Após demitir o brigadeiro, novo ministro da Educação prepara volta dos “olavetes”

Resultado de imagem para abraham weintraub

Ao invés de pacificar, Weintraub está tumultuando o MEC de novo

Deu no Correio Braziliense
(Agência Estado)

O tenente brigadeiro Ricardo Machado Vieira, que havia sido colocado pelo governo no Ministério da Educação (MEC) para organizar a pasta durante o ápice da crise na gestão de Ricardo Vélez Rodríguez, foi demitido, nesta quinta-feira (18/4). Machado Vieira foi nomeado secretário executivo, cargo tido como número dois dos ministérios, no dia 29 de março.

Com a substituição de Vélez por Abraham Weintraub, foi dito ao militar que ele ficaria como assessor especial. Na quinta-feira, no entanto, ele foi avisado que não mais teria função no MEC. Sua exoneração já foi até publicada no Diário Oficial.

RIVALIDADE – Segundo o Estadão apurou, Weintraub está trazendo de volta para cargos importantes os chamados “olavetes”, ligados ao guru do bolsonarismo Olavo de Carvalho, que os apelidou assim. Os militares sempre rivalizaram com esse grupo, porque defendem uma gestão educacional mais técnica.

Enquanto ainda era secretário executivo, o brigadeiro, inclusive, tentou mudar o decreto sobre alfabetização elaborado no MEC. Ele ouviu sugestões de especialistas de entidades como o Conselho Nacional de Educação (CNE) e tirou do documento a preferência por um método de ensinar a ler e escrever, o fônico. Educadores haviam criticado o foco em uma modalidade. O secretário de Alfabetização, Carlos Nadalim, no entanto, ligado a Olavo de Carvalho e defensor do método fônico, mudou o decreto novamente.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG
Ao que parece, a brigalhada vai continuar. E a quem interessa esse clima eternamente negativo, essa disputa insana, esse baixo astral permanente? A quem interessa? Sem a menor dúvida, trata-se de um governo surpreendente, em todos os sentidos. Para dizer o mínimo. (C.N.)

8 thoughts on “Após demitir o brigadeiro, novo ministro da Educação prepara volta dos “olavetes”

  1. Noves fora, zero, com relação às centenas(?!) de idiotas, mentecaptos, néscios, ignorantes, denominados ministros da educação, que somente pioraram o ensino no Brasil, Bolsonaro traz à baila, agora, a dança dos titulares da pasta como diversão para os estudantes brasileiros!

    Eles dançam qualquer gênero, com uma particularidade:
    apenas e unicamente do mesmo jeito.

    Funk, Rap, Rock, Sertanejo, Samba, Rumba, Bolero, Tango, Valsa, Polca, Pagode, Fox Trote, até mesmo Quadrilha (das festas juninas e não do tipo petista), os passos são os mesmos:
    invariavelmente para trás!

    Nada de ritmo ou de tentativas para acompanhar os acordes de cada música, nada.
    Os idiotas e imbecis ministros da educação dão um passo para a frente e dois para trás.

    Se ainda dançassem ao ritmo do bolero, dois prá cá, dois prá lá, tudo bem, ficaríamos sempre no mesmo lugar, mas não é essa a forma que adoram fingir que dançam.

    Logo, no lugar de ser apresentada uma política educacional e pesados investimentos nesta área, o atual governo entendeu que, se criasse a dança da pasta do ensino até quando esta administração for substituída por outra, ninguém poderá dizer que não houve movimento neste ministério!

    Entendo, e todos nós temos consciência, que o PT liquidou com o ensino, introduzindo nos currículos a ideologia retrógrada e genocida, alterando a mente dos alunos.

    As Universidades Públicas são o exemplo indiscutível deste retrocesso na educação, através de comportamentos inaceitáveis e condenáveis dos estudantes, que modificaram suas faculdades em palanques políticos.

    Mas, o problema brasileiro não está no Ensino Superior, porém no Médio e Fundamental!

    Exatamente como acontece com o Ministério da Educação por ano a fio:
    O problema tem sido que sequer os ministros sabem o básico!

  2. Minha opinião era a “Intervenção Militar Constitucional” pelos idos de 2017/2018, com os militares ficando no mínimo por 6(seis) anos, para “limpar” o Brasil.
    Okay, para o bem ou para o mal, não aconteceu e aí, votei no Bolsonaro, embora com o seu passado nas FA’s.
    Agora, acompanhando tudo, discordo com o termo Guru para o sr OC. Vejo ao que parece, que o novo sistema, foi montado de baixo para cima e no final, fez-se a pergunta: Mas quem será o presidente?!!!
    Nem partido se tinha, o que foi definido nos últimos momentos.
    Como fomos traídos pelo MDB/PMDB entre outros; pensei que talvez desse certo e rezo para que isto aconteça embora veja mais confusão do que solução.
    O emprego formal, desapareceu e na mídia, só aparecem soluções paliativas. Ontem fui vender ovos de páscoa para meu vizinho, mas ao abrir a porta, ele já trazia na mãos, ovos para vender; para não perder a viajem, vendi os meus para ele e ele vendeu os dele para mim e assim vamos felinianamente (roialties para o editor do blog) apreciando as novidades políticas com a máxima atenção nas trapalhadas dos patetas do stf.

  3. Agora compreendo porque a maioria dos realmente alfabetizados neste país acha o Bolsonaro um IMBECIL: ele é fã do REI DOS IMBECIS, chamado OLAVO DE CARVALHO, um merda que, até pouquíssimo tempo, ninguém sabia sequer que existia. É o pior tipo de burro que existe: aquele que se acha um sábio. Deve ter sido feito num cemitério. O MEC não merece isto !!!!

  4. Infelizmente,
    O Ministério da Educação foi, sem sombras de dúvidas, o mais aparelhado.
    A luta será árdua, estamos falando de 24 anos, no minimo, de uma doutrinação, lenta e gradual mas não ineficiente.
    Analfabetismo funcional é “lucro” diante da estrago.
    Que siga o baile.
    Que a praga do Socialismo moreno seja superado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *