Aras tenta blindar Eduardo Bolsonaro, acusado de defender uma “ruptura institucional”

Que fim levou a ação capaz de impedir Eduardo Bolsonaro de virar ...

MP vai averiguar se parlamentar cometeu crime em declaração

Renato Souza
Correio Braziliense

O procurador-geral da República, Augusto Aras, determinou a abertura de “notícia de fato” para saber se o deputado Eduardo Bolsonaro violou a Lei de Segurança Nacional em declarações que fez pela internet. Aras averigua se o parlamentar cometeu o crime de “subversão da ordem democrática”.

A descrição sobre o procedimento apuratório está em um parecer enviado ao ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF).

PEDE ARQUIVAMENTO – De acordo com Aras, o objeto de uma petição contra Eduardo se esgotou em razão da abertura da diligência na Procuradoria Geral da República (PGR). “Caso surjam indícios mais robustos de possível prática de ilícitos pelo representado, será requerida a instauração de inquérito criminal no STF, para adoção das medidas cabíveis”, afirmou Aras no documento. 

Na transmissão onde teria ocorrido o suposto crime, Eduardo Bolsonaro fala em quebra da ordem democrática, dando a entender que poderia ocorrer um golpe contra o Estado. “Mas falando bem abertamente, opinião de Eduardo Bolsonaro, não é mais uma opinião de se, mas sim de quando isso vai ocorrer (ruptura institucional). E não se engane, as pessoas discutem isso. Porque a gente estuda história, a gente sabe que ela se repete. Não chegou de uma hora pra outra a ditadura na Venezuela. (…) temos que pontuar, deixar a sociedade ciente do problema e depois tomar algumas atitudes”, disse.

Na ocasião, ele comentava o inquérito que apura fake news e ataques contra o Supremo, que está sob relatoria do ministro Alexandre de Moraes. Eduardo acusou o magistrado de crime, e disse que deve haver punição.

###
NOTA DA REDAÇÃO DO BLOG –
Chega a ser comovente a tentativa de blindar Eduardo Bolsonaro, feita pelo procurador Aras. Em tradução simultânea, ao invés de mandar a Polícia Federal investigar o deputado por sua pregação de um golpe militar, o procurador-geral pede que o Supremo arquive o procedimento, sob a alegação de que a Procuradoria já está investigando. A servidão de Aras a Bolsonaro, em busca de um lugar no Supremo, chega a ser patética. (C.N.)  

7 thoughts on “Aras tenta blindar Eduardo Bolsonaro, acusado de defender uma “ruptura institucional”

  1. O caso Eduardo é patético! Este camarada é doente, mentalmente afetado. Não tem noções básicas de democracia, republica, família, etc,etc.
    Já Aras, servidor público da república (PGR – procuradoria geral da república e não procuradoria geral do governo), pode estar trilhando caminho sem volta. Existe a possibilidade de condições de encaminhar pedido de impeachment dele também!
    O senado até pode sentar sobre eles, mas assumirá o ónus dos fatos!
    Por fim, todo sujeitoq que precisa ser blindado para viver e continuar sua sanha, é culpado!
    Muitos recursos, procrastinações são sinais desta culpa.
    Fallavena

  2. O pior é que o bolsonaro é traíra, usa e joga fora. Temos inúmeros exemplos disso.
    O Aras vai ser um NADA!!
    Até porque a casa tá caindo pros milicianos.

    Agenda da Dna. Márcia, foragida da justiça.
    O assunto é cabuloso.
    Nomes e telefones do presidente e da primeira dama, estão na agenda da mulher do miliciano Queiroz.
    Pode isso Arnaldo?
    Atenciosamente.

    https://www.oantagonista.com/brasil/caderno-da-mulher-de-queiroz-tinha-contatos-de-bolsonaro-e-flavio/

    • Não vejo nada demais em a Dona Márcia, esposa do Senhor Queiroz, ter o telefona da Senhora Bolsonaro e do Messias – eles antes partilhavam o mesmo meio social. São farinha do mesmo saco (e que saco!)

      • É mesmo … qual o problema, né? rsrs
        Tudo farinha do mesmo saco…
        Mas qual farinha o Sr. se refere? Aquela do tipo que acharam no avião milicianal? Ops, digo avião precidencial?

Deixe uma resposta para jhomer Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *