Após defender cadeia a ministros do STF, Weintraub recua e diz que se referia a “alguns, não todos”

Weintraub disse que “tentam deturpar” o teor de sua fala

Deu na Folha

O ministro Abraham Weintraub (Educação) minimizou neste domingo, dia 24, crítica feita ao STF (Supremo Tribunal Federal) e revelada após a divulgação do vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril. “Manifestei minha indignação, liberdade democrática, em ambiente fechado, sobre indivíduos. Alguns, não todos, são responsáveis pelo nosso sofrimento, nós cidadãos”, escreveu no Twitter.

A declaração do ministro causou polêmica. “Eu por mim colocava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF”, disse Weintraub, no encontro comandado pelo presidente Jair Bolsonaro. Neste domingo, Weintraub disse que “tentam deturpar” o teor de sua fala “para desestabilizar a nação”. “Não ataquei leis, instituições ou a honra de seus ocupantes”, afirmou na rede social.

DESGASTE – A Folha mostrou neste sábado, dia 23, que Bolsonaro avalia procurar o presidente do STF, Dias Toffoli, para tentar diminuir o mal-estar e evitar retaliações após divulgação do vídeo. A preocupação de Bolsonaro é justamente com eventuais respostas à fala de Weintraub.

A declaração, criticada em caráter reservado até mesmo por Bolsonaro, piorou a relação já conturbada entre Executivo e Judiciário. O ataque veio a público no momento em que a corte autorizou investigação para apurar se Bolsonaro tentou interferir na Polícia Federal como diz o ex-ministro da Justiça Sergio Moro.

O receio do presidente foi manifestado nesta sexta e neste sábado  a assessores presidenciais e aliados. Ele teme que o episódio seja usado como justificativa para que o Judiciário imponha novas derrotas ao Executivo, seja no curso da investigação, seja em processos em tramitação no Supremo.

Para tentar superar o episódio, aliados do presidente o aconselharam a procurar Toffoli. A ideia é que Bolsonaro aproveite a conversa para minimizar a declaração de Weintraub e para reafirmar o compromisso do Executivo com a independência dos três Poderes.

PERÍCIA EM CELULAR – Para o presidente, uma amostra de que pode haver uma reação negativa foi a decisão de Mello de encaminhar à PGR (Procuradoria-Geral da República) pedido da oposição para que seu celular seja apreendido e periciado. Na decisão em que divulgou o vídeo da reunião, Mello citou ainda “aparente crime contra a honra dos ministros do STF” na declaração feita por Weintraub.

Para o decano da Corte, houve a “absoluta falta de gravitas”, expressão em latim que significa ética ou honra. “As expressões indecorosas, grosseiras e constrangedoras por ele [Weintraub] pronunciadas, ensejou a descoberta fortuita ou casual de aparente crime contra a honra de integrantes do STF”, escreveu Mello.

Também naquela reunião, Weintraub defendeu “acabar com essa porcaria que é Brasília”. “É muito pior do que eu imaginava. As pessoas aqui perdem a percepção, empatia, a relação com o povo.” Weintraub disse ainda que odeia o termo povos indígenas. “Só tem um povo nesse Brasil, é o povo brasileiro.” Ele defendeu ainda “acabar com esse negócio de povos e privilégios”.

QUEIXAS – O mal-estar criado por Weintraub tornou ainda mas frágil a permanência do ministro no governo. Nas últimas semanas, Bolsonaro já vinha se queixando do auxiliar presidencial. Weintraub resistiu em ceder espaço para indicados do centrão e em adiar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Os episódios foram vistos como uma oportunidade tanto pelo núcleo militar como por partidos do centrão para pressionar o presidente por uma mudança. O desempenho da pasta é criticado pelos dois grupos desde o ano passado.

18 thoughts on “Após defender cadeia a ministros do STF, Weintraub recua e diz que se referia a “alguns, não todos”

    • O que esperarnde uma reunião cuja pessoa que preside se comporta da maneira que vimos Bolsonaro.
      Ali era um vale tudo da pouca vergonha e bastava abaixar a crista para Bolsonaro que podia falar qualquer besteira.
      Acontece, que esse governo já deu, e daqui para frente a coisa só pode piorar.

  1. O grande comandante Bolsonaro está afinando? Por que é que não manda um cabo e 1 soldado para fechar aquela pocilga do STF? Tá bem, precisa mais do que um cabo, 1 soldado e 1 jipe! Manda um batalhão com 1 oficial, 2 sargentos alguns cabos e alguns soldados.

    É assim mesmo, um dos seus cães de guarda vai morder as pernas do dragão chinês, outro ataca a Bandeirantes, outra diz que tem que prender governadores e prefeitos, outro diz que tem passar a boiada prá cima dos indios e das matas, e outro imbecil resolve atacar o STF!

    Depois ficam todos com os rabinhos entre as pernas quando começam a perceber as consequencias de suas falas e seus atos inconsequentes. Parecem um bando de moleques que ficam morrendo de medo depois que suas travessuras foram descobertas.

    Não tem coragem de assumir com um retumbante “falei sim, e daí?”. Bando de vacilões desqualificados, só pensam em agradar ao chefinho na hora de zurrar babaquices, depois ficam com medinho das consequencias !

  2. Vejam como os “machoes” estão com o fiofo na mão:

    “Bolsonaro resolve de última hora ir a posse na PGR, que era virtual” (O Globo)

    Como um desorientado, o Bozo foi de corpo presente à uma posse que era virtual.

    Isso porque não foi convidado. Se convidou.

    É um vagabundo de carteirinha. Não trabalha nunca.

  3. O que a expressão “todos” está fazendo na fala (“Eu por mim colocava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF”) do excelentíssimo senhor ministro naquela, digamos, reunião?

    Mas, para ser complacente e admitir que ele não se referia a “todos”, mas apenas a alguns”, penso que seria necessário que antes, ele identificasse quem são os ministros do STF a que ele estaria então se referindo.

    Até para que ele possa fazer justiça com Todos, segundo os seus entendimentos nada republicanos, registre-se.

    Ou não?

  4. O Ministro da Educação falou aquilo que a maioria do povo brasileiro pensa.

    O Totófi prorrogou a autorização de ‘home office’ para os funças do STF …com vencimento integral bancado pelos otários … mas somente por mais nove meses … nove meses. É tempo mais do que suficiente para os vagabundos libertarem toda a bandidagem condenada, inclusive chefões e chefetes de organizações criminosas como o PCC.

    • Você chama todo mundo de vagabundo . Tá ficando chato essa fixação sua pela vagabundagem, pela vadiagem. Nenhuma analise, senhor Policarpo, só ataques as autoridades dos três poderes.
      Beira a grosseria, ao menos que você queira isso mesmo, através dos termos chulos, nogentos, afastar os Jobs comentaristas, os éticos e ficar postando aqui com sua camarilha.
      O que você faz, nem direita é, trata-se de ausência de educação.
      Me desculpe, mas, muda bem pouco.

      • Nada a desculpar, R. Nascimento … o Sr é livre para se expressar.

        Por conta da indignação de assistir a uma legião de demônios e filhotes do capiroto, movidos por interesses mesquinhos, sabotando, de modo vil e desonesto todo santo dia, um Presidente que, aos trancos e barrancos, tenta governar para o bem do país, cometo o erro de generalizar. Paciência.

        Não tenho a pretensão de fazer análises … e a porta de entrada dos meus comentários tem uma etiqueta.

        Grato pela atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *