquecem que a ciência é humilde e, na sua humildade, afirma desconhecer o vírus. O conhecimento está sendo construído agora, na base da tentativa e erro.

  3. Já li que a imbecilidade não é parte do DNA, mas resultante da educação. Entretanto, em certos imbecis ela parece ser também resultante da herança genética.
    Por falar em presidente, torço pelo Mandetta.

  4. “A ciência é humilde” ?????!!!!

    Humildade é sinônimo de desconhecimento, agora, e eu não sabia.

    “O conhecimento está sendo construído agora, na base da tentativa e erro.”

    Na filosofia, empirismo é uma teoria do conhecimento que afirma que o conhecimento sobre o mundo vem apenas da experiência sensorial, ou seja, recebido por meio dos sentidos, especialmente pela observação e experimentação.

    No caso de vidas humanas, a Ciência evita de todas as formas fazer os seus experimentos com vidas humanas, utilizando-se antes de cobaias, então a demora para se obter a certeza que a administração do medicamento em seres humanos será positiva e não letal ou inócua!

    • Sim, caro FBendl … humilde … que tem a capacidade de reconhecer os próprios defeitos e limitações.

      Sobre o vírus, enquanto os políticos dizem: creio na ciência; a ciência diz: [o vírus] é um desconhecido.

      • Policarpo,

        Apesar de eu não estar concordando com teus comentários, e alguns deles até critico, faço questão de registrar o seguinte:

        Reverencio e aplaudo a tua educação para comigo!

        Nunca foste agressivo ou mal educado, pois as tuas respostas são sempre dentro de um nível muito alto de respeito.

        Portanto, leva em conta que dou importância aos teus textos porque além de bem escritos – independente de eu concordar ou não -, o teu retorno às minhas contestações são exemplos de sociabilidade e urbanidade.

        Abração.
        Te cuida, meu!

  5. “Paulo Briguet: Mas por que esse protocolo (hidroxicloroquina em associação com a azitromicina) não está sendo aplicado em larga escala?

    Paolo Zanotto: Acho que eu entendi por quê. A hidroxicloroquina ficou sendo o “remédio do Bolsonaro” e o “remédio do Trump”. Agora, eles estão sob fogo cerrado — inclusive de dentro dos seus próprios governos. Tecnicamente, o remédio deveria ser dado entre o 2º e o 5º dia da doença; depois disso, a pessoa precisa ser internada porque vai precisar de apoio respiratório. É uma terapia curta, e os efeitos adversos não estão se manifestando, segundo diversos trabalhos. Em São Paulo, a rede Prevent teve 96 mortes por coronavírus até o dia 22 de março, praticamente metade de todas as mortes reportadas pelo governo de São Paulo. Hoje eles estão com apenas uma pessoa na UTI. Desde que a Prevent adotou esse protocolo, não registrou mais mortes por coronavírus. E as pessoas que tiveram problema são as que entraram tardiamente nesse protocolo, já com a doença avançada. A Santa Casa e o Albert Einstein também adotaram esse protocolo, além de vários hospitais do interior de São Paulo, sempre com ótimos resultados. No Hospital Sancta Maggiore, em São Paulo, a equipe médica entendeu o que está acontecendo e colocou o ovo de Colombo em pé. Temos um protocolo que está salvando vidas.

    Paulo Briguet: Existem, portanto, razões ideológicas para a recusa do tratamento por cloroquina?

    Paolo Zanotto: Se o povo não estivesse falando que esse é o “remédio do Bolsonaro” ou o “remédio do Trump”, seria diferente. Se fosse a “droga do Doria” ou a “droga do Lula”, eu garanto que seria um sucesso. Há muita ideologia envolvida no problema. Para alguns, se for necessária a morte de milhões para tirar o Trump e o Bolsonaro, que seja assim.”

    https://brasilsemmedo.com/cloroquina-e-o-remedio-para-vencer-a-epidemia/

    • “O jornalista Olavo de Carvalho, guru do clã Bolsonaro, anunciou em vídeo no YouTube, nesta sexta-feira (6), o lançamento no próximo dia 19 de dezembro do jornal on line ‘Brasil Sem Medo’, que descreve como “o maior jornal conservador da internet brasileira”.
      […]
      Olavo de Carvalho será o presidente do Conselho Editorial do novo veículo informativo [Brasil Sem Medo] da extrema-direita.”

      Quanto descaramento, Sr. Aranha.

      • Sua ignorância o impede de pesquisar quem é o infectologista Paolo Zanotto.
        A sua ranhenta visão monoangular só vê o que a sua diminuta mente quer.
        Já postei matéria do Pepe Escobar feita no 247, pois o que importa é QUEM e OQUE fala e não AONDE está publicado.

        • Tião,
          Pegue a sua pequenez moral e junto com sua mortadela continue sua caminhada para o umbral mais profundo do conhecimento aonde a rixinha ideológica é a ambrosia dos desvalidos.

          Paolo Marinho de Andrade Zanotto
          Possui graduação em Biologia pela Universidade de São Paulo (1981), mestrado em Molecular Virology – University of Florida (1990) e doutorado em Virologia – University of Oxford (1995). Atualmente é professor doutor da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Microbiologia, com ênfase em Virologia, atuando principalmente nos seguintes temas: evolucao de flavivirus, baculovirus, filogenia viral, arboviroses emergentes e filogenia molecular. (Fonte: Currículo Lattes)

          • Pois é, senhor Aranha, o doutor Paolo Marinho de Andrade Zanotto é muito qualificado, o senhor não acha?

            Quanto à pequenez moral isso não me afeta, pois não faço parte de corriolas onde a todo custo tenta encobrir incompetência, a troco de quê não sei, de um chefe de estado que não se importa com o seu povo.

            Tenha uma boa tarde e fique com as suas predileções, senhor Aranha, pois elas devem lhe fazer muito bem.

        • Minha ignorância me impede de aceitar matérias tendenciosas como as que o senhor tem colocado, de site(s), também, tendencioso(s).

          Não sou dono da razão, mas querer que os que aqui estão aceitem, diuturnamente, aquilo que o senhor coloca como “verdade” é demais.

          Querer, ainda, que aceitemos, com essas matérias, que acreditemos nessas fórmulas milagrosas para a cura do coronavírus é subestimar a inteligência dos demais.

          O que importa aqui, mesmo com debates divergentes é ter cuidado para não induzir as pessoas a tomarem certos medicamentos e, mais, não achar que o Bolsonaro está certo e o ministro da saúde, que é medico, está errado.

          Verifique que, só hoje, tens postado notícias do site olavista “Brasil Sem Medo” as quais favorecem o entendimento do “doutor” Bolsonaro e descredita a capacidade técnica do ministro da Saúde e sua equipe.

          Não vou me imiscuir quando sentir que a mensagem não é tendenciosa. Do contrário, cada um age da forma que entender melhor.

          • Sua resposta reforça sua ignorância!
            Impossível debater em tão desnivelado nível, baseado em fanatismo ideológico que repele ciência, cientistas, pesquisas, evidências e tudo que não edulcura seu obsessivo dever para com sua causa política anacrônica.

    • Vamos esperar que dê resultados. Não há evidências robustas ainda. Sabe-se que para casos leves, mesmo que não se dê nenhum medicamento, a maioria dos pacientes vai se curar. Portanto, afirmar que essa droga ministrada para casos leves é que levou à cura é algo meio estranho. E não sei se ele falou isso mesmo, que o remédio só não é ministrado porque ele é de Trump ou de Bolsonaro. Que bobagem.

    • Ok. Então a cloroquina não está sendo usada aqui por conspiração dos esquerdistas. Então me explique: e no resto do mundo? É a esquerda brasileira que está impedindo também?

  6. Tem alguns comentaristas que apesar da idade, não demonstram maturidade. Ofendem gratuitamente as pessoas que pensam diferente. O cara se acha o supra sumo do conhecimento, coitado.

    • Fui chamado de “pulha” e questionaram a minha moral. Pode isso? Provavelmente a família destas merdas não aguentam mais o “os mijões”.Aí, os infelizes,por uma questão de sobrevivência, ofendem as pessoas, gratuitamente, por opiniões contrárias. Estou fora! Feliz Natal, TI!

      • Ah é assim, Nelson??!!

        Pretendes abandonar o barco sem lutar para deixá-lo flutuando??!!
        Arreglaste para a má educação e desrespeito??!!

        E daí, que te chamaram disso e daquilo, eim?
        Ora, se tu sabes como ninguém qual é o teu comportamento perante a sociedade, deixa de dar bola para os ignorantes, agressivos, ofensivos, pessoas degradantes que não somam, apenas dividem e assim se comprazem!

        Vais dar essa satisfação e prazer prá eles, é??!!

        Nelson, depois tens uma defesa perfeita para o teu nome se manter intacto, assim como a tua pessoa:
        Usas do anonimato!!!

        Aproveita essa vantagem, e sejas irônico, gozador … brinca com esses insultos gratuitos.

        Mas não abandones a canoa, não faças isso.
        O barco já está desfalcado de remadores, e tu ainda queres dar no pé??!!

        Abração.
        Te cuida, e deixa de frescura e mi mi mi!!

        • Você, amigo Bendl, merece todo o meu respeito e carinho. CN tem o meu e-mail. Muitas pessoas não sabem , na realidade, o que é uma Tibuna. Eu desprezo gente que se esconde através da internet (de forma vil e covarde). Querido, um forte abraço! Que Deus sempre o ilumine, Chicão!

          • Não pensas que vais escapar de fininho, meu.

            Vou te convocar todas as vezes que eu precisar de gente com posições firmes, personalidade, textos com substâncias.

            Outro abraço

          • Procurei pela segunda vez um comentário te chamando de pulha e não encontrei. Não ninguém chamando Nelson de pulha, palavra que caiu em desuso e a maioria das pessoas nem sabe o que é…

            Abs.

            CN

  7. Engraçado os bolsonaristas que criticam os dados científicos quando tem uma dor de barriga correm direto para o médico,vocês não negam a ciência quando tiverem qualquer problema de saúde procurem o dr Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *