Após “puxão de orelha” de Carluxo, Banco do Brasil recua e volta a anunciar em site de fake news

Carluxo “convenceu” o BB que era melhor deixar a razão de lado

Adriana Fernandes
Estadão

O Banco do Brasil decidiu retirar o veto ao site “Jornal da Cidade Online” para receber publicidade do banco, após o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) ter criticado o bloqueio.

A área de marketing e comunicação do BB, cujo gerente é Antonio Hamilton Rossell Mourão, filho do vice-presidente Hamilton Mourão, considerou exagerado o bloqueio e retomou a permissão para que o site, alinhado à direita conservadora, receba publicidade do banco ontem mesmo. A decisão, no entanto, não foi divulgada. O presidente do BB, Rubem Novaes, disse ao Estadão que não concordou com a restrição e que o site não deveria ser punido.

CRÍTICAS – Como mostrou o Estadão, na quarta-feira, Carlos Bolsonaro criticou a atitude da área de comunicação que disse que vetaria anúncios no site. “Marketing do @BancodoBrasil pisoteia em mídia alternativa que traz verdades omitidas. Não falarei nada pois dirão que estou atrapalhando… agora é você ligar os pontinhos mais uma vez e eu apanhar de novo, com muito orgulho! Obs: não conheço ninguém do @JornalDaCidadeO”, escreveu o filho do presidente no Twitter.


O banco foi informado de que estava monetizando o site pelo Sleeping Giants Brasil. Trata-se de um perfil no Twitter que alerta empresas quando suas publicidades estão em sites com conteúdo racista ou de fake news. Nesse caso, o perfil comunicou o banco pela rede social de que sua publicidade estava numa página conhecida por espalhar fake news e, ainda, que é contra o isolamento social para combater a pandemia do novo coronavírus.

DESINFORMAÇÃO – O Jornal da Cidade Online publicou ao menos oito textos que foram desmentidos pelo Estadão Verifica, incluindo artigo que manipulou dados de pesquisas de opinião para fazer parecer que aprovação de Bolsonaro tinha aumentado entre janeiro a novembro do ano passado e esconder que a desaprovação do governo havia crescido de forma significativa.

Há, também, texto com informação falsa sobre a entrega de ‘códigos de segurança’ da urna eletrônica a venezuelanos e, em maio deste ano, uma peça de desinformação omitiu trecho da fala do governador de Nova York, Andrew Cuoco, sobre a queda do índice de novas infecções no Estado para destacar dados de pesquisa que ‘provariam’ a falha do lockdown em Nova York.

CONDENAÇÃO – O site foi condenado neste mês a indenizar o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, pela publicação de reportagens consideradas ofensivas. Os donos do site tiveram de retirar os textos do ar e ainda publicar a íntegra da sentença, além de uma retratação, em até 48 horas, sob pena de multa diária de R$ 1,5 mil.

O site AosFatos também revelou, em julho do ano passado, que o Jornal da Cidade Online possuía dois perfis apócrifos que atacavam políticos e magistrados. Os ‘colunistas’ Amanda Acosta e Otto Dantas usavam fotos alteradas da escritora Thalita Rebouças e de um homem, cuja foto original consta em um banco de imagens.

ACESSOS – Em nota, o editor do Jornal da Cidade Online afirma que a escolha do site para veicular o anúncio deriva do ‘considerável número de acessos’ no Estado.“Quanto as verificações realizadas pelo Estadão, é evidente que jamais se tratou de ‘fake news’, foram matérias que, de acordo com as agências verificadoras continham algumas imprecisões. Tanto é que foram prontamente corrigidas e as marcações retiradas. Nesse sentido, vale lembrar que qualquer veículo de comunicação pode errar ou cometer algum deslize, inclusive o Estadão“.

Sobre a reportagem do site AosFatos que aponta o uso de perfis apócrifos para atacar magistrados, o Jornal da Cidade Online afirmou que se trata de publicações ‘mentirosas, difamatórias e caluniosas’. “Dizer que o jornal fez uso de perfis apócrifos para textos escritos com a utilização de pseudônimo é uma aberração. O JCO é um empresa contituída (sic), com sede e CNPJ. Tem um jornalista responsável como editor e que responde por tudo que é publicado”, disse.

10 thoughts on “Após “puxão de orelha” de Carluxo, Banco do Brasil recua e volta a anunciar em site de fake news

  1. O logotipo com o punho cerrado desse sleeping giant está travestido com as cores da bandeira do Brasil. Estão com vergonha do vermelho.
    Essa é parte da engrenagem de uma trama para sufocar os patrocinadores de sites de jornalistas independentes que não estejam comprometidos com o Mecanismo. A nova esquerda está toda nisso aí, junto com os saudosos da cleptocracia petralha e os isentões. Luciano Huck, Tabata Amaral, Kim kataguiri, Alexandre Frota, Felipe Neto e outras personalidades incensadas pela grande mídia. O queridinho agora é o Felipe Neto que se apresentou no Roda Viva como intelectual engajado nas causas sociais.
    Há informações que estão sendo reveladas, mostrando fontes, por ótimos jornalistas da nova geração. Certamente é o pessoal que escapou da doutrinação escolar da era PT..

    TRAMA REVELADA:

    https://www.youtube.com/watch?v=4n05G_RnCxQ

    .

  2. Uai, mas o Banco do Brasil não é a pérola, o quindim, dos nacionalistas tupiniquins? E agora, José, que já não dá mais pé, que o lamaçal começa a tudo envolver? O que fazer? Deixar a familia Tubaína tudo açambarcar, a debochar da nossa dignidade? Pela santidade do papa, por todas as virgens que não são marias, não esperem para que seja tarde: acabem com essa anarquia! Aux armes!

  3. Muito bem Rodrigo. A verdade sempre aparece. O mundo abraçou o “vermelho”, o mal, o progressismo, a mentira, o erro, o aborto, a homoafetividade, o engano, os desejos mais ultrajantes que se possam imaginar
    a consciência humana. O Homem se aparta de Deus e diz que nao precisa Dele. As consequências são apocalípticas e começam aparecer. Vários Governos, órgãos poderosos, formadores de opinião, artistas, mídia, universidades, ONU e suas agências, a igreja cristã falsa… do mundo todo fazem lavagem cerebral no povo. Deus adiverte que cauterizaria a mente dos profanos para que nao enxergassem mais a verdade. Deus os julgará pelos seus erros. Coisa boa não é cair nas mãos do Deus Todo Poderoso pelas suas iniquidades e profanar o que é Santo. O Homem a caminho da perdição. Ouça a voz do que clama no deserto há 2.000 anos. O primeiro selo divino foi aberto e muitos não percebem pelas razões supracitadas. Coisas muito piores estão por vir porque são 4 selos. Ai, ai moradores da terra. Deus tenha misericórdia de todos nós. Não me julguem, apenas repasso a Palavra do Eterno. É hora de arrependimento.
    Viva e reina o Senhor Jesus.

  4. O Estadão, aliado da corruptocracia tucano-petista, perdeu o maná sagrado que jorrava dos cofres públicos. Como todo o resto dos mé®dias, está faminto. E olhem que os cortes de publicidade, do setor privado, está apenas no começo.

    Para essa imprensa venal, que insanamente apoia a destruição da economia do país, o cenário é negro. A esperança está na reabertura das torneiras dos cofres públicos … delenda Bolsonaro!

  5. “Site que perdeu anúncio do Banco do Brasil veiculou fake news nas eleições de 2018
    Portal Jornal da Cidade Online teve propaganda do Banco do Brasil suspensa depois de campanha de movimento nas redes sociais. Agências jornalísticas mostram divulgação de conteúdo falso nas eleições.” (O Globo – 22/05/2020)

    “TCE de Mato Grosso do Sul manda agência excluir anúncio veiculado em site bolsonarista acusado de ‘fake news’”
    Após reportagem do Estadão entrar em contato sobre alerta da Sleeping Giants Brasil, Corte ordenou a retirada da peça; ‘Jornal da Cidade Online’ foi desmentido ao menos oito vezes pelo Estadão Verifica e alvo de reportagem sobre uso de perfis falsos para atacar magistrados.” (Estadão – 21/05/2020)

    “BB retira anúncio de site [Jornal da Cidade Online], diz que não apoia ‘fake news’, e toma bronca de Carlos Bolsonaro.
    Vereador critica comunicado do banco após instituição retirar publicidade de veículo acusado de propagar notícias falsas.” (Estadão – 21/05/2020)”

    “O Banco do Brasil retirou na quinta-feira, 21, o veto ao site Jornal da Cidade Online para receber publicidade do banco após o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente da República, Jair Bolsonaro, ter criticado a medida. A área de marketing e comunicação do BB, cujo gerente é Antonio Hamilton Rossell Mourão, filho do vice-presidente Hamilton Mourão, considerou exagerado o bloqueio e retomou a permissão para que o site, alinhado à direita conservadora, receba publicidade do banco. A decisão, no entanto, não foi divulgada.

    O presidente do BB, Rubem Novaes, disse à reportagem que não concordou com a restrição e que o site não deveria ser punido.” (Estadão – Coluna Seu Dinheiro – 21/05/2020)

  6. Estadão é sinônimo de derrota, peçam laudo e contra prova dos exames, quem tem coragem?A Dell que fique atenta, o governo federal faz compras e tem contratos de manutenção consideráveis.Sleeping Giant, Antifas disfarçados de justiceiros sociais, basta notar o logo, punho em riste, para disfarçar, esconderam sua verdadeira cor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *