Após operação da PF, Bolsonaro manda recado ao STF: “Não teremos outro dia como ontem, chega”

“Estou com as armas da democracia na mão”, diz Bolsonaro

Ricardo Della Coletta
Folha

Um dia depois de uma operação da Polícia Federal ter atingido empresários, políticos e ativistas bolsonaristas, no âmbito do inquérito das fake news do STF, o presidente Jair Bolsonaro criticou a investigação e disparou contra a Corte.

“Não teremos outro dia como ontem, chega”, disse, na saída do Palácio da Alvorada. “Querem tirar a mídia que eu tenho a meu favor sob o argumento mentiroso de fake news”, acrescentou. Em outro trecho, Bolsonaro afirmou ter em mãos as “armas da democracia”.

CRÍTICAS – Horas antes, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, criticou as decisões recentes dos ministros do STF Alexandre de Moraes e Celso de Mello. Em live na noite desta quarta-feira, dia 27, ao lado de alvos da ação do Supremo contra fake news, ele defendeu reagir energeticamente contra a corte. “Temos de pontuar, diagnosticar o problema e depois começar a tomar algumas atitudes”, afirmou o deputado.

A Polícia Federal cumpriu 29 mandados de busca e apreensão nesta quarta-feira no chamado inquérito das fake news, que apura ofensas, ataques e ameaças contra ministros do Supremo. Políticos, empresários e ativistas bolsonaristas estão entre os alvos da investigação.

“Até entendo quem tem uma postura moderada para não chegar num momento de ruptura, de cisão ainda maior, de conflito ainda maior. Eu entendo essas pessoas que querem evitar esse momento de caos, mas falando abertamente, opinião de Eduardo Bolsonaro, não é mais uma opinião de se, mas de quando isso vai ocorrer. Essas reuniões aqui que o Allan está falando de altas autoridades, até mesmo de dentro de setores políticos, a gente discute esse tipo de coisa”, afirmou.

NA FILA – O deputado afirmou que pode ser o próximo alvo da Corte. Ele também criticou as decisões de Celso de Mello no inquérito que investiga a suposta interferência do presidente na Polícia Federal. “Se a gente mantiver essa postura colaborativa, amanhã eles vão entrar na nossa casa”, afirmou.

Moraes autorizou a operação da PF nesta quarta-feira  que colocou deputados, blogueiros e empresários bolsonaristas na mira do Supremo. Irritado com a operação autorizada pelo STF que atingiu deputados da base e apoiadores, o presidente reuniu ministros nesta quarta-feira para definir uma reação à corte.

Segundo auxiliares presentes, ele avaliou como absurda e desnecessária a investigação contra aliados, considerou que se trata de uma retaliação e reforçou que o Executivo não pode aceitar calado.

HABEAS CORPUS – A primeira medida que ficou definida era que a AGU (Advocacia-Geral da União) ingressaria com pedido de habeas corpus para Weintraub não preste depoimento ao STF. O pedido, porém, foi feito por Mendonça, que, antes de substituir Sergio Moro na atual pasta, ocupou o cargo de advogado-geral da União.

No pedido, ao qual a Folha teve acesso, Mendonça escreve que o HC “é resultado de uma sequência de fatos que, do ponto de vista constitucional, representam a quebra da independência, harmonia e respeito entre os Poderes desejada por todos”.

Entres os exemplos cita a convocação de Weintraub para depor e a operação desta quarta-feira envolvendo, segundo ele, “cidadãos que não representam riscos à sociedade, cujos direitos à liberdade de expressão estão sendo objeto de flagrante intimidação ou tentativa de cerceamento”.

FAKE NEWS – “Qualquer confusão que se trace entre a disseminação de notícias falsas, ou ‘fake news’, com o pleno exercício do direito de opinião e liberdade de expressão pode resvalar em censura inconstitucional, aliás, como alguns sugerem já ter ocorrido nestes autos relativamente a uma muito conhecida revista semanal eletrônica”, escreveu.

Foi no âmbito deste inquérito que Moraes mandou tirar do ar reportagem dos sites da revista Crusoé e O Antagonista que ligavam Toffoli à empreiteira Odebrecht. Dias depois, o ministro voltou atrás e derrubou a censura. O inquérito das fake news apura a disseminação de notícias falsas, ofensas, ataques e ameaças contra integrantes do STF. Mendonça pede a suspensão do depoimento de Weintraub e a exclusão do colega do inquérito ou trancamento do inquérito.

Se os pedidos não forem acatados, pede ainda para que Weintraub seja reconhecido como investigado, e não testemunha, o que lhe daria o direito de interrogado ao final do inquérito e ainda permanecer em silêncio. Pede que possa se pronunciar também por escrito.

13 thoughts on “Após operação da PF, Bolsonaro manda recado ao STF: “Não teremos outro dia como ontem, chega”

  1. A Democracia Direta com Meritocracia não aceitará golpes de bandidos protegidos por forças armadas que têm bandidos de estimação, e que se igualam a bandidos. Basta de mentiras e roubalheira. O BICHO tem que pegar pra capar geral, direita, esquerda e centro, à paisana e fardada, porque é tudo mais dos me$mo$, saco$ da mesma farinha podre. Democracia Direta Nele$, Já, com Meritocracia, porque evoluir é preciso. Não erre de novo.O novo de verdade na política do Brasil é a RPL-PNBC-DD-ME, o resto é tudo mais dos me$mo$, à paisana e fardados. Há 29 anos. O dia em que um Povo brioso, que tem vergonha na cara, cansado de ser enganado e espoliado por uma velha estrutura de poder, carcomida, corrupta e opressora, desarmado, unido, venceu nas ruas os tanques do exército golpista mais poderoso do mundo, e mudou tudo com as próprias mãos, reagindo, pacificamente, contra um golpe que tentava impedir a abertura democrática total e a libertação do povo no seu país. E qualquer semelhança não é mera coincidência, pode crer. Por que a mídia nunca noticiou a Democracia Direta com Meritocracia, não obstante 20 anos na estrada ? Por que a mídia tb faz parte do sistema podre ? https://www.youtube.com/watch?v=lwjMU3ASFgM

  2. Bolsonaro vive aos saltos: ou dá fricote, ou dá faniquito.

    Passou da hora desse comédia sair de cena, ou será preciso sair com ele.

    Isso já cheira mal faz tempo, e prejudica sobremaneira o Brasil em todos os aspectos porque enquanto vivemos várias crises ao mesmo tempo, o presidente não demonstra a mínima preocupação com a situação.

    Quem conhece a história desse personagem sabe que ele vive de trapalhadas, e isso começou quando ele era das forças armadas e lá não foi exemplo de nada.

    Entrou para vida pública, e já passou por 7 partidos políticos e está indo para o oitavo caso consiga fundar um partido para chamar de seu..

    Vê-se que não tem firmeza de propósito e muito menos espírito público para enfrentar as batalhas do dia a dia no campo da política verdadeira.

    Certamente, não sabe o que é política no sentido mais importante pois está aí na vida públuca para enricar, e isso é obvio que já conseguiu e faz tempo.

    Não fosse o falso antagonismo que tem com o desprezível luiz inácio já estaria fora do poder porque os que não querem, e quase ninguém quer, a volta temerária do PT, já lhe teriam derrubado, ou seja, o povo já estaria nas ruas salvo o prblema da pandemia.

    Qualquer pessoa já sabe que não demorará como inquilino do planalto não porque não paga aluguel mas porque incomoda de todo jeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *